Síntese de Evidências para Políticas de Saúde: Prevenção e Controle do Pé Diabético na Atenção Primária a Saúde

Autores

  • Fernanda Maria Silva Universidade Regional do Cariri
  • Maria Corina Amaral Viana Amaral Viana Universidade Regional do Cariri
  • Jorge Otávio Maia Barreto Fundação Oswaldo Cruz, Diretoria Regional de Brasília.
  • Nathan Mendes Sousa Universidade Federal de Minas Gerais.
  • Ana Aline Gomes da Penha Universidade Regional do Cariri.

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.2019.v20.34481

Palavras-chave:

Atenção Primária a Saúde; Pé diabético; Preven-ção; Política Informada por Evidências.

Resumo

Trata-se de uma Síntese de Evidências cujo problema priorizado foi a prevenção e controle do pé diabético (PD) na Atenção Primá-ria a Saúde (APS). Utilizou-se a ferramenta SUPPORT (Supporting Policy Relevant Reviews and Trials) da Rede para Políticas Informa-das por Evidências. A busca pelas opções ocorreu em fevereiro de 2016 e foi atualizada em outubro de 2018, na Biblioteca Virtual em Saúde, Health Systems Evidence, PubMed e Cochane Library. A estratégia de busca deu-se com os termos “pé diabético” and “prevenção”. A busca resultou em 41 textos e 11 foram seleciona-dos para análise. Quatro opções foram identificadas para o enfren-tamento do problema: a) capacitar profissionais da APS no rastre-amento de risco do pé diabético, na orientação para o autocuidado e na coordenação do cuidado de pessoas com diabetes mellitus; b) estimular o autocuidado mediante aferição diária da tempera-tura do pé; c) identificar e realizar o manejo clínico de condições pré-ulcerativas e deformidades nos pés, com encaminhamento a serviços de referência na rede assistencial; d) oferecer pacotes de intervenções complexas. As barreiras para as estratégias foram: não adesão dos pacientes ao autocuidado, sobrecarga e falta de motivação dos profissionais e fragilidades da rede assistencial. O PD é um importante problema de saúde pública que deve ser prio-rizado na agenda dos tomadores de decisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fernanda Maria Silva, Universidade Regional do Cariri

Mestre. Universidade Regional do Cariri.

Maria Corina Amaral Viana Amaral Viana, Universidade Regional do Cariri

Doutora. Universidade Regional do Cariri.

 

Jorge Otávio Maia Barreto, Fundação Oswaldo Cruz, Diretoria Regional de Brasília.

Doutor. Fundação Oswaldo Cruz, Diretoria Regional de Brasília.

 

Nathan Mendes Sousa, Universidade Federal de Minas Gerais.

Mestre. Universidade Federal de Minas Gerais.

 

Ana Aline Gomes da Penha, Universidade Regional do Cariri.

Especialista. Uni-versidade Regional do Cariri.

 

