Mulheres, cuidados e reforma psiquiátrica brasileira: um protagonismo (oculto) na assistência psiquiátrica

Autores

  • Rachel Gouveia Passos Assistente Social da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo; Doutorando em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de SP; Mestre em Política Social pela Universidade Federal Fluminense; Especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP- FIOCRUZ).

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2011.v7.34368

Palavras-chave:

História das Mulheres, História da Loucura, Reforma Psiquiátrica Brasileira, Cuidados, Maternalismos

Resumo

Aproximando-se, preliminarmente, de experiências maternalistas de hoje, o presente artigo propõe-se a tensionar o debate com foco nos cuidados ofertados pela proteção social primária, indicados pelos cuidados prestados pelas mulheres aos usuários da saúde mental.

Referências

Ansart P. “História e Memória dos Ressentimentos”. In: Bresciani S.; Naxara M. (orgs.). Memória e (Res)Sentimento: Indagações sobre uma questão sensível, edição. 2ª ed. Campinas (SP): Ed. UNICAMP, 2004.
Bresciani S.; Naxara M. (orgs.). Memória e (Res)Sentimento: Indagações sobre uma questão sensível. 2ª ed. Campinas (SP): Ed. UNICAMP, 2004.
Campos PHF; Soares CB. “Representação da sobrecarga familiar e adesão aos serviços alternativos em saúde mental”. Psicologia em Revista [periódico na Internet]. Belo Horizonte (MG). 2005 dez. [acesso: 2010 jan 10]; v(11)n(18): 219-237. Disponível em <http://scielo.bvs-psi.org.br/scielo.php?pid=S1677--11682005000200006&script=sci_arttext>.
Costa SG. “A invenção de tradições: a proteção social e os cursos de graduação em Serviço Social”. Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo. 1995a ago. ano XVI n(48): 58-68.
______. Signos em Transformação: a dialética de uma cultura profissional. São Paulo: Cortez, 1995b.
______. “Proteção social, maternidade transferida e lutas pela saúde reprodutiva”. Revista Estudos Feministas. Florianópolis. 2002 [acesso 2009 set. 30]; v(10) n(2): 301-323. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ref/v10n2/14959.pdf
Freire MML. “Mulheres, mães e médicos: Discurso maternalista em revistas femininas (Rio de Janeiro e São Paulo, década de 1920)”. [Tese]. Rio de Janeiro: Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde, Casa de Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), 2006.
______. “Ser mãe é uma ciência: mulheres, médicos, e a construção da maternidade científica na década de 1920”. Revista História, Ciências e Saúde-Manguinhos. Rio de Janeiro. 2008; v(15) supl.: 153-171.
______. Mulheres, Mães e Médicos: discurso maternalista no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.
Freitas RCS. “Em nome dos filhos, a formação de redes de solidariedade: algumas reflexões a partir do caso Acari”. Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo. 2002. ano XXIII n(71).
Garcia CC. Ovelhas na Névoa: um estudo sobre as mulheres e a loucura. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1995.
Hall S. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Tradução Tomaz T. da Silva, Guacira L. Louro. 7ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
Nunes MJR. Freiras no Brasil. In: Priore MD. (org.), História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Editora Unesp, Editora Contexto, 2008. p.482-509.
Passos RG. “Saúde Mental e Exclusão Social: perspectiva de um desafio histórico, estrutural e social”. [Monografia]. Niterói (RJ): Faculdade de Serviço Social, Universidade Federal Fluminense, 2007.
______. “As vozes que ecoam: mulheres, ressentimentos e saúde mental.” Cad. Hist. Ciênc. 2010 jan-jun; v(6)n(1): 129-140.
Perrot MF. Os Excluídos da História: operários, mulheres e prisioneiros. São Paulo: Paz e Terra, 2010.
Vasconcelos EM. Do hospício à comunidade: mudança sim; negligência não. Belo Horizonte (MG): SEGRAC, 1992.
______ (org.). Abordagens Psicossociais – História, Teoria e Trabalho no Campo. Vol. I. São Paulo: Hucitec, 2008.
______. Desafios políticos da reforma psiquiátrica brasileira. São Paulo: Hucitec, 2010.

Downloads

Publicado

2011-12-31

Como Citar

Passos, R. G. (2011). Mulheres, cuidados e reforma psiquiátrica brasileira: um protagonismo (oculto) na assistência psiquiátrica. Cadernos De História Da Ciência, 7(2), 45–54. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2011.v7.34368