Editorial

Autores

  • Tereza Setsuko Toma Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Instituto de Saúde
  • Jorge Otávio Maia Barreto Fundação Oswaldo Cruz.
  • Maria Sharmila A. de Sousa
  • Claire Glenton Norwegian Institute of Public Health.
  • Cassia Baldini Soares Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem.

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.2019.v20.34463

Palavras-chave:

Saúde coletiva

Resumo

Prezados leitores,

Neste ano, em que o Instituto de Saúde está comemorando seu 50º aniversário, é com grande satisfação que oferecemos esta edição do BIS, com o propósito de discutir a relevância das evidências qualitativas para iluminar a tomada de decisão em políticas de saúde. Em todo mundo tem crescido o interesse pelas evidências qualitativas, diante da percepção de que os processos de tomada de decisão precisam considerar fatores relacionados com o contexto social, cultural e axiológico, especialmente para a implementação das políticas públicas, a fim de melhorar sua efetividade. Nesse contexto, as sínteses de evidências qualitativas (SEQ) figuram como a primeira linha de esforços para sistematizar e traduzir, de forma transparente, o conhecimento científico disponível nos estudos qualitativos primários, a fim de torná-lo um subsídio acessível em tempo oportuno para a tomada de decisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Setsuko Toma, T. ., Maia Barreto, J. O., Sharmila A. de Sousa, M., Glenton, C., & Baldini Soares, C. (2020). Editorial. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 20(2), 2–4. https://doi.org/10.52753/bis.2019.v20.34463

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)