Nome social

respeito e integralidade no atendimento em saúde — experiência do Ambulatório de Especialidades e Hospital Américo Brasiliense

Autores

  • Maisa Cabete Pereira Salvetti Hospital Estadual Américo Brasiliense
  • Haline Fernanda Canelada Universidade Estadual de Londrina
  • Emanoela Eduarda dos Santos Diniz Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades
  • Gabriel Maicon Lopes da Silva Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades
  • Rachel lvyn Alves da Silveira Corte Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades
  • Cleice Daiana Levorato Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39628

Palavras-chave:

Minorias sexuais e de gênero, Equidade, Política de saúde, Registros eletrônicos de saúde

Resumo

0 direito à satide no Brasil tem como principios universalidade, integralidade e equidade. Reconhecendo a diversidade de gênero
e orientação sexual como determinantes sociais de saúde, são necessárias politicas para garantia dos direitos e da qualidade da
saúde na população LGBTQIA+. Este artigo qualitativo de relato de experiência tem por objetivo descrever ações do Ambulatório
Médico de Especialidades e Hospital Estadual Américo Brasiliense na promoção da saúde desta populagao, destacando-se a utilização do nome social no prontuario eletronico multiprofissional. Em 2012, o hospital iniciou a discussao da sua adoção para usudrios transexuais e travestis, respeitando o nome de sua preferéncia durante seu atendimento, sendo incorporado espaco reservado para o nome social no cadastro do prontuario, apés nome e sobrenome de registro civil. Pulseiras de identificacao e painel de chamadas também contém nome social, e nas telas do prontuário ha um ícone lilás alertando para a consideração do mesmo. A sensibilizagao institucional contou com palestras em parceria com a Assessoria Especial de Politicas Públicas para Diversidade Sexual de Araraquara e cursos do Ministério da Saúde na Politica Nacional de Saúde Integral LGBT. As ações auxiliam na garantia da equidade e respeito das minorias sexuais e de género.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maisa Cabete Pereira Salvetti, Hospital Estadual Américo Brasiliense

Maisa Cabete Pereira Salvetti (mcpsalvetti@heab.faepa.br) é médica neurologista é mestre em Gestao de Organizações de Saúde pela Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto da Universidade de Sao Paulo (FMRP-USP), e diretorageral do Hospital Estadual Américo Brasiliense (HEAB).

Haline Fernanda Canelada, Universidade Estadual de Londrina

Haline Fernanda Canelada (hfcanelada@gmail.com) é assistente social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), mestre em Ciéncias pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP), doutoranda em Satide Publica pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP) e docente do curso de Servio Social da UEL.

Emanoela Eduarda dos Santos Diniz, Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades

Emanoela Eduarda dos Santos Diniz (eesdiniz@heab.faepa.br) é gestora de Recursos Humanos e pés graduada em Administracdo de Recursos Humanos pela Universidade Paulista (UNIP) e em Regulação em Saúde no Sistema Unico de Saúde (SUS) pelo Instituto Sírio Libanés de Ensino e Pesquisa, e
coordenadora administrativa do HEAB e do Ambulatério Médico de Especialidades (AME) Américo Brasiliense.

Gabriel Maicon Lopes da Silva, Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades

Gabriel Maicon Lopes da Silva (gmisiva@heab.faepa.br) é graduado em Serviço Social e pósgraduado em Gestão de Projetos Sociais pelo Centro Universitario Bardo de Maua, pos-graduado em Instrumentalidade do Servico Social pela Faculdade Futura e assistente social do HEAB e AME Américo Brasiliense.

Rachel lvyn Alves da Silveira Corte, Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades

Rachel lvyn Alves da Silveira Corte (riascorte@heab.faepa.br) é farmacautica pelo Centro Universitário Barão de Mauá, pos-graduada em Administração pela Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (FUNDACE) e em Gestao em Satide pela Fundação Oswaldo
Cruz (FIOCRUZ), e coordenadora do AME Américo Brasiliense.

