A implantação do nome social como ferramenta para humanização nos serviços de saúde

experiência do Ambulatório Médico de Especialidades de São José do Rio Preto e Hospital Estadual João Paulo II

Autores

  • Karla Thaisy Barrios Ferrari Hospital Estadual João Paulo II

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39621

Palavras-chave:

Nome social, Integralidade em saúde, Transgênero

Resumo

Este artigo tem como objetivo demonstrar as etapas desenvolvidas no processo de implantacao do nome social no Ambulatório
Médico de Especialidades de Sao José do Rio Preto e do Hospital Estadual João Paulo Il, localizados no municipio de São José
do Rio Preto, estado de São Paulo. O setor de Humanização foi responsavel pela implantação, porém jamais teria conseguido nao
fosse o total apoio da administração, equipe de Tl e de todos os profissionais que perceberam a verdadeira importancia que esta
conquista representa para a populagdo LGBT. O uso do nome social é um direito garantido e que surge como uma ferramenta
para a efetivação do acolhimento, humanizacéo e integralidade da assisténcia a travestis e transexuais. Assim, ressaltamos a
necessidade da conscientizagao dos profissionais, primando pelo respeito & singularidade dos sujeitos e combatendo todas as
formas de normatizacao que impliquem processos de exclusão e discriminação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Karla Thaisy Barrios Ferrari, Hospital Estadual João Paulo II

Karla Thaisy Barrios Ferrari (karlaferrarid@gmail.com) é tecnóloga em Gestão Hospitalar pela Universidade Anhanguera (UNIDERP) e atua como supervisora de Humanização do Ambulatório Médico de Especialidades São José do Rio Preto e Hospital Estadual João Paulo Il.

Referências

Franzoni Advogados. Como funciona a identidade com nome social [internet]. [acesso em 11 fev 2022]. Disponível em: https://franzoni.adv.br/como-funciona-identidade-com-nome-social/.

Ministério da Saúde (BR). Portaria n° 1.820. Dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários da saúde. Brasília (DF); 2009 [acesso em 5 abr 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt1820_13_08_2009.html.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Politica Nacional de Humanização. HumanizaSUS: politica nacional de humanização: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. 2. ed. Brasília (DF); 2004.

Ministério da Saúde (BR). Politica nacional de Educação Permanente. Brasília (DF); 2006.

São Paulo (Estado). Decreto Estadual nº 55.588. Dispõe sobre o tratamento nominal das pessoas transexuais e travestis nos órgãos públicos do Estado de São Paulo e dá providências correlatas. São Paulo. Diário Oficial do Estado de São Paulo. 17 mar 2010.

São Paulo (Estado). Coordenação de Politicas para a Diversidade Sexual. Diversidade sexual e cidadania LGBTI+. 4. ed. São Paulo: SJC/SP; 2020.

Cerqueira RM. Nome social: propósito, definição, evolução histórica, problemas e particularidades [internet]. [acesso em 15 fev 2022]. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/45219/nome-social-proposito-definicao-evolucao-historica-problemas-e-particularidades.

Freire EC, Araujo FCA, Souza AC, Marques D. A clinica em movimento na saúde de TTTs: caminho para materialização do SUS entre travestis, transexuais e transgéneros. Saúde debate. 2013; 37(98):477-484.

Downloads

Publicado

2022-07-30

Como Citar

Ferrari, K. T. B. (2022). A implantação do nome social como ferramenta para humanização nos serviços de saúde: experiência do Ambulatório Médico de Especialidades de São José do Rio Preto e Hospital Estadual João Paulo II. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 23(1), 54–57. https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39621