A sociedade do espetáculo e a ascensão da fotografia digital

instrumentos para a interpretação da publicidade de medicamentos

  • Rogerio Venturineli
Palavras-chave: Sociedade do Espetáculo, Imagem fotográfica, Perspectiva, Enquadramento, Publicidade de medicamentos

Resumo

Este ensaio toma como ponto de partida a sociedade do espetáculo, uma sociedade mediada por imagens, que se efetiva pela produção do espetáculo como sua própria finalidade; e a propensão à exploração publicitária dos medicamentos, que os transforma em mercadorias voltadas à promoção da saúde. Procura-se, a partir desse ponto de partida, indagar sobre a natureza da imagem, em particular a imagem fotográfica – considerada representante típica da imagem – tomando-a como sustentáculos da dinâmica de mediações dessa sociedade, cujas relações sociais são mediatizadas por imagens. Pretende-se recuperar o percurso histórico no decorrer do qual foram produzidos os princípios conceituais da imagem fotográfica, procurando compreender suas características. A imagem fotográfica possibilita uma representação objetiva da realidade, em função de seu aparato conceitual, que se fundamenta no perspectivismo e no enquadramento e, simultaneamente, contribui para dissimulara realidade, em razão do ocultamento das operações conceituais envolvidas em sua constituição. Proporciona-se, assim, um instrumento para interpretar a publicidade de medicamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Debord G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto; 1997.
2. Foucault M. O nascimento da clínica. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária; 2006.
3. Dantas JB. Publicidade e Medicamentos: um mundo de imagens e promessas. Interação em Psicologia.2010;14(1):131-138.
4. Rocha MEM. A Nova Retórica do Capital: a publicidade brasileira em tempos neoliberais. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; 2010.
5. Fabris A. Discutindo a imagem fotográfica. Domínios da Imagem; 2007;1(1):31-41.
6. Flusser V. Filosofia da caixa preta. São Paulo: Hucitec;1985.
7. Benevolo L. História da Cidade. 7. ed. São Paulo: Perspectiva; 2019.
8 - Harvey D. Condição pós moderna. 18. ed. São Paulo: Loyola; 2009.
9. Beato de Liébana. Commentary on the Apocalypse including Beatus’s world map. 1091-1109 [internet]. [acesso em 7 set 2020]. Disponível em: https://www.bl.uk/collection-items/beatus-world-map.
10. Fontana J. Introdução ao estudo da história geral. Bauru: EDUSC; 2000.
11. Ogilby J. A Large and Accurate Map of the City of London. Ichnographically Describing all the Streets, Lanes, Alleys, Courts, yards, Churches, Halls and Houses &c. Actually Surveyed and Delineated By John Ogilby, Esq; His Majesties Cosmographer [internet]. 1677 [acesso em 7 set 2020]. Disponível em: https://www.bl.uk/collection-items/a-large-and-accurate-map-of-the-city-of-london.
12. Cauquelin A. A invenção da paisagem. São Paulo: Martins Fontes; 2007.
13. Machado A. A Ilusão Especular: Introdução à fotografia. São Paulo: Brasiliense; 1984.
14. Menezes PRA. A Trama das Imagens: manifestos e pinturas no começo do século XX. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; 1997.
15. Venturineli R. Curiando. Fotografia. São Paulo. 2019. 1 fotografia: preto & branco, 297 x 210 mm.
16. Venturineli R. Pequezez. Fotografia. Ubatuba. 2017. 1 fotografia: preto & branco, 297 x 210 mm.
17. Krauss R. O Fotográfico. Barcelona: Gustavo Gili; 2010.
18. Cartier-Bresson H. O instante decisivo. In: Bacelar MC, organizador. Fotografia e Jornalismo. São Paulo: Escola de Comunicações e Artes (USP); 1971.
19. Dubois P. O ato fotográfico e outros ensaios. Campinas: Papirus; 1993.
20. Marx K. Capital. Londres: Penguin Classics; 1991. v. III
21. Dobb MH. A evolução do capitalismo. Rio de Janeiro: LTC; 2012.
22. Fabris A. A fotografia e o sistema das artes plásticas. In: Fabris, A, organizador. Fotografia: usos e funções no século XIX. 2. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; 2008.
23. Sougez ML. História da fotografia. Lisboa: Dinalivros; 2001.
24. Carlos AFA. O espaço e o tempo sociais no cotidiano. In: Anais do 3o Simpósio Nacional de Geografia Urbana [internet]. 1993 [acesso em 7 set 2020]. Set. 13-17 - Rio de Janeiro. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20
RJ/3simposiogeografiaurbana.pdf.
25. Jameson F. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática; 1996.
26. Sontag S. Sobre a fotografia. São Paulo: Companhia das Letras; 2004.
27. Silva JR. Fotografia e ciência: a utopia da imagem objetiva e seus usos nas ciências e na medicina. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi.
2014;9(2):343-360.
28. Nascimento MC. Medicamentos, comunicação e cultura. Caderno Mídia e Saude Pública [internet]. 2007 [acesso em 7 set 2020];2:81-96. Disponível
em: http://www.esp.mg.gov.br/images/documentos/caderno-midia-e-saude-publica-2.pdf.
Publicado
2020-07-01
Como Citar
Venturineli, R. (2020). A sociedade do espetáculo e a ascensão da fotografia digital: instrumentos para a interpretação da publicidade de medicamentos. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 21(1), 187-198. https://doi.org/10.52753/bis.2020.v21.36742

Most read articles by the same author(s)