Transferência tecnológica da vacina de influenza no acordo entre o Instituto Butantan e a Sanofis/Pasteur

Autores

  • Nelson Ibañez Professor adjunto de Medicina Social FCM da Santa Casa de São Paulo e Pesquisador do Centro de Memória do Instituto Butantan.
  • Olga Sofia Fabergé Pesquisadora Científica do Centro de Memória do Instituto Butantan
  • Suzana Cesar Gouveia Fernandes Diretoria do Centro de Memória do Instituto Butantan, pesquisadora científica do Instituto Butantan, mestrado em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da de São Paulo, doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo, pós-doutoranda da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.
  • Carlos Eduardo Dias Doutorando em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, licenciatura plena em História pela Universidade do Grande ABC e Pedagogia pela Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2020.v14.34786

Palavras-chave:

vacina de influenza, transferência tecnológica, Instituto Butantan

Resumo

O presente artigo objetiva, passados mais de cem anos da pandemia de gripe espanhola (1918-1919), analisar o processo de transferência tecnológica da vacina de  influenza   da Sanofis Pasteur para o Instituto Butantan. A metodologia da pesquisa foi a de “estudo de caso” (YIN, 1994), respondendo às questões do “porquê” e do “como” ocorreu essa transferência. Analisa-se os contextos nacional e internacional no período, valendo-se de uma revisão bibliográfica do tema e realiza-se ainda análise documental e entrevistas semiestruturadas com atores-chave. As questões relativas ao “porquê” da transferência foram vistas de forma a identificar os aspectos envolvidos com a tomada de decisão, a relevância e a oportunidade de criação de conhecimento tecnológico por parte do setor público na produção em larga escala da vacina de influenza. As questões relativas ao “como”, ou seja, ao processo em si da transferência, objetivaram identificar e analisar: os instrumentos formais (contrato de transferência de tecnologia), as etapas de implementação, fatores intervenientes, relações entre parceira (Sanofis) e Instituto, entraves institucionais, impactos econômicos e por fim discutir os resultados e as possibilidades de inovação criadas por esse processo. Os resultados alcançados pela transferência trazem à tona uma série de situações positivas e possibilidades de ganhos com a produção local e seu potencial inovador, o que na área social se dá pelo custo-benefício do ponto de vista da economia devido ao impacto nas internações e medicamentos necessários para o tratamento das pessoas contaminadas pela gripe.

Referências

CHAIMOVICH, Hernan. Entrevista concedida a Nelson Ibañez e Olga Sofia Fabergé Alves para o Projeto “PPSUS – Transferência de tecnologia da vacina de influenza". São Paulo, 11/04/2011, transcrição Sônia Claro.

MANCINI, Dalva. Entrevista concedida a Carlos Eduardo Dias e Olga Sofia Fabergé Alves para o Projeto Ciência e Cientistas do Instituto Butantan. São Paulo, 21/08/2014, transcrição CEALAG.

MEROS, Maurício. Entrevista concedida a Nelson Ibañez e Suzana César Gouveia Fernandes para o Projeto “PPSUS – Transferência de tecnologia da vacina de influenza". São Paulo, 20/04/2012, transcrição Sônia Claro.

MERCADANTE, Otávio Azevedo. Entrevista concedida a Nelson Ibañez, Maria Cristina da Costa Marques e Suzana César Gouveia Fernandes para o Projeto “PPSUS – Transferência de tecnologia da vacina de influenza". São Paulo, 17/03/2011, transcrição Sônia Claro.

MIYAKI, Cosue. Entrevista concedida a Nelson Ibañez, Olga Sofia Fabergé Alves e Suzana César Gouveia Fernandes para o Projeto “PPSUS – Transferência de tecnologia da vacina de influenza". São Paulo, 29/03/2011, transcrição Sônia Claro.

PRADO, Sally Müller. Entrevista concedida a Nelson Ibañez e Olga Sofia Fabergé Alves para o Projeto “PPSUS – Transferência de tecnologia da vacina de influenza". São Paulo, 25/04/2012, transcrição Sônia Claro.

RAW, Isaías. Entrevista concedida a Nelson Ibañez e Olga Sofia Fabergé Alves para o Projeto “PPSUS – Transferência de tecnologia da vacina de influenza". São Paulo, 28/04/2011, transcrição Flávia Urzua.

Referências Bibliográficas

ACOSTA, S. . Vital Brazil e o caso da Casa Armbrust, as relações entre a ciência os cientistas e a gestão em saúde pública. Cadernos de História da Ciência, v. 10, p. 55-76, 2015.

ARANTES, Altino. Meu diário — registro íntimo de fatos e de impressões. Arquivo do Estado de São Paulo (Aesp). Arquivo Privado de Altino Arantes (Apaa) — lócus: AP91.01.001.

BERTOLLI, C. A Gripe Espanhola em São Paulo, 1918: Epidemia e Sociedade. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2003.

