Estudo da contaminação por bifenilas policloradas e parâmetros de qualidade do mel orgânico e do mel convencional do Rio Grande do Sul

  • Dos Santos M Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, RS
Palavras-chave: Poluentes Orgânicos, PCBs, Alimentos Orgânicos, Contaminação Ambiental, Segurança e Qualidade dos Alimentos, Padrão de Identidade, Qualidade do Mel

Resumo

O mel passa uma imagem de ser naturalmente saudável e livre de contaminantes. A grande valorização desteproduto, principalmente no mercado externo, exige a aplicação de rigorosos padrões de qualidade e segurançado mel, assim como o investimento em sistema de produção orgânico. As bifenilas policloradas, do inglêsPolychlorinated biphenyls (PCBs), são compostos organoclorados sintéticos tóxicos que apesar de terem suafabricação e comercialização proibidas há vários anos, devido ao seu descarte inapropriado, contaminaram o meioambiente e ainda são detectadas. No presente trabalho foram analisados os padrões de identidade e qualidadee a contaminação por PCBs em 90 méis de diferentes origens florais (monoflorais e multiflorais) de sistemas deprodução orgânico e convencional provenientes do Rio Grande do Sul. Foi investigada a ocorrência de 11 congêneresde bifenilas policloradas: PCBs 28, 52, 77, 81, 101, 118, 126, 138, 153, 169 e 180. A extração foi realizada pelométodo QuEChERS modificado (Quick, Easy, Cheap, Effective, Rugged and Safe) seguido de cromatografia gasosacom detector de captura de microelétrons com limites de detecção de 5 ng g-1e 10 ng g-1. Os resultados mostraram apresença de 4 congêneres em 15 amostras de mel provenientes de 9 municípios, confirmando a contaminação ambientalno Sul do Brasil. Os níveis máximos de concentração detectados foram 635 ng g-1 para PCB 28, 194 ng g-1 para PCB 101,65 ng g-1 para PCB 77 e 50 ng g-1 para PCB 81. Embora essa contaminação no mel represente um baixo risco, tratasede um poluente orgânico persistente, classificado como comprovadamente carcinogênico para seres humanose animais. Entre as amostras contaminadas, não foram identificadas diferenças significativas quanto ao sistemade produção e origem floral. Ao analisar os resultados dos padrões de identidade e qualidade individualmente, agrande maioria dos méis estava dentro dos limites definidos pela legislação nacional e internacional, o que permiteafirmar que o mel produzido no Rio Grande do Sul tem boa qualidade, fato que evidencia a adoção de boas práticasapícolas pelos produtores do estado. Através da análise dos componentes principais foi possível explicar grandeparte da variabilidade entre os parâmetros umidade, cinzas, condutividade elétrica, pH, acidez livre, acidez total,açúcares redutores, sacarose aparente, atividade diastásica e HMF dos méis conforme o sistema de produção ea origem floral. A análise por agrupamento hierárquico, classificando em grupos usando distâncias euclidianas,exibiu a diferenciação desses 10 parâmetros de qualidade das amostras.
Publicado
2021-09-30
Como Citar
M, D. S. (2021). Estudo da contaminação por bifenilas policloradas e parâmetros de qualidade do mel orgânico e do mel convencional do Rio Grande do Sul. Revista Do Instituto Adolfo Lutz, 80, 1-1. Recuperado de https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/RIAL/article/view/37171
Seção
RESUMOS DE TESES E DISSERTAÇÕES