A imprensa jornalística como fonte documental para a História das Doenças: as epidemias de febre amarela e de gripe espanhola em Sorocaba

Autores

  • João Paulo Dall’ava Mestrando do Departamento de Medicina Preventiva-USP.

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2012.v8.35823

Palavras-chave:

imprensa, febre amarela, gripe espanhola, epidemias, Sorocaba

Resumo

Este artigo destaca a importância da imprensa jornalística como fonte documental para o estudo da História das Doenças. Pretende-se analisar as notícias publicadas nos jornais sorocabanos durante as epidemias de febre amarela em 1899-1900 e de gripe espanhola em 1918, compreendendo, por meio dos discursos de imprensa, a divulgação dos conhecimentos médicos, bem como as articulações entre poder público e a sociedade no sentido de repercutir os acontecimentos diante da complexidade dos momentos vividos diante desses surtos epidêmicos.

Referências

Almeida A. Sorocaba: 3 séculos de história. Itu (SP): Ottoni, 2002.
Araújo Neto AC. Sorocaba operária: ensaio sobre o início do movimento operário em Sorocaba, 1897-1920. Sorocaba (SP): Crearte, 2005.
Baddini CM. Salubridade pública e poder local: Sorocaba no século XIX.Cader-no de História, Sorocaba, São Paulo, out 2006; n(2): 15-25.
Baddini CM. Sorocaba no Império: comércio de animais e desenvolvimento urba-no. São Paulo: Annablume/ Fapesp, 2002.
Bertolli Filho C. A Gripe Espanhola em São Paulo, 1918: epidemia e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2003.
Bertucci LM. Influenza, A Medicina Enferma: Ciência e práticas de cura na época da gripe espanhola em São Paulo [Tese de doutorado]. Campinas (SP): Insti-tuto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH – Unicamp; 2003a.
Bertucci LM. “Conselhos ao Povo”: educação contra a Influenza de 1918. Caderno Cedes, Campinas,(SP). abr 2003b; n(59) v(23): 103-117.
Carvalho RLP. Aspectos da Modernidade em Sorocaba: experiências urbanas e representações 1890-1914. Revista de História, São Paulo. 2º sem. 2004; n(151): 221-225,
Carvalho RLP. Fisionomia da cidade: Sorocaba – cotidiano e desenvolvimento urbano – 1890-1943 [Tese de doutorado]. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2008.
Chartier R. História Cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 2002.
Ferreira LO. Negócio, política, ciência e vice-versa: uma história institucional do jornalismomédico brasileiro entre 1827 e 1843. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 2004; v(11Supl 1): 93-107.
Franco O. História da Febre Amarela no Brasil. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 1969.
Luca TR. História dos, nos e por meio dos periódicos, In: Pinsky CB (org.), Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005.
Mota A. Notas sobre o Sanitarismo de Sorocaba na Primeira República. Caderno de História, Sorocaba, São Paulo, out 2006; n(2): 7-14.
Mota A, Baddini CM. Dilemas Revelados e Mito Desfeito: Sorocaba e a epidemia de febre amarela na República Velha. In: Mota A, Marinho MGSMC. (orgs.). Práticas Médicas e de Saúde nos Municípios Paulistas: a história e suas interfaces. São Paulo: USP, Faculdade de Medicina: CDG Casa de Soluções e Editora, 2011.
Nascimento DR. As Pestes do Século XX: Tuberculose e Aids no Brasil – Uma história comparada. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.
Nascimento DR, Carvalho DM (Orgs.). Uma historia brasileira das doenças. Bra-sília: Paralelo 15, 2004.
Pinto Jr. A. A invenção da Manchester Paulista: embates culturais em Sorocaba, 1903-1914 [Dissertação de mestrado]. Campinas (SP): Faculdade de Educação da Unicamp, 2003.
Sodré NW. História da imprensa no Brasil. 4ª ed., Rio de Janeiro: Mauad, 1999.
Souza CMC. A gripe espanhola em Salvador, 1918: cidade de becos e cortiços. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro; jan.-abr. 2005; v(12) n(1): 71-99.
Telarolli Jr. R. Poder e Saúde: A República, a Febre Amarela e a Formação dos Serviços Sanitários no Estado de São Paulo [Tese de doutorado]. Campinas (SP): Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, 1993.

Downloads

Publicado

2012-06-30

Como Citar

Dall’ava, J. P. (2012). A imprensa jornalística como fonte documental para a História das Doenças: as epidemias de febre amarela e de gripe espanhola em Sorocaba. Cadernos De História Da Ciência, 8(1), 91–106. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2012.v8.35823