BERTUCCI-MARTINS, L. Influenza, a medicina enferma: Ciência e práticas de cura na época da gripe espanhola em São Paulo. 2002. Tese (Doutorado em História) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

BRASIL. Controladoria-Geral da União. Produção, pelo convenente, dos imunobiológicos que integram o Programa Nacional de Imunizações, desenvolvido pelo Ministério da Saúde , na forma a seguir descrita: 33.900.000 doses de Vacina de influenza. Publicado no Diário Oficial da União em: 05/04/2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Campanha nacional de vacinação contra gripe 2012 de 05/05/2012 a 25/05/2012. Coberturas vacinais total Brasil. SI-PNI - Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, 2012.

BRASIL. Controladoria-Geral da União. Produção de imunobiológicos necessários às ações do Programa Nacional de Imunizações na forma a seguir descrita: vacina contra influenza: 32.750.000 doses. Publicado no Diário Oficial da União em: 19/01/2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Campanha nacional de vacinação contra gripe 2011. Iniciada em de 25/04/2011 a 13/05/2011. Coberturas vacinais totais Brasil. SI-PNI - Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, 2011.

BRASIL. Controladoria-Geral da União. Aquisição e instalação de equipamentos, visando a produção da vacina contra Influenza. Publicado no Diário Oficial da União em: 26/12/2003. Consultado em: 10/06/2012.

BRASIL. Controladoria-Geral da União. Aquisição de Imunobiológicos Contra Influenza. Publicado no Diário Oficial da União em: 08/01/2004.

BRASIL. Portal da Transparência. CEPA H5N1 – Planta Piloto 2005. Disponível em: http://www.portaltransparencia.gov.br/convenios/

CHAIMOVICH, H. Ciência, Tecnologia e Produção no Instituto Butantan. Revista USP. São Paulo, n.89, p. 78-89, março/maio 2011.

FERNANDES, S.C.G. O Instituto Butantan entre 1928 e 48: uma visão sócio-cultural de sua organização interna. Tese de Doutorado Apresentada 208 na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, USP, 2011.

GADELHA, C.A.G. A produção e o desenvolvimento de vacinas no Brasil. Hist. cienc. saude-Manguinhos. Rio de Janeiro , v. 3, n. 1, p. 111-132, Jun 1996. .

HO, P.L., MIYAJI, E.N., OLIVEIRA, M.L.S., DIAS, W.O., KUBRUSLY, F.S., et al. (2011) Economical Value of Vaccines for the Developing Countries—The Case of Instituto Butantan, a Public Institution in Brazil. PLoS Negl Trop Dis 5(11): e1300.

IBAÑEZ, N., FERNANDES, S.C.G.; FARIA, M., WEN, FH., SANT’ANNA, AO. De Instituto Soroterápico a Centro de Medicina Experimental: institucionalização do Butantan no período de 1920 a 1940. In: Cadernos de História da Ciência, São Paulo, vol. 2, nº 2, janeiro/junho de 2006.

IBAÑEZ, N., WEN, FH., FERNANDES, SCG. A autossuficiência na produção de imunobiológicos e a criação do Centro de Biotecnologia do Instituto Butantan. In: Cadernos de História da Ciência. São Paulo, vol. 3, nº 1, janeiro/junho de 2007.

INSTITUTO BUTANTAN. Relatórios de Gestão do Instituto Butantan: 1918 e 1948. Acervo: Centro de Memória do Instituto Butantan.

INSTITUTO BUTANTAN. Technology License Agreement. 1999. Acervo do Cedoc.

MELO, L.M. “Sistema Nacional de Inovação (SNI): uma proposta de abordagem teórica”, Texto para Discussão, IE–UFRJ, n.357, abr., 1996.

MEYER, C. L.; TEIXEIRA, J. R. A grippe epidemica no Brazil e especialmente em São Paulo. São Paulo: Casa Duprat, 1920.

RAW, I. entrevista in “Década de 80: O programa de auto suficiência em imunobiológicos e o SUS”. Cadernos de História da Ciência. São Paulo, vol. 3, nº 1, janeiro/junho de 2007

SEIDL, C.P. A propósito da pandemia de gripe de 1918: argumentos e fatos irrespondíveis. Rio de Janeiro: 1919. Bernard Frères.

VIANA, A. L. d’Á et al. Inovação e Saúde: Capacidade regulatória público-privada em dois processos tecnológicos: 1. Organizações Sociais de Saúde (OSS); 2. Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons (PET-CT). Relatório Final de Pesquisa: Convênio FAPESP-CNPq-SUS (PP-SUS 2006/2007). São Paulo, setembro de 2009, 271p.

VIANA, A. L. d’Á; BOUSQUAT, A.; IBAÑEZ, N. (orgs.). Saúde, desenvolvimento, ciência, tecnologia e inovação. São Paulo: Hucitec – Cealag, 2012

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Plan Mundial de la OMS de Preparación para una Pandemia de Influenza. WHO, Geneva, 2005. Sítios Eletrônicos Consultados: www.abdi.com.br www.bndes.gov.br www.saude.gov.br

YIN, RK. Case Study Research – Design and Methods. Newbury Park: Sage; 1994.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Ibañez, N., Sofia Fabergé , O., Cesar Gouveia Fernandes, S., & Dias, C. E. . (2021). Transferência tecnológica da vacina de influenza no acordo entre o Instituto Butantan e a Sanofis/Pasteur. Cadernos De História Da Ciência, 14(2). https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2020.v14.34786

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>