Olhares histórico-comparativos sobre dois institutos de pesquisa na Amazônia (Brasil e Colômbia)

Autores

  • Priscila Faulhaber Pesquisadora do Museu de Astronomia e Ciências Afins/MCT(RJ). Pesquisadora Associada do Museu Goeldi/MCT (PA). https://orcid.org/0000-0002-0251-5433

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2008.v4.35745

Palavras-chave:

história das instituições, política científica, instituições fronteiriças, identidade regional, construção naciona, interdependência conflituosa

Resumo

O objetivo deste trabalho é comparar duas unidades de pesquisa da Amazônia: Imani/Universidade Nacional da Colômbia e o Museu Paraense Emílio Goeldi. Enfatiza-se, na história desses dois institutos, sua significação como centros na história da ciência na Amazônia. Parte, em uma antropologia da política científica, de indagações sobre relações entre campo científico e tradução. A análise focaliza as relações entre projetos nacionais e intervenção regional, em uma discussão sobre as definições de “fronteira científica” e os limites da autonomia científica. Diferentes disciplinas da biologia ou das ciências humanas têm alcances variados no campo científico, ainda que sejam complementares nos programas de pesquisa sobre processos desenvolvimento sustentável ou de proteção indigenista. Ambos os institutos desenvolvem programas de pesquisa e pós-graduação em um sistema onde predominam relações verticais determinadas pelos centros científicos “estabelecidos”, apesar da concepção de simetria cara a uma concepção dinâmica de difusão e tradução científica. Este trabalho, portanto, sublinha a especificidade dos institutos amazônicos como um local da pesquisa científica profissional.

Referências

Bourdieu P. Campo intelectual e projeto criador. In: Poullon J et al (orgs) Problemas do Estruturalismo. Rio de Janeiro, Zahar, 1976, pp.105-146.
Elias N. Scientific Establishments. In: Elias N, Martins H & Whitley R (eds) Scientific Establishments and Hierarchies. Dordrecht, Boston and London, D. Reidel Publishing Company, 1982, pp. 3-70.
Faulhaber P. No aniversário do Museu Goeldi. Jornal da Ciência, São Paulo, SBPC, 1999, ano XIV n° 423: 12.
_________ Introdução. In: Faulhaber P & Toledo PM (eds) Conhecimento e Fronteira. História da Ciência na Amazônia. Belém, Museu Goeldi, 2001.
_________ A história dos institutos de pesquisa na Amazônia. Estudos Avançados, São Paulo, 2005; 19(54): 241-258.
Ferraz Bezerra MG. O impacto da Política de C&T do Brasil no desempenho de um instituto de pesquisa básica na Amazônia: O caso do Museu Paraense Emílio Goeldi. Dissertação de Mestrado. Belém, UFPA/ Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, 1999.
Kuper A. Anthropology and Anthropologists. The Modern British School. London and New York, Routledge, 1996, 3ª edição.
Hoyos NE. Propuesta para la creación de um sistema de estímulos a los investigadores de Colombia. Asociación Colombiana para el Avance de la Ciência, Bogotá, 1990. Latour B. La Science en action. Paris, La Découverte, 1989.
_________ Politiques de la nature. Comment faire entre les sciences en démocratie. Paris, Gallimard/ La Découverte, 1999.
Lopes MM. A formação dos Museus Nacionais e a América Latina Independente. Anais do Museu Histórico Nacional, 1998; 30:121-143.
Lopes MM & Podgorny I. The Shaping of Latin American Museums of Natural History, 1850-1990. Osiris, 2000; 15: 108-118.
Moura EAF. Práticas socioambientais na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Estado do Amazonas, Brasil. Tese (Doutorado), Programa de PósGraduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido PDTU, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.
Oliveira JP. A Pesquisa Tutelada. Ciência Hoje. Especial Amazônia. Rio de Janeiro, SBPC, 1991:13.
_________ Uma trajetória em antropologia (depoimento). O ofício do etnógrafo e a responsabilidade social do cientista. In: Oliveira, J.P. (org) Ensaios em Antropologia Histórica, 1999, pp. 211-263.
Reichel E. Cognopiratería y tráfico del conocimiento. In: Useche Losada M. Ciencias Sociales em la Amazonia Colombiana. Guerra, etnicidade y conocimiento. Bogotá, Comisión Regional de Ciencia y Tecnologia de la Amazonia/Sinchi/Colciencias, 1999, pp.143-202.
Reis ACF. “O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Origens, objetivos e funcionamento. Sua contribuição para o desenvolvimento científico da Amazônia”. Relatório INPA. Manaus,AM 1956
Restrepo O. La Comissión Corográfica y las Ciencias Sociales. In: Arocha J & Friedmann N (org) Un Siglo de Investigación Social. Antropología en Colombia. Bogotá, Presencia, 1984, pp. 131- 158.
Sanjad N. A Coruja de Minerva: O Museu Paraense entre o Império e a República. 1866-1907. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, Fundação Oswaldo Cruz, 2007.

Downloads

Publicado

2008-12-31

Como Citar

Faulhaber, P. (2008). Olhares histórico-comparativos sobre dois institutos de pesquisa na Amazônia (Brasil e Colômbia). Cadernos De História Da Ciência, 4(2), 9–36. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2008.v4.35745