Nascimento e Desenvolvimento de Sistemas de Ciência, Tecnologia e Inovação na América Latina: uma Visão Histórica

Autores

  • Amilcar Baiardi Professor permanente do Programa de Ensino, Filosofia e História das Ciências-UFBA/UEFS, e Professor Titular da UFBA/UFRB.

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2011.v7.34380

Palavras-chave:

Sistemas nacionais de ciência e tecnologia, Políticas de Ciência e Tecnologia, História da institucionalização da ciência

Resumo

Os sistemas nacionais de ciência e tecnologia não nasceram espontaneamente nos países da América Latina. Eles foram induzidos por forças externas e por forças internas. As forças externas seriam as sugestões e condicionamentos estabelecidos pelas agências das Nações Unidas, e também os resultados de acordos de cooperação internacional, inclusive no campo da segurança entre blocos de nações. Como forças internas mencionam-se a mobilização das comunidades científicas, a vontade política de governantes e dirigentes partidários e também algumas pressões exercidas pelas classes empresariais. Na América Latina os sistemas nacionais de ciência e tecnologia não são implantados de forma completa, não apresentando, entre eles, uma sincronia de nascimento e construção. Da mesma forma, foram diferentes as vicissitudes e os arranjos de implantação, o que faz com que eles funcionem de modo desigual no conjunto de nações latino-americanas.

Referências

Baiardi A. Sociedade e Estado no apoio à ciência e tecnologia – uma análise histórica. São Paulo: Hucitec,1996.
______; Santos AVS. (Orgs). A ciência e a sua institucionalização na Bahia: reflexões sobre a segunda metade do Século XX e diretrizes para o Século XXI.
Cachoeira (BA)/ Salvador (BA): Mestrado em Ciências Sociais da UFRB/Instituto Rômulo Almeida de Altos Estudos, 2010.
______. A industrialização a qualquer custo e a nova política Industrial. Política Democrática. Brasília. 2011 ano(11)n(31): 79-82.
Edquist C. Systems of Innovation-technologies, institutions and organizations. London: Printer, 1997.
______. Systems of Innovation Approaches – Their Emergence and Characteristics. In: Edquist, C. (ed) Systems of Innovation – Technologies, Institutions and Organizations. London: Pinter, 1997a.
Freeman C. The “National System of Innovation” in historical perspective. Cambridge Journal of Economics. 1995. v(19)n(1).
______. Innovation systems: city-state, national, continental and sub-regional. In: Cassiolato, J.; Lastres, H. Globalização e inovação localizada. Brasília: IBICT, 1999. p.109-167
Furtado C. Formação econômica da América Latina. Rio de janeiro: Lia Editor, 1970.
Lima MC; Teixeira FLC. Inserção de um agente indutor da relação universidade--empresa em sistema de inovação fragmentado. Revista de Administração Contemporânea. 2001. v(5)n(2): 135-155.
List F. The national system of political economy. New York: Longmans, Green and Corporation, 1909.
Lundvall B. National Systems and National Styles of Innovation. Aalborg: Druid/Ike-group/University of Aalborg, 1997.
______. (Org.). National Systems of Innovation: Towards Theory of Innovation and Interactive Learning. London: Pinter, 1992.
Nelson R. (ed.) National innovation systems: a comparative analysis. Oxford: Oxford University Press, 1993.
Nelson R; Rosenberg N. Technical innovation and national systems. In: Nelson, R. Innovation systems: a comparative analysis. Oxford: Oxford University Press, 1993.
OECD. Benchmarking industry-science relationships. Paris: OECD, 2002.
Rosenberg N. Por dentro da caixa preta. Tecnologia e Economia. Campinas (SP): Editora UNICAMP, 2006.
______. Schumpeter and the endogeneity of technology: some American perspectives. London: Routledge, 2000.
Sabato J; Botana N. La ciência e la tecnologia en el desarrollo futuro de América Latina. Madri: Arbor, 1993.
Salomon JJ. Le système de la recherche. v(1), v(2), v(3). Paris: OCDE, 1972, 1973, 1974.
______. Science et politique. Paris: Economica, 1989. Stokes D. O quadrante de Pasteur: a ciência básica e a inovação tecnológica.
Campinas (SP): Editora UNICAMP, 2005.
Suzigan W; Albuquerque, EM. The underestimated role of universities for development: notes on historical roots of brazilian system of innovation . In: Anais the World Economic History Congress - Science, Technology and Economic History. Utretch: Utretch University, 2009.
Teixeira A. Carta a Monteiro Lobato, [a bordo do Queen Elizabeth], 29 jan.1947. Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira – Atc 28.06.22. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas / CPDOC p.104-107, 1986.
UNESCO. Draft Global Synthesis Report Study on National Research Systems a Meta-Review. Paris: UNESCO, 2008.
Vaccarezza LS. Ciência, tecnologia e sociedade: o estado da arte na América Latina. In: Santos LW. et al. In: Ciência, tecnologia e sociedade: o desafio da interação. Londrina: IAPAR, 2004.
Vessuri H. L’institutionalisation de la science. In: Salomón JJ et al. La quête incertaine: science, technologie, dévelopment. Paris: Economica, 1994.

Downloads

Publicado

2011-06-30

Como Citar

Baiardi, A. (2011). Nascimento e Desenvolvimento de Sistemas de Ciência, Tecnologia e Inovação na América Latina: uma Visão Histórica. Cadernos De História Da Ciência, 7(1), 35–54. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2011.v7.34380