Diagnóstico rápido em aleitamento materno em municípios

Autores

  • Sonia Isoyama Venancio Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Instituto de Saúde
  • Maria Mercedes L. Escuder Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Instituto de Saúde
  • Marina F. Rea Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Instituto de Saúde
  • Cirlei C. Gomes
  • Lílian Cotrim

Palavras-chave:

Aleitamento materno

Resumo

Muitos são os prejuízos da interrupção precoce do aleitamento materno para a saúde infantil e, no tocante ao estado nutricional, a situação pode ser agravada pela não adequação da dieta do desmame. A OMS -Organização Mundial da Saúde- recomenda que as crianças sejam amamentadas exclusivamente por seis meses (o que diminui substancialmente os riscos de infecções e mortes infantis neste período), devendo continuar a receber o leite materno até no mínimo os dois anos de idade. No Brasil, apesar de estudos mostrarem uma tendência de aumento da prática da amamentação nas três últimas décadas, não faltam indícios de que ações de proteção, promoção e apoio à amamentação devem ser intensificadas, uma vez que estamos longe de atingir as metas propostas pela OMS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Venancio SI, Escuder MML, Rea MF, Gomes CC, Cotrim L. Diagnóstico rápido em aleitamento materno em municípios. São Paulo: Instituto de Saúde; 2002.

Downloads

Publicado

2002-08-31

Como Citar

Venancio, S. I., Escuder, M. M. L., Rea, M. F., Gomes, C. C., & Cotrim, L. (2002). Diagnóstico rápido em aleitamento materno em municípios. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, (27), 4–5. Recuperado de https://periodicos.saude.sp.gov.br/bis/article/view/38233

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>