O Instituto Vacinogênico de São Paulo − Uma instituição de saúde pública no bairro do Cambuci (1894-1924)

Autores

  • Maria Amélia M. Dantes Professora Sênior, Departamento de História da Faculda de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2016.v12.33867

Palavras-chave:

Instituto Soroterápico de São Paulo, Período Republicano, vacina antivariólica

Resumo

O objetivo deste texto é analisar a atuação do Instituto Vacinogênico de São Paulo no período em que funcionou na rua Pires da Mota 35, no bairro do Cambuci. Nestes anos iniciais do período republicano, o governo paulista investiu na produção de vacinas e na vacinação como forma de combater a varíola, doença que atingia o estado. Para a produção das vacinas foi construído um prédio que seguia as normas de higiene estabelecidas internacionalmente, em região de recente urbanização na cidade de São Paulo. O Instituto Vacinogênico funcionou neste prédio até 1924, quando foi transferido para o Instituto Soroterápico do Butantan.

Referências

Relatórios da direção do Instituto Vacinogênico ao Serviço Sanitário de São Paulo/RIVSP (1892-1918). Acervo do Núcleo de Documentação do Instituto Butantan Relatórios do Instituto Butantan (1923-1925). Acervo do Núcleo de Documentação do Instituto Butantan.
Relatórios da Secretaria de Negócios do Interior do Estado de São Paulo/RSNI (1892-1918). Acervo do Arquivo do Estado de São Paulo MEDEIROS, A. Considerações geraes sobre a Variola no Brazil e a consequente introducção da sua prophylaxia pela Vaccina Animal, especialmente em São Paulo. São Paulo: Publicação do Serviço Sanitário do Estado de São Paulo- Instituto Vacinogênico, 1918.
Arquivos de Higiene e Saúde Pública, Ano IV 1939 e Ano V, 1940 (Seção Retrospecto Histórico).
ANTUNES J.L.F.; NASCIMENTO, C.B.; NASSI, L.C.; PREGNOLATTO, N.P. Instituto Adolfo Lutz. 100 Anos do Laboratório de Saúde Pública. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz & Editora Letras & Letras, 1992.
ARANHA, A.C.B.S. Carlos Botelho. Nasceu no século XIX, viveu no XX e vislumbrou São Paulo do século XXI. São Paulo: Editora do Autor, 2011.
CAMARGO, L.S. As “bexigas” e a introdução da vacina antivariólica em São Paulo. Histórica. Revista Eletrônica do Arquivo do Estado. São Paulo, n. 28, 3 dez. 2007.
DANTES, M.A.M. Arnaldo Vieira de Carvalho e a produção de vacina antivariólica em São Paulo (1892-1912). In DANTES, M.A.M.; SILVA, M.R.B. (coords.). Arnaldo Vieira de Carvalho. Rio de Janeiro: Fundação Miguel de Cervantes, 2012, p.24-60.
FERNANDES, T.M. Vacina Antivariólica. Ciência, técnica e o poder dos homens 1808-1920. Rio de Janeiro:FioCruz, 1999.
GUIMARÃES, A.P. Arnaldo Vieira de Carvalho. Biografia e Crítica. 2 volumes. São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 1967.
MASCARENHAS, R.S. Contribuição para o estudo da Administração Sanitária Estadual em São Paulo. Tese para Concurso para Docência Livre.
Faculdade de Higiene e Saúde Pública da USP, 1949.
PRADO, J.A. Etapas da produção da vacina antivariólica no Instituto Butantan. Cadernos de História da Ciência. Instituto Butantan. v.1, n.1, janeiro-junho de 2005, p.27-33.
RIBEIRO, M.A.R. História sem fim... Inventário da saúde pública, São Paulo – 1880-1930. São Paulo: Unesp, 1993.
SOARES, M.A.; SOLOSANDO, A. Apontamentos acerca de luta contra a varíola. Cadernos de História da Ciência. Instituto Butantan. v.1, n.1, janeiro-junho de 2005, p.13-26
TEIXEIRA, L.A.; ALMEIDA, M. Os primórdios da vacina antivariológica em São Paulo: uma história pouco conhecida. História, Ciências, Saúde. Manguinhos. v.10 (suplemento), p.475-98, 2003.
TELAROLLI JR., R. Poder e Saúde. As epidemias e a formação dos serviços de saúde em São Paulo. São Paulo: Unesp, 1996.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

Dantes, M. A. M. (2016). O Instituto Vacinogênico de São Paulo − Uma instituição de saúde pública no bairro do Cambuci (1894-1924). Cadernos De História Da Ciência, 12(2), 10–29. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2016.v12.33867