Cleice Daiana Levorato, Secretaria Estadual de Saúde de Américo Brasiliense (SP). Centro Médico de Especialidades

Cleice Daiana Levorato (cdlevorato@heab.faepa.br) é assistente social pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), mestre em Saúde Publica pela FMRP-USP pos-graduada em Gestao Estratégica de Pessoas pela Fundação Getdlio Vargas (FGV) e em Gestão em Saúde pela Universidade Federdo de
São Paulo (UNIFESP), e coordenadora de equipe multiprofissional do HEAB.

Referências

Brasil, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília (DF): Senado Federal; 1988.

Brasil. Lei nº 8080. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e da outras providências. Brasília (DF); 19 set. 1990.

Brasil. Lei nº 8.142. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS)

e sobre as transferências de recursos financeiros na área da saúde e da outras providências. Brasília (DF); 28 dez. 1990.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Politica nacional de saúde integral de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Brasília (DF); 2013.

Ministério da Saúde (BR). Carta dos direitos dos usuários da saúde. 3. ed. Brasília (DF); 2011.

São Paulo (Estado). Decreto n° 55.588, de 17 de março de 2010. Dispõe sobre o tratamento nominal das pessoas transexuais e travestis nos órgaos públicos do Estado de São Paulo e da providências correlatas. Diário Oficial Executivo;18 mar 2010.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1.820. Dispõe sobre os direitos e deveres dos usuários da saúde. Brasília (DF);13 ago. 2009.

Ministério da Saúde (BR). Núcleo Técnico do Cartão Nacional de Saúde. Nota técnica n°18. Brasília (DF); 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Decreto n° 8.727. Dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais no âmbito da administração publica federal direta, autárquica e fundacional. Brasília (DF); 28 abr. 2016.

Rocon PC, Rodrigues A, Zamboni J, Pedrini MD. Dificuldades vividas por pessoas trans no acesso ao Sistema Único de Saúde. Ciénc. Saúde Colet. 2016; 21(8):2517-2525.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Politica Nacional de Humanizacao. HumanizaSUS: Politica nacional de humanização: a humanização como eixo norteador das praticas de atenção e gestão em todas as instancias do SUS. Brasília (DF); 2004.

Fernandes MBF, Moreira MR, Ribeiro JM, Ouverney AM, Oliveira FJF, Moro MFA. Inovação em ouvidorias do SUS - reflexões e potencialidades. Ciénc. Saude Colet. 2016;21(8):2547-2554.

Silva LKM, Silva ALMA, Coelho AA, Martiniano CS. Uso do nome social no Sistema Único de Saúde: elementos para o debate sobre a assistência prestada a travestis e transexuais. Physis [internet]. 2017 [acesso em 2 maio 2022]; 27(03):835-846. Disponível

em: https://doi.org/10.1590/S0103-73312017000300023.

Nadler LE, Ogden SN, Scheffey KL, Cronholm PF, Dichter ME. Provider practices and perspectives regarding - and documentation of gender identity. J Homosex [internet]. 2021;12;68(6):901-913. doi: 10.1080/00918369.2019.1667162.

São Paulo (Estado). Politica Estadual de Humanizacao [internet]. Diário Oficial do Estado. 25 mai 2012; 98:1. [acesso em 10 jun 2022]. Disponível em: http://fehosp.com.br/files/circulares/1ae80140204¢33b6867¢692b705¢h096.pdf. [acesso em: 10 jun. 2022].

Downloads

Publicado

2022-07-30

Como Citar

Pereira Salvetti, M. C., Canelada, H. F., dos Santos Diniz, E. E., Lopes da Silva, G. M., Alves da Silveira Corte, R. lvyn, & Levorato, C. D. (2022). Nome social: respeito e integralidade no atendimento em saúde — experiência do Ambulatório de Especialidades e Hospital Américo Brasiliense. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 23(1), 76–85. https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39628