As relações Brasil-França na criação do Instituto Butantan

Autores

  • Carlos Eduardo Sampaio Burgos Dias Auxiliar de Apoio a Pesquisa Científica e Tecnológica do Laboratório de História da Ciência – Instituto Butantan

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2010.v6.35782

Palavras-chave:

Instituto Butantan, Instituto Pasteur, Colonização, Primeira República, Brasil-França

Resumo

Este trabalho tem como objetivo traçar uma relação entre as ciências produzidas no Brasil e as ciências produzidas na França, buscando compreender os sentidos da colonização do pensamento civilizatório francês a partir da Proclamação da República. Ainda busca identificar, a partir desse fato, a criação do Instituto Serumtherápico do Estado de São Paulo, mais tarde Instituto Butantan, de modo a buscar semelhanças e características com os principais produtores de ciência, dentre eles a França e o Instituto Pasteur. Tem como referencial teórico o livro de Caio Prado Júnior, “A formação do Brasil Contemporâneo”, onde a principal discussão abordada pelo autor coloca o sentido da colonização no Brasil na formação histórica do país até o que o autor chama de Brasil Contemporâneo que tem como ponto de partida a Proclamação da República, sem negar os acúmulos histórico-sociais que culminaram nessa data.

Referências

Almeida M de. República dos invisíveis: Emilio Ribas, microbiologia e saúde pública em São Paulo (1898-1917). Bragança Paulista (SP): EDUSF,
2003. 370p
Alves IM da S. Modelo Politécnico, Produção dos Saberes e a formação do Campo Científico no Brasil. In: Dantes MAM (org.) et al. A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo; Fapesp, 1996a. p.66-75
Benchimol JL. Origens e evolução do Instituto Oswaldo Cruz no período 1899-1937. In: Benchimol, JL (Coord.). Manguinhos do sonho à vida: A ciência
na Belle Époque. Rio de Janeiro: Fiocruz/Casa de Oswaldo Cruz, 1990. p.1-88.
Brazil LV. Vital Brazil: vida e obra 1865-1950. Niterói: Instituto Vital Brazil, 2001. 56p. (Discurso proferido na solenidade de comemoração do aniversário de 80 anos do Instituto Vital Brasil, 11 set. 2000).
Brazil, V. A defesa contra o ophidismo. São Paulo: Pocai & Weiss. 152p. In: Pereira Neto A de F (org.). Vital Brazil: obra científica completa. Niterói (RJ):
Instituto Vital Brazil, 2002. 1184p.
Costa EV da. Alguns aspectos da influência francesa em São Paulo na segunda metade do século XIX. In: Revista de História / Departamento de História.
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, Nº 16 (1953), Nº 142 e 143, p.277-308, 2000.
Dantes MAM. Os positivistas Brasileiros e as Ciências no Final do Século XIX.
In: Dantes MAM (org.) et al. A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo/Fapesp, 1996a. p.49-63
Dantes MAM. & Hambúrguer AI. A ciência, os intercâmbios e a História da Ciência: Reflexões sobre a atividade científica no Brasil. In: Dantes MAM et al (org.). A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo; Fapesp, 1996b. p.15-23
Fonseca F da. Instituto Butantã. Sua origem, desenvolvimento e contribuição ao progresso de São Paulo. In: São Paulo em quatro séculos. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Cidade de São Paulo, 1954. v. 2
Moroz M & Rubano DR. Alterações na sociedade, efervescência nas idéias: a França do século XVIII. In: Andery MAPA (org.) et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. 13 ed. Rio de Janeiro: Garamound; São Paulo: EDUC, 2004. p.327-340
Motoyama S & Nagamini M. CNPq e CNRS: Duas Histórias numa perspectiva comparada. In: Dantes MAM et al (org.). A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo/Fapesp, 1996a. p.331-359
Natalini G & Amaral JL do. 450 anos da história da medicina paulista. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004
Oliveira JL. Cronologia do Instituto Butantan (1888-1981): 1ª parte 1888-1945. Memória do Instituto Butantan. São Paulo, 1980
Oliveira MLF de. Balcão de Negócios. In: Revista de História da Biblioteca Nacional. Nº 15, Rio de Janeiro, 2006. p.68-72
Oliveira SFJ. Segredos e Mentiras. In: Revista de História da Biblioteca Nacional. Nº 15, Rio de Janeiro, 2006. p.82-85
Petitjean P. Ciências, Impérios, Relações Cientificas Franco-brasileiras. In: Dantes MAM et al (org.). A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo/Fapesp, 1996a. p.25-39
Petitjean P. Entre Ciência e Diplomacia: A organização da Influência Científica Francesa na América Latina, 1900-1940. In: Dantes MAM et al (org.). A ciência nas relações Brasil-França (1850-1950). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo/Fapesp, 1996b. p.89-120
Prado Junior C. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 23ª Ed. São Paulo: Brasiliense, 2006. 390p.
Santos LAC. O pensamento sanitarista na primeira república. Uma ideologia de construção de racionalidade. Rio de Janeiro: Campus, 28(2), 1985 – p.193-210
Stancik MA. Os Jecas do literato e do cientista: movimento eugênico, higienismo e racismo na Primeira República. In: Publicações UEPG, Ciência Humanas, Ciências Sociais aplicadas, Linguagem, Letras e Artes. Nº 13 Ponta Grossa (PR), 2005. p.45-62
Suppo H. A política cultural da França no Brasil entre 1920 e 1940: o direito e o avesso das missões universitárias. In: Revista de História / Departamento de História. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, Nº 142 e 143, p.309-346, 2000.
Teixeira LA. Repensando a história do Instituto Butantan. In: Espaços de ciência no Brasil (1800-1930). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2001 – P.159-180
Teixeira LA. Instituto Butantan: visitando um período esquecido. Rio de Janeiro: UERJ/UMS, 1993. (série Estudos em Saúde Coletiva; N.º 74)

Downloads

Publicado

2010-06-30

Como Citar

Dias, C. E. S. B. (2010). As relações Brasil-França na criação do Instituto Butantan. Cadernos De História Da Ciência, 6(1), 107–128. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2010.v6.35782