Promovendo educação permanente sobre os direitos do público LGBTQIA+ no espaço de saúde

um relato de experiência no AME de Catanduva

Autores

  • Patricia Carvalho Fracasso Secretaria Estadual de Saúde de Catanduva (SP). Ambulatório Médico de Especialidades.Departamento de Qualidade.
  • Patricia Meneguessi Miatello Garcia Secretaria Estadual de Saúde de Catanduva (SP).
  • Rayani de Souza Tavares Secretaria Estadual de Saúde de Catanduva (SP).

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39625

Palavras-chave:

Diversidade sexual, Identidade de género, Vulnerabilidade, LGBTQIA

Resumo

A população LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuals, transgénero, travestis, queer, intersexo, assexuais e +, uma vez que a sigla inclui
outras identidades de género) é vulneravel quanto ao atendimento de seus direitos humanos, incluindo o acesso aos servigos
publicos de satide. Entretanto, torna-se nova a necessidade de visualização e reivindicacao de respeito, compreensao e acolhimento
dessa população nesses espacos. A partir da eminente necessidade de formacao dos profissionais da satide na tematica LGBTQIA+,
0 objetivo deste artigo é relatar a experiéncia que nos direcionou a um olhar mais humanizado e acolhedor no Ambulatério
Médico de Especialidades de Catanduva e nos levou a identificar a necessidade de trazer esta temática para os treinamentos anuais
de funcionarios, incluindo a atualização com a revisão e andlise das leis, decretos e resolugdes que tratam do tema LGBTQIA+.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Patricia Carvalho Fracasso, Secretaria Estadual de Saúde de Catanduva (SP). Ambulatório Médico de Especialidades.Departamento de Qualidade.

Patricia Carvalho Fracasso (qualidade@amecatanduva.com.br) é enfermeira pelo Centro Universitdrio Padre Albino (UNIFIPA), especialista em Geréncia e Auditoria em Enfermagem pelo Centro Universitario de Rio Preto (UNIRP) e atua no Departamento da Qualidade do Ambulatério Médico de Especialidades
(AME) de Catanduva.

Patricia Meneguessi Miatello Garcia, Secretaria Estadual de Saúde de Catanduva (SP).

Patricia Meneguessi Miatello Garcia (psicologia@amecatanduva.com.br) é psicóloga pela Universidade Paulista (UNIP), especialista em Psicopedagogia Clinica e Institucional pela Faculdade Atitude (FAEC) e atua no AME de Catanduva.

Rayani de Souza Tavares, Secretaria Estadual de Saúde de Catanduva (SP).

Rayani de Souza Tavares é enfermeira pela UNIFIPA, pés-graduanda em Controle de Infecção, enfermeira do Servigo de Controle de Infeccdes Relacionadas à Assisténcia à Satde pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI) e atua no Núcleo de Educação Permanente do AME de Catanduva.

Referências

Brasil, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília (DF); Senado Federal; 1988.

Fundo Brasil de Direitos Humanos. Significado da sigla LGBTQIA+ [internet]. [acesso em 17 mar 2022]. Disponível em: https://www.fundobrasil.org.br/blog/o-que-significa-a-sigla-lgbtgia/.

Secretaria Estadual da Justiça e Cidadania de São Paulo. Coordenação de Politicas para a Diversidade Sexual [internet]. 4. ed. 2020 [acesso em 08 mar 2022]. Disponível em: https://justica.sp.gov.br/index.php/secretaria-da-justica-lanca-4a-edicao-da-cartilha-diversidade-sexual-e-a-cidadania-Igbti/.

Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Queer, 2008-2021 [internet]. [acesso em 27 mar 2022]. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/queer.

Ministério da Saúde (BR). Politica nacional de saúde integral de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Brasília (DF); 2013.

Cardoso MR, Ferro LF. Saúde e população LGBT: demandas e especificidades em questão. Psicologia: Ciência e Profissão [internet]. 2012 [acesso em 30 mar 2022]; 32(3):552-563. (Internet). Disponível em: https://doi.org/10.1590/51414-98932012000300003.

ONU - Organização das Nações Unidas. Declaração dos Direitos Humanos. Genebra; 1948.

São Paulo (Estado). Decreto nº 55.588. Dispõe sobre o tratamento nominal das pessoas transexuais e travestis nos órgãos públicos do Estado de São Paulo e dá providências correlatas [internet]. São Paulo; 2010 [acesso em 09 mar 2022]. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/decreto/2010/decreto-55588-17.03.2010.html.

Bordiano G, et al. COVID-19, vulnerabilidade social e saúde mental das populações LGBTQIA+. Cad. saúde pública [internet] . 2021 [acesso em 31 mar 2022]; 37(3):e0028722 (Internet). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00287220.

Nogueira FJS, Aragão TAP. Politica Nacional de Saúde Integral LGBT: o que ocorre na prática sob o prisma de usuários (as) e profissionais de saúde. Saúde e Pesquisa [internet], 2019 [acesso em 04 mar 2022]; 12(3):463-470. Disponível em: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2019v12n3p463-470.

Downloads

Publicado

2022-07-30

Como Citar

Fracasso, P. C., Garcia, P. M. M., & Tavares, R. de S. (2022). Promovendo educação permanente sobre os direitos do público LGBTQIA+ no espaço de saúde: um relato de experiência no AME de Catanduva. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 23(1), 71–75. https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39625