Franco da Rocha e publicação de suas idéias: uma análise do meio social na explicação etiológica da loucura

Autores

  • Paulo Silvino Ribeiro Paulo Silvino Ribeiro é Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP, Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP e docente da Faculdade Pitágoras.

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2010.v6.35778

Palavras-chave:

Medicina, Psiquiatria, Doença Mental, Sociedade, Historia da Ciência

Resumo

Este artigo é resultante de um estudo acerca das relações e contribuições do pensamento médico (do último quartel do século XIX) com o processo de institucionalização das Ciências Sociais no Brasil. Mais especificamente trata-se de uma reflexão sobre o trabalho intelectual e político de um dos nomes mais importantes da história da psiquiatria e do alienismo brasileiro, Dr. Francisco Franco da Rocha. A análise de sua produção intelectual permite o dimensionamento de sua contribuição enquanto representante da possível produção de um pensamento médico acerca da realidade social brasileira. Na esteira do desenvolvimento da medicina psiquiátrica no Brasil parece brotar uma peculiar análise social empreendida por Franco da Rocha. Ao final deste breve trabalho, desvela-se uma originalidade na fala do “Pinel Paulista” o qual, ao esboçar sua explicação da etiologia social da loucura, faz uso de um senso crítico quanto aos contornos da estrutura social que vê, ao mesmo tempo em que destaca suas escolhas teóricas, as quais não necessariamente reproduziam os discursos hegemônicos de seu tempo.

