Qualidade da água utilizada em serviços de hemodiálise antes e após passar por sistema de tratamento em Santarém, Oeste do Pará, Amazônia

Autores

  • Valeria de Sousa Bentes Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, PA, Brasil
  • Marina Smidt Celere Meschede Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, PA, Brasil https://orcid.org/0000-0002-6519-9466

DOI:

https://doi.org/10.53393/rial.2021.v80.37246

Palavras-chave:

Diálise Renal, Unidades Hospitalares de Hemodiálise, Amostras de Água

Resumo

A água utilizada em serviços de hemodiálise passa por um sistema de tratamento a fim de garantir que os parâmetros microbiológicos e físico-químicos estejam adequados e proporcionem segurança ao paciente. Este trabalho avaliou a qualidade da água antes e após esta passar por sistema de tratamento em dois serviços (A e B) de hemodiálise em Santarém. Foram coletadas amostras de água em três pontos: Ponto 1 (P1) após saída do poço, Ponto 2 (P2) na saída do tratamento e Ponto 3 (P3) na máquina de hemodiálise. Testes microbiológicos e físicoquímicos foram realizados e os resultados mostraram que não houve crescimento de coliformes totais e Escherichia coli nas amostras. No serviço A, houve contaminação por bactérias heterotróficas em 87% das amostras, destas,
27% ocorreram no P3. O pH mostrou-se menor que 6,0 no P1 nos dois serviços, normalizando os seus valores no P3. No serviço A, concentrações superiores ao recomendado de alumínio e nitrato foram verificadas em 100% das amostras coletadas no P1, os valores foram normalizados na saída do tratamento (P2). A pesquisa demonstrou que, para os parâmetros estudados, a qualidade da água, após passar por sistema de tratamento, é satisfatória, com exceção das bactérias heterotróficas no serviço A.

Referências

1. Suzuki MN, Fregonesi BM, Machado CS, Zagui GS, Kusumota L, Suzuki AK et al. Hemodialysis water parameters as predisposing factors for anemia in patients in dialytic treatment: application of mixed regression models. Biol Trace Elem Res. 2019;190(1):30-7. https://doi.org/10.1007/s12011-018-1515-7

2. Ribeiro IC, Roza NAV, Duarte DA, Guadagnini D, Elias RM, Oliveira RB. Clinical and microbiological effects of dialyzers reuse in hemodialysis patients. J Bras Nefrol. 2019;41(3):384-92. https://doi.org/10.1590/2175-8239-jbn-2018-0151

3. Bugno A, Almodóvar AAB, Pereira TC, Auricchio MT. Detecção de bactérias gram-negativas não fermentadoras em água tratada para diálise. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 2007 [acesso 2021 Mai 21];66(2):172-5. Disponível em:
https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/RIAL/article/view/32828

4. Ministério da Saúde (Brasil). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 11 de 13 de março de 2014. Dispõe sobre os Requisitos de Boas Práticas de Funcionamento para os Serviços de Diálise e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 14 mar 2014. Seção 1(50):40-2.

5. Ward RA, Ing TS. Água especial e preparo da solução de hemodiálise. In: Daugirdas JT, Blake PG, Ing TS. Manual de diálise. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2013. p. 76-82.

6. Ahmad S, Misra M, Hoenich N, Daugirdas JT. Água e solução de diálise. In: Daugirdas JT, Blake PG, Ing TS. Manual de diálise. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2013. p. 54-75.

7. Almodovar AAB, Buzzo ML, Silva FPL, Hilinski EG, Bugno A. Efetividade do programa de monitoramento da qualidade da água tratada para diálise no estado de São Paulo. J Bras Nefrol. 2018;40(4):344-50.
https://doi.org/10.1590/2175-8239-jbn-2018-0026

8. Buzzo ML, Bugno A, Almodovar AA, Kira CS, Carvalho FH, Sousa A et al. A importância de programas de monitoramento da qualidade da água para diálise na segurança dos pacientes. Rev Inst Adolfo Lutz. [Internet]. 2010 [acesso 2021 Mai 21];69(1):1-6. Disponível em:
https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/RIAL/article/view/32668

9. Raad Humudat Y, Al-Naseri SK. Evaluation of dialysis water quality at Hospitals in Baghdad, Iraq. J Health Pollut. 2020;10(28):201-11.
https://doi.org/10.5696/2156-9614-10.28.201211

10. Instituto Trata Brasil [Internet]. Ranking do Saneamento 2020 – Tabela 100 cidades. [acesso 2020 Out 8]. Disponível em:
http://tratabrasil.org.br/estudos/estudos-itb/itb/ranking-do-saneamento-2020


11. American Public Health Association (APHA). Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 23.ed. Washington (DC): American Public Health Association, American Water Works Association, Water Environment Federation; 2017.

12. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). ABNT NBR ISO/IEC 17025: 2017 - Requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração. Rio de Janeiro: ABNT; 2017.

