Cidade, loucura e higiene: questões que se perpetuam na cultura psiquiátrica e social brasileira

Autores

  • Ana Paula Plantier Mestre em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Psicóloga.
  • Aurea Ianni Pós-doutora pela Universidade Estadual de Campinas. Professora Livre Docente da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2017.v13.33852

Palavras-chave:

Loucura, Cidade, Higiene

Resumo

O presente trabalho analisa e discute o contexto social e histórico de emergência da loucura no século XIX, enquanto um problema social e urbano, bem como a institucionalização da psiquiatria no Brasil.

Referências

AMARANTE, P. Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. Rio de Janeiro: FioCruz, 1995.
CASTEL, R. A ordem psiquiátrica: a idade de ouro do alienismo. Rio de Janeiro: Graal, 1978.
COSTA, J.F. História da psiquiatria no Brasil. 4.ed. Rio de Janeiro: Xenon, 1989.
CUNHA, M.C.P. O espelho do mundo: Juquery, a história de um asilo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.
______. Cidadelas da ordem: a doença mental na República. São Paulo: Brasiliense; 1990.
ENGEL, M.G. Os delírios da razão: médicos, loucos e hospícios (Rio de Janeiro,1830-1930). Rio de Janeiro: Editora FioCruz, 2001.
FOUCAULT, M. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 1972.
_________. O nascimento da Medicina Social. In: FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Trad. e Revisão técnica Machado, R. São Paulo: Graal, 1993. p.79-98.
HOBSBAWM, E. IntroduM Revisão técnica Machado, R. São Paulo: : O Novo S Revisão técnica MacAntonio Polito. Srad. do italiano para o ingl, 1999. p.6-11.
LOPES, J.L. A psiquiatria e o velho hospício. J Bras Psiquiatria, 1965; 14(1-2):117-30.
MACHADO, R. et al. Danação da norma: medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Graal; 1978.
MATOS, R. Migração e urbanização no Brasil. Belo Horizonte, 2012; 8(1):7-23.
MEDEIROS, T. Formação do modelo assistencial psiquiátrico no Brasil. Dissertação de Mestrado, Rio de Janeiro: Instit Psiquiatria, UFRJ, 1977.
NUNES, E.D. Sobre a história da saúde pública: ideais e autores. Ciência & Saúde Coletiva. 2000; 5(2):251-64.
RESENDE, H. Política de saúde mental no Brasil: uma visão histórica. In: TUNDIS, S.A.;COSTA, N.R. (orgs.). Cidadania e loucura: políticas de saúde mental no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2001. 101
RIOS VDB. “O ‘Asylo’, uma necessidade indeclinável de organização social”: indagações em torno do questionário de internamento do Asilo São João de Deus. História, Ciências, Saúde. Rio de Janeiro, 2008; 15(4):989-1012.
SOUZA VS. Por uma nação eugênica: higiene, raça e identidade nacional no movimento eugênico brasileiro dos anos 1910 e 1920. Revista Brasileira de História da Ciência. Rio de Janeiro, 2008; 1(2):146-166.
VENANCIO ATA. Da colônia agrícola ao hospital-colônia: configurações para a assistência psiquiátrica no Brasil na primeira metade do século XX.
História, Ciências, Saúde. Rio de Janeiro, dez. 2011; 18(1):35-52.
YASUI S. Rupturas e encontros: desafios da reforma psiquiátrica brasileira. Rio de Janeiro: FioCruz; 2010.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

Plantier, A. P., & Ianni, A. (2017). Cidade, loucura e higiene: questões que se perpetuam na cultura psiquiátrica e social brasileira. Cadernos De História Da Ciência, 13(1), 82–101. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2017.v13.33852