A constituição de identidades médicas no Brasil pré-republicano: apontamentos sobre a clínica e a experimentação

Autores

  • Luiz A. de Castro Santos Professor Associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Instituto de Medicina Social).

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2010.v6.35779

Palavras-chave:

Brasil: 2º. Reinado, Brasil: Primeira República, medicina clínica, experimentação, história da medicina

Resumo

A construção da “identidade médica” no Brasil desde meados do Oitocentos é o foco do presente ensaio. Um elemento chave dos processos identitários é a tensa relação entre “imagens” profissionais, bem como as condições institucionais de sua produção, introjeção e projeção. Neste sentido, procurar-se-á relacionar as trajetórias pessoais e profissionais de dois médicos paulistas do século XIX, aos contextos históricos e processos sociopsicológicos que as constituíram.

Referências

Benchimol, JL. Domingos José Freire e os primórdios da bacteriologia no Brasil. História, Ciências, Saúde — Manguinhos, mar.-jun II (1) 1995, p.67-98.
Benchimol, JL; Teixeira, LA. Cobras, lagartos & outros bichos: uma história comparada dos institutos Oswaldo Cruz e Butantan. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1993, p.225.
Ben-David, J. Scientific productivity and academic organization in 19th century medicine. American Sociological Review 25, 1960, p.828-843.
Bendix, R. Work and authority in industry. Berkeley: University of California Press, 1956, p.464.
Bourdieu, P. Pierre Bourdieu entrevistado por Maria Andréa Loyola. Rio de Janeiro, EdUERJ, 2002, p.98. Burns, EB. A history of Brazil. New York: Columbia University Press, 1970, p.544.
Carrara, S. Tributo a Vênus: a luta contra a sífilis no Brasil, da passagem do século aos anos 40. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 1996, p.327.
Castro Santos, LA. O pensamento social no Brasil: pequenos estudos. Campinas, Edicamp, 2003, p.338.
Cooper, DB. Brazil’s long fight against epidemic diseases, 1849-1917, with special emphasis on yellow fever. Bulletin of the New York Academy of Medicine (51) 5 May 1975, p.672-96.
Edler, FC. O debate em torno da medicina experimental no Segundo Reinado. História, Ciências, Saúde: Manguinhos. vol. III, n.o 2, jul.-out., 1996, p.284-299.
Ferreira, LO. Das doutrinas à experimentação: rumos e metamorfoses da medicina da medicina no século XIX. Revista da SBHC, n. 10, 1993, p.43-52.
Gerth, H; Wright Mills, C. Caráter e Estrutura Social: A Psicologia das Instituições Sociais. Tradução de Miguel Maillet. Rio: Editora Civilização Brasileira, 1973, p.490.
Hardman, FF. Trem fantasma: a modernidade na selva. São Paulo: Hucitec, 1988, p.291.
Merton, RK. The sociology of science: theoretical and empirical investigations. Chicago: The University of Chicago Press, 1973, p.605.
Peard, JE. Tropical disorders and the forging of a Brazilian medical identity, 1860-1890. Hispanic American Historical Review v.77, n. 1, fev. 1997, p.1-44.
Salles, MRR; Castro Santos, LA. Imigração e médicos italianos em São Paulo na Primeira República. Estudos de Sociologia. Vol. 6 (10) 2001, p.63-96.
Santos Filho, LC. História Geral da Medicina Brasileira. Volume 2. São Paulo, Hucitec/Edusp, 1991, p.677.
Santos Filho, LC. Médicos de Guaratinguetá no século XIX (Os Castro Santos – A Santa Casa). Imprensa Médica. Separata. Lisboa. Ano XXIV – agosto de 1960, p.24.
Santos Filho, LC. Apresentação, em Lycurgo de Castro Santos, Duas palavras sobre a filosofia positiva e o espiritualismo. (1ª. edição, 1888). Campinas,
Pontifícia Universidade Católica, 1989, p.90. Strauss, A. La trame de la négociation : Sociologie qualitative et interaccionisme. (Textes réunis et présentés par Isabelle Baszanger). Paris: L´Harmattan, 1992, p.320.
Teixeira, LA. Ciência e saúde na terra dos bandeirantes: a trajetória do Instituto Pasteur de São Paulo, 1903-1916. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 1995, p.294.
Tréanton, JR. Le concept de carrière., Revue Française de Sociologie, Paris, Vol. 1 (1) Janvier-Mars 1960, p.73-80.
Znabiecki, F. The social role of the man of knowledge. New York: Columbia University Press, 1940, p.212.

Downloads

Publicado

2010-06-30

Como Citar

Santos, L. A. de C. (2010). A constituição de identidades médicas no Brasil pré-republicano: apontamentos sobre a clínica e a experimentação. Cadernos De História Da Ciência, 6(1), 57–78. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2010.v6.35779