Metilfenidato no tratamento do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade em crianças e adolescentes

Autores

  • Sonia Isoyama Venancio é Médica e diretora do Centro de Tecnologias de Saúde para o SUS-SP, Instituto de Saúde/SES-SP.
  • Rui de Paiva é Médico e pesquisador colaborador do Centro de Tecnologias de Saúde para o SUS-SP, Instituto de Saúde/SES-SP.
  • Tereza Setsuko Toma é Médica, pesquisadora e Diretor Técnico de Saúde I do Núcleo de Análise e Projetos de Avaliação de Tecnologias de Saúde do Instituto de Saúde (NAPATS/IS/SES-SP).
  • José Ruben de Alcântara Bonfim é médico Sanitarista e pesquisador do Núcleo de Análise e Projetos de Avaliação de Tecnologias de Saúde do Instituto de Saúde/SES – SP.

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.2013.v14.34138

Palavras-chave:

Metilfenidato, ranstorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade, Crianças e Adolescentes

Resumo

O metilfenidato é um estimulante do sistema nervoso central, com efeitos mais proeminentes na atividade mental do que na atividade motora.  O modo de ação não é completamente conhecido, mas uma ação chave parece ser a inibição do transporte de dopamina. É indicado como parte de um programa amplo de tratamento do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), que deve incluir medidas psicológicas, educacionais e sociais, em adultos e crianças acima de 6 anos de idade. Esta revisão analisou a eficácia e segurança do metilfenidato no tratamento de crianças e adolescentes com diagnóstico de TDAH. Fez-se busca bibliográfica em dezembro de 2012 na base de dados Center for Reviews and Dissemination (CRD), com a finalidade de identificar informes de Avaliação de Tecnologias de Saúde. De 54 registros, três foram selecionados para análise. Após análise destes documentos realizou-se busca por ensaios clínicos randomizados nas bases PUBMED e EMBASE, divulgados de 1 de junho de 2010 a 22 de fevereiro de 2013, porém nenhum foi selecionado para análise. As evidências científicas apontam as terapias de comportamento como primeira escolha no tratamento de crianças com TDAH até os 6 anos de idade. Acima desta idade o metilfenidato é indicado como fármaco de primeira escolha, devendo-se considerar a indicação de terapias de comportamento associadas, especialmente para crianças até os doze anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

