Posto de puericultura de Rancharia-SP: a desaparecida obra caipira de Oscar Niemeyer

Autores

  • Sergio Simone Arquiteto e pesquisador membro do Laboratório Especial de História da Ciência do Instituto Butantan. Especialista em História da Arte e da Cultura pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp.
  • Francisco Luís Franco Pesquisador Científico VI do Laboratório Especial de Coleções Zoológicas do Instituto Butantan Doutor em taxonomia de serpentes, atuando também em curadoria de coleções zoológicas e inventários de répteis e anfíbios.

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2017.v13.33853

Palavras-chave:

arquitetura moderna, Escola Carioca, puericultura, postos de saúde, formas arquitetônicas

Resumo

O demolido prédio do Posto de Puericultura de Rancharia, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, é um caso emblemático de possível monumento da arquitetura moderna construído em uma distante paragem do interior paulista. Sua efêmera existência foi fruto de esforços da municipalidade, de recursos do Estado e de articulações políticas do período, cuja orientação de ideias mais ‘à esquerda’ somaram-se às usuais práticas populistas. Além disso, novo ciclo de pujança da produção de algodão da localidade a colocava em evidência no cenário econômico estadual. Do ponto de vista do cuidado com a saúde pública, a aplicação de recursos, a organização metódica de práticas médicas e a disseminação de postos de puericultura visaram a diminuir os alarmantes índices de mortalidade infantil entre a população mais pobre na década de 1950. Todos esses fatores, somados ao alentado momento da arquitetura brasileira e a oportuna presença de Niemeyer em São Paulo, contribuíram para que se formulasse o plano e a concretização do prédio do então cognominado pela imprensa de Centro de Puericultura de Rancharia. Contudo, sob nosso ponto de vista, posteriormente, a fase de regime autoritário em que mergulhou o país propiciou oportunidade para desarticular programas de governos do denominado “Período Democrático” (1946-1964) – ou da forma como vem sendo avaliado por estudos mais recentes que o designam por “experiêncialiberal-democrática no Brasil” (FERREIRA, 2013) – desqualificando-os por suspeitas de corrupção, incompetência ou demagogia. O golpe civil-militar que se instalou a partir de 1964 engendrou uma série de imagens e conceitos depreciadores sobre as políticas públicas adotadas pelos governos imediatamente precedentes. Criaram, assim, condições para desmobilizá-las ou alterá-las substancialmente. Esses fatores possibilitaram ações que procuraram ofuscar essas realizações e seus promotores, como o caso em questão por exemplo. Prejuízo maior, contudo, sofreu a população de baixa renda que se viu privada do atendimento às questões referentes à educação e aos cuidados com a saúde das crianças recém-nascidas e de menor idade.

