Mídia e debate público

contribuições da BBC News Brasil e da Deutsche Welle para a opinião pública sobre o movimento antivacinação no Brasil

Autores

  • Ana Carolina Pontalti Monari Mestranda em comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (Faac) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Bauru

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2020.v14.34781

Palavras-chave:

Mídia, Opinião pública, Movimento antivacinação, BBC News Brasil, Deutsche Welle

Resumo

Com raízes na Europa e nos Estados Unidos, o movimento antivacinação vem crescendo no Brasil e pode ser uma das explicações para a queda da taxa de vacinação no país. Sabendo do potencial dos meios de comunicação em promover o debate público na sociedade, este artigo busca verificar as possibilidades de contribuição da mídia para o fomento da opinião pública sobre os movimentos antivacinação no Brasil. Foram feitas análises de reportagens sobre a temática publicadas pela BBC News Brasil e pela Deutsche Welle. Com o apoio das teorias de opinião pública e midiatização e com base na análise hermenêutica, os dados obtidos pela investigação mostraram que ambos os conteúdos fomentaram parcialmente a opinião pública, uma vez que não “ouviram” os dois lados da questão.

Referências

ALLCOTT, H.; GENTZKOW, M. Social media and fake news in the 2016 election. Journal of Economic Perspectives, v. 31, n. 2, p. 211-236, 2017.

BASTOS, F.; PORTO, S. D. Análise hermenêutica. In: DUARTE, J.; BARROS, A. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2017.

BRAGA, J. L. A sociedade enfrenta a sua mídia: dispositivos sociais de crítica midiática. São Paulo: Paulus, 2006.

CHARAUDEAU, P. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2015.

FAUSTO NETO, A. Comunicação e mídia impressa: estudo sobre a Aids. São Paulo: Hacker Editores, 1999.

GIULIO, G. M.; FIGUEIREDO, B. R. Divulgação científica nas áreas ambiental e saúde pública. In: SOUSA, C. M.; FERREIRA, J. R.; BORTOLIERO, S. (Orgs.). Jornalismo científico e educação para as ciências. Taubaté: Cabral Editora e Livraria Universitária, 2006.

GOMES, D. C. A. Hermenêutica e comunicação: contribuições para compreender a teoria da interpretação e sua aplicação na sociedade midiática. NAMID/UFPB, ano 9, n. 4, 2015.

HJARVARD, S. The mediatization of culture and society. New York: Routledge, 2013.

HOLZBACH, A. D.; GOMES, I. M. A. M. O tema saúde na mídia impressa: um estudo de caso. In: SOUSA, C. M.; FERREIRA, J. R.; BORTOLIERO, S. (Orgs.). Jornalismo científico e educação para as ciências. Taubaté: Cabral Editora e Livraria Universitária, 2006.

LIPPMANN, W. Opinião pública. Petrópolis: Vozes, 2008.

LUIZ, O. C. Jornalismo e comunicação da ciência. Santo André: CESCO, 2004.

MARTINO, L. M. S. Teoria das mídias digitais: linguagens, ambientes e redes. Petrópolis (RJ): Vozes, 2015.

OLIVEIRA, F. Jornalismo científico. São Paulo: Contexto, 2012.

PEREIRA JÚNIOR, A. Comunicação em saúde pública: uma análise sobre alguns casos bem-sucedidos. In: MARQUES DE MELO, J.; EPSTEIN, I.; SANCHES, C.; BARBOSA, S. (Orgs.). Mídia e saúde. Adamantina: Unesco/Umesp/Fai, 2001.

PITTA, A. M. R. (Org). Saúde & Comunicação: Visibilidades e Silêncios. São Paulo: Editora Hucitec - Abrasco, 1995.

RODRIGUES, A. D. Delimitação, natureza e funções do discurso midiático. In: MOULLIAUD, M.; PORTO, S. D. O jornal: da forma ao sentido. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.

SEIBT, C. L. A hermenêutica heideggeriana e a questão do conhecimento. Conjectura - Filosofia e Educação. v. 21, n. 3, p. 188-214, set./dez. 2016.

SCHUDSON, M. Descobrindo a notícia: uma história social dos jornais nos Estados Unidos. Petrópolis: Vozes, 2010.

VASCONCELLOS-SILVA, P. R.; CASTIEL, L. D.; GRIEP, R. H. A Sociedade de Risco Midiatizada, o movimento antivacinação e o risco do autismo. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 2, p. 607-616, 2015.

WEBER, M. H. Comunicação: Estratégia Vital para a Saúde. IN: PITTA, A. M. R. (Org). Saúde & Comunicação - Visibilidades e Silêncios. São Paulo: Editora Hucitec - Abrasco, 1995.

BRASIL. Ministério da Saúde. Nova campanha traz histórias impactantes para alertar sobre vacinação Brasília: Ministério da Saúde.. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/44493-nova-campanha-traz-historias-impactantes-para-alertar-sobre-vacinacao. Acesso em: 7 fev. 2019.

MÃE que se recusa a vacinar o filho é presa; entenda a polêmica. BBC News Brasil, 5 out. 2017. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-41515442. Acesso em: 7 fev. 2019.

QUANDO deixar de vacinar é ilegal no Brasil. BBC News Brasil, 24 jul. 2018. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44948072. Acesso em: 7 fev. 2019.

OMS vê ‘tragédia’ em aumento de 400% nos casos de sarampo na Europa.BBC News Brasil, 20 fev. 2018. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-43120990. Acesso em: 15 out. 2018.

ESTUDO diz que trolls incitam debates antivacinas. Deutsche Welle, 24 ago. 2018. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/estudo-diz-que-trolls-incitam-debates-antivacinas/a-45211864. Acesso em: 7 fev. 2019.

COMO é a vacinação pelo mundo. Deutsche Welle, 13 jul. 2018. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/como-%C3%A9-a-vacina%C3%A7%C3%A3o-pelo-mundo/a-44667749. Acesso em: 15 out. 2018.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Carolina Pontalti Monari, A. (2021). Mídia e debate público: contribuições da BBC News Brasil e da Deutsche Welle para a opinião pública sobre o movimento antivacinação no Brasil. Cadernos De História Da Ciência, 14(2). https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2020.v14.34781