1. Aagaard L, Hansen EH. Adverse drug reactions from psychotropic medicines in the paediatric population: analysis of reports to the Danish Medicines Agency over a decade. BMC Research Notes [periódico na internet ]. 2010 [acesso em 25 mar 2013 ]; 3:176. Disponível em: http://www.biomedcentral.com/content/pdf/1756-0500-3-176.pdf [ Links ]
2. Aagaard L, Hansen EH. The occurrence of adverse drug reactions reported for attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) medications in the pediatric population: a qualitative review of empirical studies. Neuropsychiatr Dis Treat [periódico na internet ]. 2011 [acesso em 25 mar 2013 ];7:729-44. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3256000/pdf/ndt-7-729.pdf [ Links ]
3.American Academy of Pediatrics. Subcommittee on Attention-Deficit/Hyperactivity Disorder, Steering Committee on Quality Improvement and Management. ADHD: clinical practice guideline for the diagnosis, evaluation, and treatment of attention-deficit/hyperactivity disorder in children and adolescents. Pediatrics [periódico na internet ]. 2011 [acesso em 25 fev 2012 ];128(5):1007-22. Disponível em: http://pediatrics.aappublications.org/content/early/2011/10/14/peds.2011-2654.full.pdf+html [ Links ]
4. American Psychiatric Association. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Dornelles C, tradutor. 4. ed. Porto Alegre: Artmed; 2003. [ Links ]
5. ANVISA- Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Prescrição e consumo de metilfenidato no Brasil: identificando riscos para o monitoramento e controle sanitário. Boletim de Farmacoepidemiologia [periódico na internet ]. 2012 [acesso em 20 fev 2013 ];2(2):1-14. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/c4038b004e996487ada1af8a610f4177/boletim_sngpc_2_2012+corrigido+2.pdf?MOD=AJPERES [ Links ]
6. CADDRA - Canadian Attention Deficit Hyperactivity Disorder Resource Alliance. Canadian ADHD Practice Guidelines (CAP-Guidelines) [monografia na internet ]. 3.ed. Ontário; 2011. [acesso em 25 fev 2012 ]. Disponível em: http://www.caddra.ca/cms4/pdfs/caddraGuidelines2011.pdf [ Links ]
7.Charach A, Dashti B, Carson P, Booker L, Lim CG, Lillie E, et al. Attention Deficit Hyperactivity Disorder: effectiveness of treatment in at-risk preschoolers; long-term effectiveness in all ages; and variability in prevalence, Diagnosis, and Treatment [monografia na internet ]. Rockville, MD: Agency for Health Care Research and Quality; 2011. (Comparative Effectiveness Review, 44). [acesso em 15 dez 2012 ]. Disponível em: http://www.effectivehealthcare.ahrq.gov/reports/final.cfm. [ Links ]
8. Dobie C, Donald WB, Hanson M, Heim C, Huxsahl J, Karasov R, et al. Diagnosis and management of attention deficit hyperactivity disorder in primary care for school-age children and adolescents [monografia na internet ]. Bloomington (MN): Institute for Clinical Systems Improvement; 2012. 79 p. [acesso em 25 fev 2012 ]. Disponível em: http://guideline.gov/content.aspx?id=36812&search=attention-deficit%2fhyperactivity+disorder+and+attention-deficit%2fhyperactivity+disorder [ Links ]
9. King S, Griffin S, Hodges Z, Weatherly H, Asseburg C, Richardson G, et al. A systematic review and economic model of the effectiveness and cost-effectiveness of methylphenidate, dexamfetamine and atomoxetine for the treatment of attention deficit hyperactivity disorder in children and adolescents. Health Technol Assess [periódico na internet ]. 2006 [acesso em 15 dez 2012 ];10(23). Disponível em: http://www.hta.ac.uk/fullmono/mon1023.pdf [ Links ]
10. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes metodológicas: elaboração de pareceres técnico-científicos [monografia na internet ]. 3. ed. rev.atual. Brasília (DF); 2011. 80 p. (Série A. Normas e manuais técnicos). [acesso em 23 jan 2012 ]. Disponível em:http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/DiretrizesPTC.pdf
11. NICE. National Institute for Health and Clinical Excellence. Attention deficit hyperactivity disorder. Diagnosis and management of ADHD in children, young people and adults [monografia na internet ]. London (UK); 2008. 59 p. (Clinical guideline, n. 72). [acesso em 25 fev 2012 ]. Disponível em: http://guideline.gov/content.aspx?id=14325&search=attention-deficit%2fhyperactivity+disorder+and+attention-deficit%2fhyperactivity+disorder [ Links ]
12. NICE. National Institute for Health and Clinical Excellence. Methylphenidate, atomoxetine and dexamfetamine for attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) in children and adolescents [monografia na internet ]. London (UK); 2006. 34p. (Review of Technology Appraisal, 13). [acesso em 15 dez 2012 ]. Disponível em: http://guidance.nice.org.uk/TA98/Guidance/pdf/English [ Links ]
13. Organização Mundial de Saúde. Classificação de transtornos mentais e de comportamentos da CID-10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre: Artmed; 1993. [ Links ]
14. Ortega F, Barros D, Caliman L, Itaborahy C, Junqueira L, Ferreira CP. Ritalin in Brazil: production, discourse and practices. Interface: Comum Saude Educ [periódico na internet ]. 2010 [acesso em 15 dez 2012 ];14(34):499-512. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v14n34/aop1510.pdf [ Links ]
15. Pastura G, Mattos P, Araujo APQC. Prevalência do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e suas comorbidades em uma amostra de escolares. Arq Neuropsiquiatr [periódico na internet ]. 2007 [acesso em 15 dez 2012 ];65:1078-83. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/anp/v65n4a/a33v654a.pdf [ Links ]
16. Santos LF, Vasconcelos LA. Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade em Crianças: Uma Revisão Interdisciplinar. Psicologia: Teoria e Pesquisa [periódico na internet ]. 2010 [acesso em 15 dez 2012 ];26(4):717-72. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v26n4/15.pdf [ Links ]
17. SIGN. Scottish Intercollegiate Guidelines Network . Management of attention deficit and hyperkinetic disorders in children and young people: a national clinical guideline [monografia na internet ]. Edinburgh (Scotland); 2009. 52p. (SIGN publication, 112). [acesso em 25 fev 2012 ]. Disponível em: http://guideline.gov/content.aspx?id=15540&search=attention-deficit%2fhyperactivity+disorder+and+attention-deficit%2fhyperactivity+disorder+and+%22attention-deficit%2fhyperactivity+disorder%22+and+%22attention-deficit%2fhyperactivity+disorder%22 [ Links ]
18. Silva EJC. Transtornos do déficit de atenção com hiperatividade em adolescentes. Adolesc Saúde [periódico na internet ]. 2005 [acesso em 15 dez 2012 ];2(2):25-9. Disponível em: http://www.adolescenciaesaude.com/detalhe_artigo.asp?id=171 [ Links ]
19. Venancio SI, Paiva R, Toma TS. Uso do metilfenidato no tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDHA) em crianças e adolescentes: parecer técnico-científico [monografia na internet ]. São Paulo: Instituto de Saúde, 2013. 30p. [acesso em 25 mar 2013 ]. Disponível em:http://www.saude.sp.gov.br/resources/instituto-de-saude/homepage/pdfs/pdfs-em-geral/ptc_metilfenidato.pdf [ Links ]

I Bula de Ritalina (cloridrato de metilfenidato, Novartis). [acesso em 15 de dezembro de 2012. Disponível em http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM%5B26162-1-0%5D.PDF
II National Guideline Clearinghouse é uma iniciativa da Agency for Healthcare Research and Quality, dos Estados Unidos; http://guideline.gov/index.aspx
III O sistema GRADE (Grading of Recommendations Assessment, Development and Evolution) classifica as recomendaçoes como fortes ou fracas e é utilizado como referência por diversas agências de regulação de saúde (www.gradingworkinggroup.org). A qualidade das provas é apresentada pelas letras A (alta qualidade), B (moderada), C (baixa) e D (muito baixa). A força da recomendação é de 1 (forte) a 2 (fraca).
IV Informação obtida da Lista de fármacos para solicitação de elaboração de parecer técnico científico, da CCTIES/SES-SP.21/11/2012

Downloads

Publicado

2013-05-31

Como Citar

Venancio, S. I., Paiva, R. de, Toma, T. S., & Bonfim, J. R. de A. (2013). Metilfenidato no tratamento do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade em crianças e adolescentes. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 14(2), 237–246. https://doi.org/10.52753/bis.2013.v14.34138

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>