Ciência brasileira em ação: natureza e história nas investigações da Comissão Científica de Exploração (1859 – 1861)

Autores

  • Francisca Hisllya Bandeira Cavalcante Mestre em História pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), professora de História e coordenadora de área (Ciências Humanas) na rede pública de ensino do Estado do Ceará (SEDUC - CE)

DOI:

https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2013.v9.34307

Palavras-chave:

Comissão Científica de Exploração, Ciência Nacional, Identidade Nacional

Resumo

O presente artigo apresenta a Comissão Científica de Exploração das Províncias do Norte, formada em 1857 com o objetivo de mapear e explorar as prováveis riquezas naturais, culturais e históricas do interior do Império brasileiro, tendo como objeto
os apontamentos que resultaram das investigações dos cientistas brasileiros elencados para participar dessa viagem naturalista. O papel que a Comissão Científica, juntamente com as instituições científicas, culturais e políticas do Império exerceram no processo de afirmação e legitimação de uma identidade brasileira homogênea e grandiosa e das ciências
naturais no Brasil no século XIX, assim como se articulou a formação e execução dessa expedição constituem algumas discussões presentes neste trabalho. Nesse sentido, pretendo analisar como a preocupação em perscrutar a natureza brasileira - dotando-a de significados simbólicos, históricos e culturais - e reunir elementos e documentos para a elaboração da História do Brasil e para a construção de sua identidade enquanto uma nação soberana fizeram parte doprojeto que tornou possível a existência e realização da Comissão Científica de Exploração.

Referências

Alemão FF. Diário de viagem de Francisco Freire Alemão (1859-1861). Fortaleza (CE): Fundação Waldemar Alcântara, 2011.
Anderson BR. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
Hobsbawn EJ. Nações e Nacionalismo desde 1780. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
Braga R. História da Comissão Científica de Exploração. Fortaleza (CE): Edições Demócrito Rocha, 2004 (Coleção Clássicos Cearenses).
Capanema GS. Ziguezague da Seção Geológica da Comissão Científica do Norte. In: Porto Alegre MS. Os ziguezagues do Dr. Capanema. Fortaleza (CE): Museu do Ceará, Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, 2006, p.153-323.
Capanema GS. Apontamentos sobre secas no Ceará (1878). In: Capanema GS, Gabaglia GR. A seca no Ceará: escritos de Guilherme Capanema e Raja Gabaglia. Fortaleza (CE): Museu do Ceará; Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, 2006a, p.155-185.
Damasceno D, Cunha W. Os manuscritos do botânico Freire Alemão – catálogo e transcrição. Anais da Biblioteca Nacional – v(81), 1961.
Dean W. A Botânica e a política imperial: a introdução e a domesticação de plantas no Brasil. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, 1991. v(4) n(8): 216-228.
Dias AG. Proêmio. Trabalhos da Comissão Científica de Exploração. Rio de Janeiro: Tipografia Universal Laemmert, 1862. In: Braga R.
História da Comissão Científica de Exploração. Fortaleza (CE): Edições Demócrito Rocha, 2004, p.175-180.
_______ Parte Histórica. Trabalhos da Comissão Científica de Exploração. Rio de Janeiro: Tipografia Universal Laemmert, 1862. In:
Braga R. História da Comissão Científica de Exploração. Fortaleza (CE): Edições Demócrito Rocha, 2004, p.181-187; 244-293.uimarães MLS. Nação e Civilização nos trópicos: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma história nacional. Estudos
Históricos, Rio de Janeiro, 1988. v(1)n(1): 5-27.
Kury L. As viagens luso-americanas e as práticas científicas do século das luzes. In: Anais do XXVI Simpósio Nacional de História –
ANPUH, São Paulo, julho 2011 [Acesso em 2011 Nov 19]. Disponível em: http://www.snh2011. anpuh.org/resources/anais/14/1300895704_ARQUIVO_instrucCNPQ.pdf..
Lagos MF. Instruções para a Comissão Científica de Exploração – Seção Zoológica. Trabalhos da Comissão Científica de Exploração. Rio de Janeiro: Tipografia Universal Laemmert,1862.
In: Braga R. História da Comissão Científica de Exploração. Fortaleza (CE): Edições Demócrito Rocha, 2004, p. 201-217.
Murari L. Natureza e Cultura no Brasil (1870 – 1922) - São Paulo: Alameda, 2009.
Naxara MRC. Sobre campo e cidade – olhar, sensibilidade e imaginário: em busca de um sentido explicativo para o Brasil no século XIX. [Tese de doutorado]. Campinas (SP): Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, 1999.
Revista do IHGB, Rio de Janeiro, 1856. t(19) suplem.: 10-12 / 114-116.
Revista do IHGB, Rio de Janeiro, 1861. t(24).
Silva CP. As “Viagens fiilosóficas” de João da Silva Feijó (1760 – 1824) no Ceará. História: Questões & Debates. Curitiba (PR), 2007. n(47): 179-201.
Silva-Filho ALM Nota Explicativa. In: Alemão FF. Diário de viagem de Francisco Freire Alemão, 1859 – volume I. Fortaleza: Museu do Ceará, Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, 2006, p.9-39.
Thomas K. O homem e o mundo natural: mudanças de atitude em relação às plantas e aos animais, 1500-1800. Tradução de João Roberto Martins Filho. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
Trabalhos da Comissão Científica de Exploração. Rio de Janeiro: Tipografia Universal Laemmert, 1862. In: Braga R. História da Comissão Científica de Exploração. Fortaleza (CE): Edições Demócrito Rocha, 2004, p.175-393.
Pratt ML. Os olhos do Império. Relatos de viagem e transculturação. Bauru (SP): EDUSC, 1999.

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

Cavalcante, F. H. B. (2013). Ciência brasileira em ação: natureza e história nas investigações da Comissão Científica de Exploração (1859 – 1861). Cadernos De História Da Ciência, 9(2), 11–41. https://doi.org/10.47692/cadhistcienc.2013.v9.34307