Referências

1. International Diabetes Federation. Clinical Practice Re-commendations on the Diabetic Foot [internet]. 2017 [aces-so em 3 mar 2018]. Disponível em: https://www.idf.org/component/attachments/?task=download&id=1152
2. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saú-de. Departamento de Atenção Básica. Manual do Pé Dia-bético: estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica. Brasília (DF); 2016.
3. Amaral Júnior LAH, et al. Prevenção de lesões de mem-bros inferiores e redução da morbidade em pacientes diabé-ticos. Rev. Brasileira de Ortopedia. 2014; 49(5):482–487.
4. Sociedade Brasileira de Diabetes. Diabetes na Prática Clí-nica [internet]. s.d [acesso em: 4 abr 2016]. Disponível em: http://www.diabetes.org.br/ebook/component/k2/item/42.
5. Assumpção EC, et al. Comparação dos fatores de risco para amputações maiores e menores em pacientes diabé-ticos de um Programa de Saúde da Família. Jornal Vascular Brasileiro. 2009; 8(2):133-8.
6. Andrade NHS, et al. Pacientes com diabetes mellitus: cui-dados e prevenção do Pé Diabético em atenção primária à saúde. Revista de enfermagem UERJ, Rio de Janeiro. 2010; 18(4):616-21.
7. Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da socieda-de brasileira de diabetes: 2014-2015. 2015;377.
8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pes-quisa Nacional de Saúde. Acesso e utilização dos serviços de saúde, acidentes e violências: Brasil, grandes regiões e unidades da federação. Rio de Janeiro; 2015.
9. Lavis JN, Oxman AD, Lewin S, Fretheim A: SUPPORT Tools for evidence-informed health Policymaking (STP). Introduction. Health Research Policy and Systems [internet]. 2009 [acesso em 10 out 2014]; 7(1). Disponível em: http://www.health-po-licy-systems.com/ content/pdf/1478-4505-7-S1-I1.pdf.
10. Netten VJJ, et al. Prevention of foot ulcers in the at-risk patient with diabetes: a systematic review. Diabetes/Meta-bolism Research and Reviews. 2016; 32(1):84–98.
11. Hunt DL. Diabetes: foot ulcers and amputations. Clini-cal Evidence. 2012; 8(602):1-44.
12. O’Meara S, et al. Systematic reviews of wound care ma-nagement: (3) antimicrobial agents for chronic wounds; (4) diabetic foot ulceration. Health Technology Assessment. 2000; 4(21):1-233.
13. Arad Y. Beyond the Monofilament for the Insensate Dia-betic Foot: a systematic review of randomized trials to pre-vent the occurrence of plantar foot ulcers in patients with diabetes. Diabetes Care. 2011:34.
14. Buckley CM, et al. Does contact with a podiatrist pre-vent the occurrence of a lower extremity amputation in pe-ople with diabetes? A systematic review and meta-analysis. British Medical Journal. 2013; 3:1-9.
15. Bertoldi AD, et al. Epidemiology, management, compli-cations and costs associated with type 2 diabetes in Brazil: a comprehensive literature review. Globalization and Health. 2013; 9(62):1-12.
16. Dorresteijn JAN, Kriegsman DMW, Valk GD. Complex in-terventions for preventing diabetic foot ulceration. Cochrane Database of Systematic Reviews; 2010.
17. Dorresteijn JAN, et al. Patient education for preventing diabetic foot ulceration. Cochrane Database of Systematic Reviews; 2014.
18. Klonoff DC, Schwartz DM. An Economic Analysis of In-terventions for Diabetes. Diabetes Care. 2000; 23(3).
19. Drivier VR, et al. The costs of diabetic foot: The eco-nomic case for the limb salvage team. Journal of Vascular Surgery. 2010; 52(12):17-22.
20. Rui L, et al. Cost-effectiveness of interventions to pre-vent and control diabetes mellitus: a systematic review. Dia-betes Care. 2010; 33(8):1872-1894.
21. Ministério da Saúde (BR). Portaria N.0 483, de 2014. Redefine a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e estabelece diretrizes para a organização das suas linhas de cuidado. 2014.
22. Associação Brasileira de Estomaterapia [internet].[acesso em 1 jan 2019]. Disponível em: http://www.so-best.org.br/texto/5.
23. Silocchi C, Junges J. Equipes de atenção primária: difi-culdades no cuidado de pessoas com doenças crônicas não transmissíveis. Trabalho, Educação e Saúde. 2017; 15(10).
24. Jardim, LV, Navarro, D. Contribuição da ESF no controle de doenças crônicas não transmissíveis. J Health Sci Inst. 2017; 35(2):122-6.
25. Schenker, M, Costa, D. Avanços e desafios da atenção à saúde da população idosa com doenças crônicas na Atenção Primária à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2019 [acesso em 20 jun 2019]; 24(4):1369-1380. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018244.01222019.
26. Peiter CC, Santos JLG, Lanzoni GMM, Mello ALSF, Costa MFBNA, Andrade SR. Redes de atenção à saúde: tendên-cias da produção de conhecimento no Brasil
Esc Anna Nery. 2019; 23(1).
27. Rede para Políticas Informadas por Evidências [inter-net]. [acesso em 1 jun 2019]. Disponível em: http://brasil. evipnet.org/tipo/capacitacao/.
28. Goulart FAA. Doenças crônicas não transmissíveis: es-tratégias de controle e desafios e para os sistemas de saú-de. Brasília (DF); 2011.
29. International Working Group On The Diabetic Foot. Gui-delines on the prevention and management of diabetic foot disease; 2019.
30. American Diabetes Association. American Diabetes As-sociation: Standards of medical care in diabetes. Diabetes Care. 2019; 40(1).
31. Fretheim A, et al. SUPPORT: Tools for evidence-informed health Policymaking (STP). 6. Using research evidence to address how an option will be implemented. Health Resear-ch Policy and Systems. 2009; 7(1).
32. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saú-de. Departamento de Atenção Básica. Manual do Pé Dia-bético: estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica. Brasília )DF);2016.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Maria Silva, F. ., Amaral Viana, M. C. A. V., Otávio Maia Barreto, J. ., Mendes Sousa, N., & Gomes da Penha, A. A. . (2020). Síntese de Evidências para Políticas de Saúde: Prevenção e Controle do Pé Diabético na Atenção Primária a Saúde. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 20(2), 77–88. https://doi.org/10.52753/bis.2019.v20.34481

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)