Mestrado profissional em saúde coletiva

um programa de formação em defesa do SUS

Autores

  • Sonia Isoyama Venâncio Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Instituto de Saúde
  • Tereza Etsuko da Costa Rosa Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Instituto de Saúde

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.2019.v20.34543

Palavras-chave:

Pós-graduação, Mestrado profissional, Saúde coletiva

Resumo

O desenvolvimento dos mestrados profissionais em saúde coletiva constitui uma oportunidade para reflexão acerca da situação atual e das tendências da própria área, enquanto campo de saber e práticas. Trata-se de uma modalidade de formação de pessoal que além de primar pela produção de conhecimento, detém um significado estratégico para a qualificação dos sujeitos que atuam na gestão e operacionalização das políticas e práticas de saúde em consonância com o ideário da reforma sanitária no nosso país. Esse artigo tem por objetivo apresentar o Programa de Mestrado Profissional em Saúde Coletiva do Instituto de Saúde, seu projeto político-pedagógico, o perfil dos docentes e alunos e as temáticas trabalhadas nos projetos de pesquisa desenvolvidos no âmbito do Programa. Além disso, traz reflexões sobre os desafios e lições aprendidas ao longo de nove anos de implementação da proposta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Batista KBC, Gonçalves OSJ. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde Soc. São Paulo: 2011; v.20, n.4, p.884-899. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902011000400007

Campos GWS. SUS: o que e como fazer? Rev Ciência Saúde Coletiva. 2018; 23(6):1707-1714. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.05582018

Carvalheiro JR. Investigação em serviços de saúde: qual é o seu problema? Rev Saúde Soc. 1994;3(2): 64-111. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12901994000200005

Carvalheiro JR. La implantación del SUS em Brasil y los polos tecnológicos. OPS, 1993.

Carvalheiro JR. Um instituto em busca de sua identidade. In: Escuder MML, Venancio SI, Bogus CM, Martins MCF organizadores. Aprimoramento em saúde coletiva: refexões, organizadores. São Paulo: Instituto de Saúde, 2000.

Cesse EAP, Veras MASM. Mestrado profissional em saúde coletiva: uma modalidade de formação para o sistema de saúde brasileiro. Boletim do Instituto de Saúde. 2014; 15.7. Donato AF. Algumas considerações sobre tendências pedagógicas e educação e saúde. Boletim do Instituto de Saúde. 2009; 48.

Goldbaum M. Mestrado profissionalizante em saúde coletiva. In: Leal MC, Freitas CM, organizadores. Cenários possíveis: experiências e desafios do mestrado profissional na saúde coletiva. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2006.

Lavis JN et al. How can research organizations more effectively transfer research knowledge to decision makers? Milbank Q. 2003; 81:221. DOI: https://doi.org/10.1111/1468-0009.t01-1-00052

Noronha JC, Lima LD, Machado CV. O Sistema Único de Saúde – SUS. In: Giovanella L, Escorel S, Lobato, LVC, Noronha JC, Carvalho AI, organizadores. Políticas e sistemas de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008.

Secretaria de Estado da Saúde (BR). Instituto de Saúde. Relatório de atividades 2012. São Paulo, 2018.

Teixeira CF. Investigação em sistemas e serviços de saúde: novos problemas e objetos, abordagens e estratégias. Rev Saúde Soc. 1997; 6(1): 11-24. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12901997000100003

Tran N, Langlois EV, Reveiz L, Varallyay I, Elias V, Mancuso A, et al. Embedding research to improve program implementation in Latin America and the Caribbean. Rev Panam Salud Publica. 2017; 41:e75. DOI: https://doi.org/10.26633/RPSP.2017.68

Downloads

Publicado

2019-07-31

Como Citar

Venâncio, S. I., & Etsuko da Costa Rosa, T. . (2019). Mestrado profissional em saúde coletiva: um programa de formação em defesa do SUS. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 20(1), 21–28. https://doi.org/10.52753/bis.2019.v20.34543

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>