Referências

Almeida, FM. O Esboço de psiquiatria forense de Franco da Rocha. Revista Latino-americana de Psicopatologia Fundamental. Vol. 11, n° 1, p. 137-150, mar. 2008.Barbosa, RM. Uma instituição modelar: o hospício do Juquery. São Paulo em Perspectiva,6 (4): 92-103, out/dez 1992.
Bomfim, M. A América latina: males de origem. Rio de Janeiro: Topbooks, 1993.
Briquet, R. Palestras e Conferências. São Paulo: Ed. Atlas, 1944.
Correa, M. As ilusões da liberdade: a Escola Nina Rodrigues e a antropologia no Brasil. Bragança Paulista: EDUSF, 2003.
Durkheim, E. As Regras do Método Sociológico. Coleção os Pensadores, São Paulo: Ed Abril, 1973.
Engel, MG. As fronteiras da anormalidade: psiquiatria e controle social. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, vol. 3, p. 547-63, nov. 1998-fev. 1999. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59701999000100001>. Acessado em 04/01/10.
Forguieri, YC. Resgatando a memória dos patronos: Francisco Franco da Rocha – Cadeira n° 01. Boletim Academia Paulista de Psicologia. Acad. Paulista de Psicologia, São Paulo. Volume 25, n° 01, p. 22-33, jan-abr/2005.
Guerra, W. Mário de Andrade e a Medicina. Suplemento Cultura. APM – Associação Paulista de Medicina, São Paulo.N° 39, out/ 1989.
Herschmann, M. et al. Missionários do Progresso: Médicos, Engenheiros e Educadores no Rio de Janeiro (1870-1937). Rio de Janeiro: Diadorim, 1996.
Hochman, G.; Lima, Nísia T. Condenado pela Raça, absolvido pela Medicina: O Brasil descoberto pelo movimento sanitarista da Primeira República. In: MAIO, Marcos Chor; SANTOS, Ricardo V. Raça, Ciência e Sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1998.
Machado, R et. al. Danação da norma: a medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1978.
Mota, A. Quem é bom já nasce feito: sanitarismo e eugenia no Brasil. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
Oliveira, CLMV. Os primeiros tempos da psicanálise no Brasil e as teses pansexualistas na Educação. Revista Agora, Vol. 05, n°01, p. 133-154, jan/jun 2002.
Peixoto, A. Clima e Saúde. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1975.
Pereira, LM de F. Franco da Rocha e a teoria da degeneração. Revista Latino-americana de Psicopatologia Fundamental. Vol. 06, n° 3, p. 154-163, set. 2003.
Pereira, B. O Brasil e a raça: conferência feita na Faculdade de Direito de São Paulo em 19/06/28. São Paulo: Graphica Rossetti, 1928. Ponte, CF. da. Médicos, psicanalistas e loucos: uma contribuição à história da psicanálise no Brasil. Dissertação de Mestrado. Escola Nacional de Saúde Pública-Fundação Oswaldo Cruz, 1999.
Prado, P. Retrato do Brasil – Ensaio sobre a tristeza brasileira. São Paulo: Oficinas Gráficas Duprat-Mayença (Reunida), 1928. Disponível em <http://www. eboo ksbrasil.org/eLibris/pauloprado.html>. Acessado em 23/09/2009.
Ramos, A. A Aculturação Negra no Brasil. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1942.
Rocha, FF da. Suicídios na capital de São Paulo. Gazeta Clínica de São Paulo. São Paulo: Publicação Médica Paulista. Ano III, p.443-446.1905.
Rocha, FF da. A fiscalização dos hospícios no Brasil. O Estado de São Paulo. São Paulo, 15 de Mai. 1907.
Rocha, FF da. A assistência a Alienados no Estado de São Paulo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 03 de Abr.1908.
Rocha, FF da. A velha e a nova escola penal. O Estado de São Paulo. São Paulo, 07 de Fev.1909a.
Rocha, FF da. O artigo 68 do código penal. O Estado de São Paulo. São Paulo, 24 de Set.1909b.
Rocha, FF da. Assistência familiar aos insanos em São Paulo. Revista Médica de São Paulo. São Paulo: Ano XII, p. 341-342, 1909c.
Rocha, FF da. Necrologia. Revista Médica de São Paulo. São Paulo: Ano XII, p. 434, 1909d.
Rocha, FF da. O que é um paranóico?. O Estado de São Paulo. São Paulo, 01 de Out. 1910a.
Rocha, FF da. Que é um paranoico? Revista Médica de São Paulo. São Paulo: Ano XIII, s/n, pg. 364-367, [.1910b.]
Rocha, FF da. O Salvarsan na paralisia geral. Revista Médica de São Paulo. São Paulo: Ano XV, n° 02, pg. 21-23, jan. 1910c.
Rocha, FF da. Os alienados perigosos e o código penal. O Estado de São Paulo. São Paulo, 27 de Fev. 1911a.
Rocha, FF da. Os alienados perigosos e o código penal. O Estado de São Paulo. São Paulo, 15 de Dez. 1911b.
Rocha, FF da. Contribution à l’étude de la folie dans la race noire. Revista Médica de São Paulo. Ano XIV, p. 1911c. Rocha, FF da. Os alienados perigosos e o código penal. Revista Médica de São Paulo. São Paulo: Ano XIV, n° 23, p. 437-440, dez.1911d.
Rocha, FF da. Assistência a alienados em São Paulo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 11 de Dez. 1912.
Rocha, FF da. Alcoolismo e loucura. O Estado de São Paulo. São Paulo, 17 de Ago. 1918
Rocha, FF da. Do delírio em geral. Preleção do curso de Clínica Psiquiátrica na Faculdade de Medicina de São Paulo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 20 de março de 1919.
Rocha, FF da. Assistência a alienados. O Estado de São Paulo. São Paulo, 20 de Ago. 1920a.
Rocha, FF da. Psicologia do boato. O Estado de São Paulo. São Paulo, 19 de Out. 1920b.
Rocha, FF da. Assistência a alienados – solução encaminhada. O Estado de São Paulo. São Paulo, 17 de Nov. 1920c.
Rocha, FF da. Mitos e Lendas na Loucura. Gazeta Clínica de São Paulo. São Paulo: Publicação Médica Paulista. Ano XVIII, n° 2, p.19-21. fev.1920d.
Rocha, FF da. Esclerose e bolchevismo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 01 de Jul. 1921a.
Rocha, FF da. Loucos de todo o gênero no código civil. O Estado de São Paulo. São Paulo, 07 de Nov. 1921b.
Rocha, FF da. Filosofia da História. O Estado de São Paulo. São Paulo, 30 de Jan. 1922a.
Rocha, FF da. Psicologia da Superstição. O Estado de São Paulo. São Paulo, 19 de Nov. 1922b.
Rocha, FF da. Aleijados do Cérebro? O Estado de São Paulo. São Paulo, 01 de Out. 1924.
Rocha, FF da. Asilos regionais. O Estado de São Paulo. São Paulo, 25 de Set. 1925.
Rocha, FF da. O exame médico pré-matrimonial. O Estado de São Paulo. São Paulo, 05 de Jan. 1926.
Rocha, FF da. Combate ao Alcoolismo. O Estado de São Paulo. São Paulo, 25 de Dez. 1927.
Rocha, FF da. A psycologia de Freud. Revista Brasileira de Psycanályse. São Paulo: Sociedade Brasileira de Psicanálise. Vol.01, n° 01, p. 7-23, 1928a.
Rocha, FF da. Os mitos e lendas na loucura. Revista Brasileira de Psycanályse. São Paulo: Sociedade Brasileira de Psicanálise. Vol.01, n° 01, p. 7-23, 1928b
Rocha, FF da. Livro contra livro. O Estado de São Paulo. São Paulo, 02 de Jan.1929.
Rocha, FF da. Sobre a Psicanálise. O Estado de São Paulo. São Paulo, 27 de Fev. 1930 a.
Rocha, FF da. A doutrina de Freud. 2ª ed. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1930 b.
Rocha, FF da. No reinado da fraude. O Estado de São Paulo. São Paulo, 14 de Jun. 1933.
Rocha, FF da. Hospícios de São Paulo: Fragmentos de Psiquiatria. Revista Latino-americana de Psicopatologia Fundamental. Ano VI, n° 3, p. 164-179, set. 2003.
Rocha, FF da.; SILVA, ACP e. A demência paralytica em São Paulo. São Paulo: Oficinas do Diário Oficial, 1923.
Rodrigues, RN. As raças humanas e a responsabilidade penal no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, s/d. Rosen, G. Da polícia médica à Medicina Social. Rio de Janeiro: Graal, 1980.
Russo, JA. A difusão da psicanálise no Brasil na primeira metade do século XX – Da vanguarda modernista à rádio-novela. Estudos e Pesquisas em Psicologia. UERJ. Rio de Janeiro. Ano 02, n° 01, p. 51-61, 1º Sem. 2002.
Sem autor. Dr. Franco da Rocha: No hospital de alienados do Juquery. O Estado de São Paulo. São Paulo, 04 de Abr. 1928.
Sem autor. Dr. Franco da Rocha. Revista de Medicina. Ano VII, n° 24, Vol. IV, p. 64-69, mai. 1923.

Downloads

Publicado

2010-06-30

Como Citar

Ribeiro, P. S. (2010). Franco da Rocha e publicação de suas idéias: uma análise do meio social na explicação etiológica da loucura. Cadernos De História Da Ciência, 6(1), 27–56. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2010.v6.35778