Prevalência do consumo abusivo de álcool em homens no estado de São Paulo: apontamentos para uma abordagem do alcoolismo na Atenção Básica à Saúde

Autores

  • Maria de Lima Salum Morais é psicóloga, doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisadora científica do Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  • Tereza Etsuko da Costa Rosa é psicóloga, doutora em Saúde Pública pela USP, pesquisadora científica do Instituto de Resumo Abstract Prevalence of heavy alcohol consumption in men in the State of São Paulo: registers for an approach of the question of alcoholism in the Primary Attention to Health Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo
  • Celso Luís de Moraes é enfermeiro da Atenção Básica do município de Campinas (SP), aluno do mestrado profissional em Saúde Coletiva do Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.2012.v14.33720

Palavras-chave:

Consumo abusivo de álcool, Saúde do homem, Prevenção e detecção precoce

Resumo

O consumo abusivo de álcool - grave problema da saúde pública, tanto por sua alta incidência quanto pelas consequências psicossociais e danos à saúde física e
mental do usuário - acomete principalmente a população masculina. O presente estudo teve por objetivos verificar a prevalência de morbidade e mortalidade decorrentes do abuso de álcool no estado de São Paulo, com foco na população masculina, e realizar alguns apontamentos para uma abordagem do alcoolismo na Atenção Básica à Saúde. Foram consolidadas informações do SIH/SUS sobre a prevalência de internações por agravos associados ao abuso de álcool em 2011 e dados do SIM de 2010 sobre a mortalidade pelo mesmo motivo. Constatou-se predomínio de internações masculinas por agravos associados direta ou indiretamente à ingestão abusiva de álcool em todas as regiões do estado de São Paulo (no total, 89,72% de homens, versus 10,28% de mulheres). Encontrou-se maior prevalência de
internações em homens com idade entre 30 e 59 anos. Dados de mortalidade confirmaram maior prevalência em homens de doenças relacionadas com o consumo
excessivo de álcool. Apesar de os dados apontarem para a necessidade da prevenção do consumo abusivo de álcool, raramente os serviços básicos de saúde detectam
precocemente o hábito de beber excessivamente. Sugere-se que as estratégias de prevenção e tratamento do alcoolismo partam da ampliação dos conhecimentos
sobre a complexidade da questão, inclusive sobre prováveis determinantes socioculturais e da dimensão psíquica dos sujeitos envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

