Avaliação das dimensões organizacionais e de desempenho dos serviços de saúde que atuam no controle da tuberculose em municípios do Estado de São Paulo

Autores

  • Tereza Cristina Scatena Villa é professora titular do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP).
  • Antônio Ruffino Netto é professor titular do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP).
  • Silvia Helena de Figueiredo Vendramini é professora doutora do Departamento de Enfermagem Saúde Coletiva e Orientação Profi ssional da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP).
  • Maria Rita Maria Rita Bertolozzi é professora livre docente do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EERP-USP).
  • Rubia Laine de Paula Andrade é enfermeira, doutoranda do Programa de Pós-graduação Interunidades de Doutoramento em Enfermagem na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP).
  • Maria Amélia Zanon Ponce é enfermeira, doutoranda do Programa de Pós-graduação Enfermagem em Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP).

Palavras-chave:

Tuberculose, avaliação de serviços de saúde, atenção primária de saúde

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar as dimensões organizacionais e de desempenho dos serviços de saúde que atuam no controle da tuberculose (TB) em municípios do Estado de São Paulo, no ano de 2007. Trata-se de um estudo descritivo, realizado na Sé, em São Paulo, em Ribeirão Preto (RP) e São José do Rio Preto (SJRP), utilizando um instrumento baseado no The Primary Care Assessement Tool (PCAT) para avaliação da organização e desempenho dos serviços no controle da TB no Brasil, referentes às dimensões: porta de entrada, acesso, vínculo, elenco de serviços, coordenação, enfoque na família e orientação para a comunidade. Indicadores foram construídos a partir da média dos escores de resposta, sendo classifi cados em satisfatório, regulares e insatisfatórios. Em RP e SJRP, foram obtidos desempenhos satisfatórios com as dimensões: acesso ao diagnóstico, tratamento, vínculo; e insatisfatórios as de caráter coletivo, como enfoque na família e comunidade. Dentre
os gestores, notou-se um desconhecimento sobre as ações de TB realizadas em seu território. Na supervisão da Sé, as avaliações entre doentes e gerentes mostraram-se divergentes, mas o vínculo e os benefícios oferecidos foram considerados determinantes à adesão ao tratamento. Recomenda-se assegurar adequadas condições para a incorporação das ações de diagnóstico e tratamento da TB com capacitação das equipes para executá-las.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

1. Arcêncio RA, Arakawa T, Oliveira MF, Cardozo Gonzales RI, Scatena LM, Ruffi no Netto A, Villa Tereza Cristina Scatena. Barreiras Econômicas na Acessibilidade ao Tratamento da Tuberculose em Ribeirão Preto- São Paulo. Rev Esc Enferm 2011. (no prelo).
2. Bataiero MO. Acesso, vínculo e adesão ao tratamento para a tuberculose: dimensões organizacionais e de desempenho dos serviços de saúde. [Dissertação]. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 2009.
3. Brunello MEF, Cerqueira DF, Pinto IC, Arcêncio RA, Cardozo-Gonzales RI, Villa TCS, et al. Patient-Health professional bonding in the Tuberculosis care. Acta Paul Enferm 2009; 22(2):176-82.
4. Curto M, Scatena LM, Andrade RLP, Palha PF, Assis EG, Scatolin BE et al. Controle da tuberculose: percepção dos doentes sobre orientação a comunidade e participação comunitária. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 2010; 18(5): 983-989.
5. Macinko J, Almeida C. Validação de uma metodologia de avaliação rápida das características organizacionais e do desempenho dos serviços de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) em nível local. Brasília: OPAS/OMS/MS; 2006, p.215.
6. Oliveira MF, Arcencio RA, Ruffi no Netto A, Scatena LM, Villa TCS. Acesso ao diagnóstico da tuberculose no município de Ribeirão Preto – SP: a porta de entrada (2006-2007). Rev Esc Enferm 2011. (no prelo).
7. Oliveira SAC, Ruffi no-Netto A, Villa TCS, Vendramini SHF, Andrade RLP, Scatena LM. Health services in tuberculosis control: family focus and community orientation. Revista LatinoAmericana de Enfermagem 2009; 17(3): 361 - 367.
8. Ponce MAZ, Vendramini SHF, Santos MR, Santos MLSG, Scatena LM, Villa TCS. Vínculo profi ssional-doente no tratamento da tuberculose: desempenho da atenção básica em município do interior paulista. Revista Latino-Americana de Enfermagem 2011. (no prelo).
9. Protti ST, Silva LMC, Palha PF, Villa TCS, Ruffi no-Neto A, Nogueira JA et al . A gerência da Unidade Básica de Saúde no controle da tuberculose: um campo de desafi os. Rev Esc Enferm 2010; 44(3): 665-670.
10. Quintero MCF. Atenção Básica em Saúde: Acesso ao Diagnóstico da Tuberculose em São José do Rio Preto-SP. [Dissertação]. São José do Rio Preto: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto; 2010.
11. Scatena LM, Villa TCS, Rufi no-Netto A, Kritski AL, Figueiredo, TMRM Vendramini SHF et al. Difi culdades de acesso a serviços de saúde para diagnóstico de tuberculose em municípios do Brasil. Revista Saúde Pública 2009; 43(3):389-97.
12. Starfi eld B. Atenção Primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Ministério da Saúde /Unesco; 2002. p.725.
13. Villa TCS, Ruffi no-Netto A. Questionário para avaliação de desempenho de serviços de atenção básica no controle da tuberculose no Brasil. J Bras Pneumol 2009; 35(6): 610-12.

Downloads

Publicado

2020-07-01

Como Citar

Villa, T. C. S., Netto, A. R., Vendramini, S. H. de F., Maria Rita Bertolozzi, M. R., Andrade, R. L. de P., & Ponce, M. A. Z. (2020). Avaliação das dimensões organizacionais e de desempenho dos serviços de saúde que atuam no controle da tuberculose em municípios do Estado de São Paulo. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 13(1), 60–65. Recuperado de https://periodicos.saude.sp.gov.br/bis/article/view/33663