Tecnologia e comunicação no Programa Saúde da Família

  • Janaína Aparecida Covas Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo
Palavras-chave: Comunicação em Saúde;, Programa Saúde da Família;, Sistema Único de Saúde

Resumo

A comunicação entre os profissionais que fazem parte do Programa Saúde da Família (PSF) inserido no Sistema Único de Saúde (SUS) e seus pacientes, que vivem em regiões vulneráveis e enfrentam condições precárias de vida diária, é uma questão bastante desafiadora. Pensar em estratégias de comunicação diante de tantas tecnologias existentes em pleno século XXI, parece ser simples e logo se apresentam várias possibilidades. As tecnologias de transmissão de dados estão sempre sendo aprimoradas permitindo que a Internet atinja velocidades cadavez maiores. A nossa comunicação, que já ultrapassa fronteiras jamais pensadas por nossos antepassados, atualmente ocorre em questão de segundos. Essa facilidade nos beneficia possibilitando a otimização do nosso tempo e nos proporcionando maior qualidade de vida. O ensaio a seguir é uma reflexão sobre quem tem acesso a essas tecnologias e como ocorre a comunicação inicial no Programa Saúde da Família do Sistema Único de Saúde, em um país com tantas desigualdades sociais. Em sua maior parte, os pacientes do SUS, residem em regiões vulneráveis emque a precariedade das condições de vida diária são visíveis aos olhos. Diante de tamanha dualidade, é necessário que o primeiro contato entre os profissionais do Programa Saúde da Família e as pessoas atendidas seja realizado de maneira direta e pessoal, usando a visita domiciliar como estratégia de atendimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janaína Aparecida Covas, Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo
Janaína Aparecida Covas é Assistente Social, com especialização em Política e Relações Internacionais. Atuou por dois anos como docente no curso de Serviço Social, trabalhou em diferentes ONG atendendo diretamente crianças, adolescentes e idosos. Desde 2009 atua especificamente na Saúde Pública Primária de São Paulo, atendendo diversas situações e demandas de vulnerabilidade social.

Referências

01. Teixeira SF, coordenadores. Antecedentes da reforma sanitária. Rio de Janeiro: Fiocruz; 1988.
02. Brasil, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal; 1988.
03. Brasil. Presidência da República. Casa Civil. Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União 1990; 20 set.
04. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção À Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. 4. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.
Publicado
2020-07-01
Como Citar
Covas, J. A. (2020). Tecnologia e comunicação no Programa Saúde da Família. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 21(1), 71-74. https://doi.org/10.52753/bis.2020.v21.36729