13. Tancredi ACFNS. Recursos hídricos subterrâneos de Santarém: fundamentos para uso e proteção. [tese de doutorado]. Belém (PA): Universidade Federal do Pará (UFPA); 1996. Disponívem em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/7884

14. Meschede MSC, Figueiredo BR, Alves RIS, Segura-Muñoz SI. Drinking water quality in schools of the Santarém region, Amazon, Brazil, and health implications for school children. Rev Ambient Água. 2018;13(6):e2218. https://doi.org/10.4136/ambi-agua.2218

15. Bentes VS, Almeida Neto GW, Meschede MSC. Qualidade da água utilizada para consumo humano proveniente do aquífero Alter do Chão em Santarém (Oeste do Pará) e sua relação com a saúde pública. Geochim Bras [Internet]. 2020 [acesso 2021 Maio 18];34(1):101-9. Disponível em:
https://geobrasiliensis.emnuvens.com.br/geobrasiliensis/article/view/662

16. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). ABNT NBR ISO/IEC 17034: 2017 – Requisitos gerais para a competência de produtores de materiais de referência. Rio de Janeiro: ABNT; 2017.

17. Lima JRO, Marques SG, Gonçalves AG, Salgado Filho N, Nunes PC, Silva HS et al. Microbiological analyses of water from hemodialysis services in São luís, maranhão, Brazil. Braz J Microbiol. 2005;36(2):103-8.
https://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822005000200001

18. Fendley DA, Ward RA Dialysate quality: new standards require a new approach to compliance. Semin Dial. 2012;25(5):510-5.
https://doi.org/10.1111/sdi.12007

19. Mendes A, Galvão P, Sousa J, Silva I, Carneiro RN. Relations of the groundwater quality and disorderly occupation in an Amazon low-income neighborhood developed over a former dump area, Santarém/PA, Brazil. Environ Dev Sustain. 2019;21(1):353-68.
https://doi.org/10.1007/s10668-017-0040-8

20. Montanari LB, Sartori FG, Cardoso MJO, Varo SD, Pires RH, Leite CQF et al. Microbiological contamination of a hemodialysis center water distribution system. Rev Inst Med Trop Sao Paulo. 2009;51(1):37-43.
https://dx.doi.org/10.1590/S0036-46652009000100007

21. Tristão AMV. Qualidade da água nas clínicas de hemodiálise no Estado de Mato Grosso do Sul. [dissertação de mestrado]. Campo Grande: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; 2014. Disponível em:
https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/2546

22. Saha M, Allon M. Diagnosis, treatment and prevention of hemodialysis emergencies. Clin J Am Soc Nephrol 2017;12(2):357-69.
http://doi.org/10.2215/CJN.05260516

23. Bartram J, Cotruvo J, Exner M, Fricker C, Glasmacher A, editors. Heterotrophic plate counts and drinking-water safety: the significance of HPCs for water quality and human health. London: World Health Organization; 2003.

24. Marcheti RGA, Caldas HD. Avaliação da qualidade microbiológica da água de consumo humano e de hemodiálise no Distrito Federal em 2009 e 2010. Com Ciências Saúde [Internet]. 2011 [acesso 2021 Maio 21];22(1):33-40. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/periodicos/revista_ESCS_v22_n1_a05_avaliacao_qualidade_microbiologica.pdf

25. Figel IC, Dalzoto PR, Pimentel IC. Qualidade microbiológica da água e dialisato em clínicas de hemodiálise do Sul do Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 2015 [acesso 2021 Maio 21];74(1):66-70. Disponível em:
https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/RIAL/article/view/33387

26. Ramirez SS. Água para hemodiálise no Estado do Rio de Janeiro: uma avaliação dos dados gerados pelo programa de monitoramento da qualidade nos anos de 2006-2007. [monografia de especialização]. Rio de: Fundação Oswaldo Cruz; 2009. Disponível em:
https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/14190

27. Ministério da Saúde (Brasil). Fundação Nacional de Saúde. Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS. Brasília (DF): Funasa; 2014.

28. Barreto FC, Araújo SMH. Intoxicação alumínica na doença renal crônica. Braz J Nephrol. 2011;33(suppl 1):21-5.
https://doi.org/10.1590/S0101-28002011000200016

29. Pinheiro DR, Pinheiro AP, Martelli MC. Estudo da qualidade da água utilizada em hemodiálise [resumo]. Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química; 2014 Out 19-22; Florianópolis (SC). Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina; 2015. p. 8670-7.

30. Yu G, Wang J, Liu L, Li Y, Zhang Y, Wang S. The analysis of groundwater nitrate pollution and health risk assessment in rural areas of Yantai, China. BMC Public Health. 2020;20(1):437. https://doi.org/10.1186/s12889-020-08583-y

31. Braimoh RW, Mabayoje MO, Amira CO, Coker H. Quality of hemodialysis water in a resource-poor country: the Nigerian example. Hemodial Int. 2012; 16(4):532-8. https://doi.org/10.1111/j.1542-4758.2012.00682.x

32. Shahryari A, Nikaeen M, Hatamzadeh M, Vahid Dastjerdi M, Hassanzadeh A. Evaluation of bacteriological and chemical quality of dialysis water and fluid in Isfahan, Central Iran. Iran J Public Health. 2016;45(5):650-6. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4935709/pdf/IJPH-45-650.pdf

Arquivos adicionais

Publicado

2021-12-30

Como Citar

Bentes, V. de S. ., & Meschede, M. S. C. (2021). Qualidade da água utilizada em serviços de hemodiálise antes e após passar por sistema de tratamento em Santarém, Oeste do Pará, Amazônia. Revista Do Instituto Adolfo Lutz, 80, 1–13,e37246. https://doi.org/10.53393/rial.2021.v80.37246

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL