Ações voltadas para a transferência de conhecimento sobre o público LGBT

experiência do Ambulatório de Especialidades Médicas de Itapeva

Autores

  • Josiane Goncalves de Pontes Secretaria de Estado da Saúde de Itapeva (SP). Centro de Especialidades Médicas.
  • Ronaldo Bernardino dos Santos Secretaria de Estado da Saúde de Itapeva (SP). Centro de Especialidades Médicas.

DOI:

https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39641

Palavras-chave:

LGBT, Diversidade, Inclusão, Transferência de conhecimento

Resumo

0 artigo descreve a experiéncia vivenciada pelo Ambulatério Médico de Especialidades de Itapeva, centro de saúde de alta resolutividade que oferece consultas médicas em diversas especialidades, atendendo a 15 municipios da regido do sudoeste paulista. É fato que temos uma diversidade de clientes atendida diariamente; diante disso, tornou-se necesséria uma ação do setor de Educação Permanente e Humanização e Inclusão, para o levantamento do conhecimento das equipes sobre o grupo LGBTQIA+ e a oportunidade de transferéncia dessas informagdes. A ação foi realizada com embasamento em pesquisa bibliografica recente, consultamos artigos, dissertações, relato de experiéncia e pesquisa exploratória para a organizagao da proposta da ação em nosso servico. Utilizamos a apresentação de audiovisuais em palestra com conteúdo em formato de slides; dinamica com uso de baldes, com questdes direcionadas e frases com citagdes para discussões, e finalizamos com a entrega de panfletos ilustrativos e outros materiais no servico. As discussdes possibilitaram a reflexão sobre os direitos LGBT, objetivando um atendimento que cumpra as legislacdes vigentes, focado na humanizagdo, empatia e respeito a esta população. A ação evidenciou falhas no atendimento e a possibilidade de melhorias, gerou discussdes conflitantes sobre as conquistas do grupo LGBT, revelou preconceitos e discriminagdes, gerando a necessidade de reorganizagdes no processo e no ambiente de trabalho e a inclusão do tema em ações de Educagao Permanente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Josiane Goncalves de Pontes, Secretaria de Estado da Saúde de Itapeva (SP). Centro de Especialidades Médicas.

Josiane Gongalves de Pontes (coordenacao.serv.inclusao@ameitapeva.org.br) é enfermeira pela Faculdade de Ciéncias Sociais e Agraria de Itapeva (FAIT), MBA em Gestao de Pessoas pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR), especialista em Terapia Intensiva pela Universidade Castelo Branco (UCB), titulada em Terapia Intensiva do Adulto pela Associação Brasileira de Enfermagem em Terapia Intensiva (ABENTI), pés graduanda em Educação Permanente e Continuada em Saúde pela Universidade Norte do Parana (UNOPAR), e coordenadora do Servico de Inclusao e Humanizacéo do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Itapeva.

Ronaldo Bernardino dos Santos, Secretaria de Estado da Saúde de Itapeva (SP). Centro de Especialidades Médicas.

Ronaldo Bernardino dos Santos (ronyenfer@outiook.com) é enfermeiro pela Faculdade de Ciéncias Sociais e Agraria de Itapeva (FAIT), pós-graduando em Unidade de Terapia Intensiva e Emergéncia pelo Centro Universi Adventista de Sao Paulo (UNASP) e atua no AME Itapeva.

Referências

Metas públicas de diversidade. Por que estabelecer metas publicas para Diversidade, Equidade e Inclusão? [internet]. [acesso em 18 jan 2022]. Disponível em: https://treediversidade.com.br/metas-publicas-de-diversidade/.

Boletim do Instituto de Saúde [internet]. São Paulo: Instituto de Saúde; 2018 [acesso em 18 jan 2022]; 19(2):1-185. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/bis/issue/view/2207.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.836, institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Politica Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Politica Nacional de Saúde Integral LGBT [internet]. Brasília (DF); 2011 [acesso em 18 jan 2022].. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2836_01_12_2011.html#:~:text=Institui%2C%20n0%20%C 3%A2mbit0%20d0%20Sistema,Nacional%20de%20Sa%C3%BAde%20Integral%20LGBT).&text=como%20sistema%20universal%2C%20integral%20e%20equitativo.

Ministério da Saúde (BR). Politica nacional de saúde integral de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais [internet]. Brasília (DF); 2013 [acesso em 18 jan 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_lesbicas_gays.pdf.

Bezerra MVR, Magno L, Prado NMBL, Santos AM. Condições históricas para a emergência da Politica Nacional de Saúde Integral LGBT no espaço social da saúde no Estado da Bahia. Cad. Saúde Pública [internet]. 2022 [acesso em 24 jan 2022]; 37(8): €00221420. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00221420.

Mello L, Avelar RB, Maroja D. Por onde andam as políticas públicas para a população LGBT no Brasil. Sociedade e Estado [internet]. 2012 [acesso em 24 jan 2022];27(2):289-312. Disponível em:https://doi.org/10.1590/S0102-69922012000200005.

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. DRS XVI-Sorocaba [internet]. [acesso em 24 jan 2022]. Disponível em: http://saude.sp.gov.br/ses/institucional/departamentos-regionais-de-saude/drs-xvi-sorocaba.

Picchiai D, Deppa RC. Ações sociais e os serviços de saúde pública dos municípios membros da Comissão Intersetorial Regional - CIR - Itapeva (SP). Rev. Est. Soc [internet]. 2018 [acesso em 25 jan 2022];20(41):31-60. Disponível em: https://periodicoscientificos. ufmt.br/ojs/index.php/res/article/view/6427.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. Cidades [internet]. [acesso em 25 jan 2022]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/

Santos L. Orgulho LGBTQI+: conheça o significado de cada letra e a luta por respeito à diversidade [internet]. [acesso em 25 jan 2022]. Disponível em: https://www.to.gov.br/cidadaniaejustica/noticias/orgulho-Igbtgi-conheca-o-significado-de-cada-letra-e-a-luta-por-respeito-a-diversidade/59vopeq232vv.

Parente JS, Silva CS, Magalhaes BC, Silva MMCO, Albuquerque GA. Saúde LGBTQIA+ à luz da bioética principialista. Rev. Bioét [internet].2021 [acesso em 1 fev 2022];29(3):630-640. Disponivel em: https://doi.org/10.1590/1983-80422021293498.

Brasil. Senado Federal. Perguntas sobre orientação sexual poderão ser incluídas no Censo [internet]. [acesso em 7 fev 2022]. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2021/02/19/perguntas-sobre-identidade-de-genero-e-orientacao=-sexual-poderao-ser-incluidas-no-censo#:~:text-De%20acordo%20com%20a%20Associa¥%C3%A7%C3%A30,-conta%20pessoas%20intersexo%20e%20assexuais.

Lima JD. Quais os impactos da pandemia para a população LGBTI no Brasil [internet]. [acesso em 7 fev 2022]. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/06/28/Quais-os-impactos-da-pandemia-para-a-popula%C3%A7%-C3%A30-LGBTI-no-Brasil.

Santana ADS, Melo LP. Pandemia de covid-19 e população LGBTI+. Invisibilidades dos impactos sociais. Sexualidad, Salud y Sociedad [internet]. 2021 [acesso em 7 fev 2022]; 37:€21202. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1984-6487.sess.2021.37.e21202a.

Carvalho LS, Philippi MM. Percepção de lésbicas, gays e bissexuais em relação aos serviços de saúde. Ciências da Saúde [internet]. 2013 [acesso em 7 fev 2022];11(2):83-92. Disponível em: https://www.argcom.uniceub.br/cienciasaude/article/viewFile/1837/2286

Mott L. Homo-afetividade e direitos humanos. Rev. Est. Fem [internet]. 2006 [acesso em 9 fev 202];14(2):509-521. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2006000200011.

Mendes WG, Silva CMFP. Homicídios da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais ou transgéneros (LGBT) no Brasil: uma analise espacial. Ciênc. Saúde Colet [internet]. 2020 [acesso em 7 fev 2022]; 25(5): 1709-1722. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413 81232020255.33672019.

Faribeiro F. Entenda a criminalização da LGBTfobia. Apesar do STF ter criminalizado a conduta de discriminação, ainda não temos leis especificas sobre o tema [internet]. [acesso em 7 fev 2022]. Disponível: https://faribeiro.jusbrasil.com.br/artigos/868811422/entenda-a-criminalizacao-da-Igbtfobia.

Brown C, Mayer DK. Are We Doing Enough to Address the Cancer Care Needs of the LGBT Community?Clin J OncolNurs [internet]. 2015 [acesso em 21 fev 2022];19(3):242-3. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26000571/.

Ministério da Saúde (BR). Sistema Único de Saúde, SUS, princípios e conquistas. Brasília (DF); 2020 [acesso em 21 fev 2022]. Disponível: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sus_principios.pdf.

Araújo CFM. Sem dados do Censo, população LGBTI+ do Brasil continuará desconhecida por mais 10 anos. Apesar de pedidos, IBGE não incluiu no Censo Demográfico de 2021 perguntas sobre sexualidade e identidade de género [internet]. 2021 [acesso em 14 mar 2022]. Disponível em: https://www.brasildefatope.com.br/2021/02/24/sem-dados-do-censo-populacao-Igbti-do-brasil-continuara--desconhecida-por-mais-10-an.

Brasil. Decreto nº 8,727. Dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de género de pessoas travestis e transexuais no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional [internet]. Brasília (DF); 2016 [acesso em 23 maio 2022]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_at02015-2018/2016/decreto/d8727.htm.

Downloads

Publicado

2022-07-30

Como Citar

Goncalves de Pontes, J., & Bernardino dos Santos, R. (2022). Ações voltadas para a transferência de conhecimento sobre o público LGBT: experiência do Ambulatório de Especialidades Médicas de Itapeva. BIS. Boletim Do Instituto De Saúde, 23(1), 86–95. https://doi.org/10.52753/bis.v23i1.39641