Referências

BONILHA, L. R. C. M. Puericultura: olhares e discursos no tempo. Campinas: Unicamp, 2004.
BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento Nacional da Criança. IV Jornada Brasileira de Puericultura e Pediatria. Belo Horizonte, 1952.
_____. de puericultura e associações de proteção à maternidade e à infância. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 1954.
BUZZAR, M. A.; ALMEIDA, M. F. Um especial dedicado a arquitetos. Arquitetura moderna no IV centenário de São Paulo. 8° Seminário Docomomo
Brasil, 2009. Disponível em <http://docomomo.org.br/wp-content/uploads/2016/01/119.pdf> Acesso em: 16 dez. 2018.
CARDOSO, R. B. Esplendor e decadência do algodão em São Paulo. Revista Fundamentos, São Paulo, agosto 1948, n. 3, vol. 2, p. 170-193.
CARVALHO, A. C. D. Feiticeiros, burlões e mistificadores: criminalidade e mudança das práticas populares de saúde em São Paulo – 1950 A 1980. São Paulo: Unesp, 2003.
CASTRO, P. C. Contribuição ao estudo da administração dos serviços locais de Higiene Infantil, na Capital do Estado de São Paulo. Tese (Livre Docência) – São Paulo: Faculdade de Higiene e Saúde Pública-USP, 1958.
CORDIDO, M. T. R. L. B. Arquitetura Forense do Estado de São Paulo. Produção Moderna, antecedentes e significados. Dissertação (Mestrado) – São
Carlos: Escola de Engenharia de São Carlos-USP, 2007.
COSTA, E. A. ‘Brazil Builds’ e a construção de um moderno, na arquitetura brasileira. Dissertação (Mestrado) – Campinas: IFCH/Unicamp, 2009.
DEPARTAMENTO NACIONAL DA CRIANÇA. Postos de puericultura e associações de proteção à maternidade e à infância. Rio de Janeiro: Ministério
da Saúde, 1954.
ESTADO DE SÃO PAULO. Congressos de Pediatria e Puericultura. São Paulo: Comissão do VI Centenário, 1954.
ESTEIRA, M. Puericultura: higiene alimentar e social da criança. Rio de Janeiro: Pan-Americana, 1945.
FERREIRA, J. P. (org.). Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. Vol. XXX. Rio de Janeiro: IBGE, 1958.
FERREIRA, J. 1946-1964: a experiência democrática no Brasil. Revista Tempo. 2010, v. 14, n. 28, p.11-18.
______. A experiência liberal-democrática no Brasil (1946-1964): revisitando temas historiográficos. In: NUNES, J. P. A.; FREIRE, A. (coords.). Historiografias portuguesa e brasileira no século XX. Olhares cruzados. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2013.
FIGUEIREDO, R. P. Auto Posto Clube dos 500: excepcionalidade de uma linguagem Niemeyeriana no pré-Brasília. Arquitextos - 193.03 projeto, ano 17,
jun. 2016.
FREIRE, M. M. L.; LEONY, V. S. A caridade científica: Moncorvo Filho e o Instituto de Proteção e Assistência à Infância do Rio de Janeiro (1899-
1930). História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, dez. 2011, v. 18, supl. 1, p. 199-225.
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil - CPDOC-FGV. Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós-1930. Rio de Janeiro: FGV, 2001. Disponível em <https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/biografias/gustavo_capanema>Acesso em: 19 out. 2018.
_____. Guia dos Arquivos CPDOC. Rio de Janeiro: FGV/CPDOC, 1979.
GOODWIN, P.; SMITH, G. E. K. Brazil builds: architecture new and old, 1652-1942. New York: MoMA, 1943.
IEMA, F. et al. A era das empresas públicas paulistas de energia elétrica. Disponível em: <http://www.museudaenergia.org.br/media/63138/06.pdf> Acesso em: 4 jul. 2018.
LEAL, D. V. Oscar Niemeyer e o mercado imobiliário de São Paulo na década de 1950: O escritório satélite sob direção do arquiteto Carlos Lemos e
os edifícios encomendados pelo Banco Nacional Imobiliário. Dissertação (Mestrado) – Campinas: IFCH Unicamp, 2003.
LIMA, L. G. Maternidade higiênica: natureza e ciência nos manuais de puericultura publicados no Brasil. História: Questões & Debates. n. 47. Curitiba:
UFPR, 2007, p. 95-122. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/277198594_Maternidade_higienica_natureza_e_ciencia_nos_
manuais_de_puericultura_publicados_no_Brasil>Acesso em: 5 nov. 2018.
LYDA, M. Cem anos de saúde pública: a cidadania negada. São Paulo: Unesp. 1994.
MARKOWITZ, M. A. Bancos e banqueiros, empresas e a famílias no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, 2004.
MARQUES, S.; NASLAVSKY, G. Estilo ou causa? Como, quando e onde? Os conceitos e limites da historiografia nacional sobre o Movimento Moderno.
Arquitextos. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/01.011/903>.
MEDEIROS, H. R. Feydit de. O passado e o presente da puericultura através da história do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo, julho 2011, p. 1-15.
PIZA, W. O livro das mãezinhas. São Paulo: Departamento de Saúde do Estado de São Paulo – Seção de Propaganda e Educação Sanitária, 1940.
ROCHA, R. Resenhar Brazil Builds. Resenhas Online, São Paulo, ano 12, n. 142.05, Vitruvius, out. 2013. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/resenhasonline/12.142/4923> Consulta em 14 dez. 2018.
SCOTTÁ, L. Brazil Builds: Architecture New and Old. Repercussão da divulgação da arquitetura moderna brasileira. Revista AUS, n. 17 (24-29), Universidade Austral de Chile, 2015.
SEGAWA, Hugo. Arquiteturas no Brasil 1900-1990. São Paulo: Edusp, 1998.
SOUZA, L. F. M. C. de. Arquitetura e urbanismo na obra dos irmãos Roberto. I ENANPARQ, Rio de Janeiro, 2010. Artigos completos. Disponível em:
<https://www.anparq.org.br/dvd-enanparq/simposios/34/34-332-3-SP.pdf> Acesso em: 5 nov. 2018.
VALLE, M. A. A. do. Desenvolvimento da Forma e Procedimentos de Projeto na Arquitetura de Oscar Niemeyer (1935-1998). Tese (Doutorado) – São Paulo: FAU-USP, 2000.
VILLA, M. A. Breve história do Estado de São Paulo. São Paulo: IMESP, 2009.
YUNES, J.; RONCHEZEL, V. S. C. Evolução da mortalidade geral, infantil e proporcional no Brasil. Rev Saúde Pública. 1974; 8: 3-48. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rsp/v8s0/02.pdf> Acesso em: 17 dez. 2018.

Arquivos consultados
Acervo de Francisco Luiz Franco
Arquivo Público do Estado de São Paulo – APESP
Biblioteca da Escola de Enfermagem – EE-USP
Biblioteca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – FAU-USP
Biblioteca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – FAU-MACKENZIE
Biblioteca da Faculdade de Economia e Administração – FEAUSP
Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública – FSP-USP
Biblioteca do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/SP
Biblioteca do Instituto de Geociências – IGc-USP Fundação Oscar Niemeyer
Instituto Geográfico e Cartográfico de São Paulo – IGC-SP
Hemeroteca – Biblioteca Mario de Andrade – BMA/SMC/PMSP

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

Simone, S., & Franco, F. L. (2017). Posto de puericultura de Rancharia-SP: a desaparecida obra caipira de Oscar Niemeyer. Cadernos De História Da Ciência, 13(1), 103–129. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2017.v13.33853