1. Andrade AG, Duarte PCAV, Oliveira LG, organizadores. I Levantamento nacional sobre o uso de álcool, tabaco e outras drogas entre universitários das 27 capitais brasileiras. Brasília(DF): SENAD; 2010.
2. Andrade LHSG, Viana MC, Silveira CM. Epidemiologia dos transtornos psiquiátricos na mulher. Rev Psiquiatr Clín. 2006;33(2): 43-54.
3. Andrade ZA. As relações entre álcool e fibrose hepática. Arq Méd ABC. 2006 Supl 2; 17-8.
4. Aquino MTC. A mulher e a droga: motivação para o uso, efeitos diferenciados, tratamento e possibilidades de prevenção. In: Baptista M, Inem C, organizadores. Toxicomanias: uma abordagem multidisciplinar. Rio de Janeiro: NEPAD/UERJ, Sete Letras; 1997.
5. Barros MBA, Botega NJ, Dalgalarrondo P, Marín-Leon L, Oliveira HB. Prevalência da dependência de álcool e fatores associados em estudo de base populacional. Rev Saúde Pública. 2007;41:502-509.
6. Botega NJ, Mitsuushi GN, Azevedo RC, Lima DD, Fanger PC, Mauro ML, Gaspar KC, Silva VF. Depression, alcohol use disorders and nicotine dependence among patients at a general hospital. Rev Bras Psiquiatr. 2010;32(3):250-6.
7. Brasil. Ministério da Saúde. A política do Ministério da Saúde para a atenção integral a usuários de álcool e outras drogas [monografia na internet]. 2.ed. Brasília; 2004. [acesso em 5 abr 2012] . Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf
8. Brasil. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Relatório brasileiro sobre drogas [monografia na internet]. Brasília; 2009 [acesso em 25 maio 2012]. Disponível em: portal.mj.gov.br/services
9. Carlini E.A, Galduróz JCF, Noto AR, Nappo AS. I Levantamento domiciliar sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil – 2001. Brasília(DF): SENAD; 2002.
10. Carlini EA, Galduróz JCF, Noto AR, Nappo AS. II Levantamento domiciliar sobre o uso de drogas no Brasil: estudo envolvendo as 108 maiores cidades do país – 2005. Brasília(DF):SENAD; 2007.
11. Costa-Rosa A. Subjetividade e uso de drogas. In: Conselho Regional de Psicologia da 6ª Região. Álcool e outras drogas. São Paulo; 2011. p.75-90.
12. Gazal-Carvalho C, Carlini-Cotrim B, Silva AO, Sauaia N. Prevalência de alcoolemia em vítimas de causas externas admitidas em centro urbano de atenção ao trauma. Rev Saúde Pública. 2002;36(1):47-54.
13. Greve, JMA. Álcool e vítimas de acidentes de trânsito no pronto-socorro central do HC-FMUSP. São Paulo: Divisão de Reabilitação do Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas; 1999.
14. Henrique IFC, Micheli D, Lacerda RB, Lacerda LA, Formigon, MLOS. Validação da versão brasileira do teste de triagem do envolvimento com álcool, cigarro e outras substâncias (ASSIST). Rev Assoc Med Bras. 2004;50(2):199-206
15. Laurenti R, Jorge MHPM, Gotlieb SLD. Perfil epidemiológico da morbi-mortalidade masculina. Ciênc Saúde Coletiva. 2005;10(1):35-46.
16. Lotufo-Neto F, Gentile V. Alcoholism and phobic anxiety: a clinical-demographic comparison. Addiction. 1994;89(4):447-53.
17. Melman CH. Alcoolismo, delinqüência, toxicomania: uma outra forma de gozar. São Paulo:Escuta; 1992.
18. Mombelli MA, Marcon SS, Costa JB. Caracterização das internações psiquiátricas para desintoxicação de adolescentes dependentes químicos. Rev Bras Enferm. 2010; 63(5):735-40.
19. Paiva DP, Araújo LF, Pereira SM, Ronzani TM, Lourenço LM. O estudo da comorbidade entre fobia social e álcool. Psicol Pesquisa. 2008;2(1): 40-45.
20. Silva LVER, Malbegier A, Stempliuk VA, Andrade AG. Fatores associados ao consumo de álcool e drogas entre estudantes universitários. Rev Saúde Pública. 2006:40(2):280-8.
21. Souza M L P. Expansão do PSF e identificação dos problemas relacionados ao abuso de álcool no Brasil. Rev Brasil Psiquiatr. 2005;27(4):342-3.
22. Stipp MDC, Leite JL, Cunha NM, Assis LS, Andrade MP, Simões RD. Álcool, doenças cardiovasculares e a enfermagem. Nery Rev Enferm. 2007;11(4):581-5.
23. World Health Organization. Global status report on alcohol and health [monografia na internet]. Geneva; 2011[acesso em
13 maio 2012]. Disponível em: http://www.who.int/substance_abuse/publications/global_alcohol_report/msbgsruprofiles.pdf

Downloads

Publicado

2012-08-31

Como Citar

Morais, M. de L. S., Rosa, T. E. da C., & Moraes, C. L. de. (2012). Prevalência do consumo abusivo de álcool em homens no estado de São Paulo: apontamentos para uma abordagem do alcoolismo na Atenção Básica à Saúde. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 14(1), 73–79. https://doi.org/10.52753/bis.2012.v14.33720

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>