Perfil epidemiológico dos casos de leptospirose na Região Metropolitana da Baixada Santista (SP), Brasil

Autores

  • Andréa Gobetti Vieira Coelho Instituto Adolfo Lutz
  • Ivy de Jesus Alves Instituto Adolfo Lutz
  • Vitória Larissa Vale Farias Universidade Paulista, Campus Santos/Rangel

DOI:

https://doi.org/10.57148/bepa.2019.v.16.37685

Palavras-chave:

Leptospirose., Epidemiologia, Letalidade.

Resumo

Objetivo: Diante da elevada taxa de letalidade e da ausência de pesquisas que descrevam a leptospirose na Região Metropolitana da Baixada Santista (RMBS), este estudo apresenta a distribuição e a análise epidemiológica dos casos humanos autóctones confirmados na região, de 2010 a 2015. Métodos: Estudo descritivo, de dados secundários, tendo como fontes: Instituto Adolfo Lutz – Sistema Integrado de Gestão Hospitalar (SIGH), Grupo de Vigilância Epidemiológica de Santos/GVE XXV – Sistema de
Informação de Agravos de Notificação (Sinan) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A análise descritiva das principais características dos casos e sua distribuição segundo as variáveis de interesse foram feitas por meio de comparações de médias e proporções. Resultados: No período foram confirmados 385 casos, correspondendo à incidência média anual de 3,71/100.000 habitantes. Houve maior ocorrência em homens (81,29%), na faixa etária de 20-40 anos (59,68%);
45,45% dos casos estavam concentrados nos municípios de Santos e São Vicente. Em todas as cidades da RMBS, a zona urbana foi a de maior ocorrência. Conclusão: Os resultados destacam incidência e letalidade (19,22%) de casos superior às demais encontradas em todo o território nacional. Associado a estes dados alarmantes, há consequências e urgência de prevenção, não só na RMBS, mas também em todo o país, que ressaltam a necessidade de pesquisas que possam contribuir às ações de controle do agravo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Ríos DI, Chaparro-Solano HM.

Reto clínico en el diagnóstico y

tratamento de leptospirosis. Rev.

cienc. salud. 2015; 13(1):91-7.

Secretaria da Saúde (SP), Coordenadoria

de Controle de Doenças, Centro de

Vigilância Epidemiológica. Verão estação

das chuvas, das enchentes e também da Leptospirose [internet]. 2015 [acesso

em 02 mar 2016]. Disponível em: www.

saude.campinas.sp.gov.br/saude/doencas/

leptospirose/cve_lept_dez04.pdf

Brandão AP, Camargo ED, da Silva

ED, Silva MV, Abrão RV. Macroscopic

Agglutination Test for Rapid Diagnosis

of Human Leptospirosis. J. clin.

microbiol. 1998; 36(11):3138-42.

Oliveira PPV. Fatores de risco para

Leptospirose como doença ocupacional

em surto no interior do Ceará: estudo

de caso controle [dissertação]. Rio

de Janeiro: Escola Nacional de Saúde

Pública Sergio Arouca; 2012.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de

Vigilância em Saúde, Departamento de

Vigilância das Doenças Transmissíveis.

Leptospirose: diagnóstico e manejo clínico,

[acesso em 18 abr. 2016] Disponível

em: http://www.saude.sp.gov.br/resources/

cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/

areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissaopor-vetores-e-zoonoses/doc/lepto/

lepto15_manual_diag_manejo_clinico.pdf

Silva FJ, Silva GCP, Loffer SG,

Brihuega B, Samartino LE, Alarcon

Miguel FF et al. Isolation of Leptospira

spp. from a man living in a rural area

of the Municipality of Cruz Alta, RS,

Brasil. Ciênc. rural, 45(1):47-51.

Ministério da Saúde (BR). Informe

Epidemiológico Leptospirose. Leptospirose:

análise dos dados epidemiológicos de

a 2014. [acesso em 10 mar 2016].

Disponível em: http://portalarquivos.

saude.gov.br/images/pdf/2016/maio/20/

Informe-epidemiol--gico-leptospirose.pdf

Vasconcelos CH, Fonseca FR, Lise

MLZ, Arsky MLNS. Fatores ambientais

e socioeconômicos relacionados à

distribuição de casos de leptospirose no

Estado de Pernambuco, Brasil, 2001–2009.

Cad. saúde colet. 2012; 20(1):49-56.

9. Buzzar MR. Perfil Epidemiológico da

Leptospirose no Estado de São Paulo no

período de 2007 a 2015. [acesso em 10

abr 2017]. Disponível em: http://www.

saude.sp.gov.br/cve-centro-de-vigilanciaepidemiologica-prof.-alexandre-vranjac/

areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissaopor-vetores-e-zoonoses/agravos/

leptospirose/documentos-tecnicos

Instituto Brasileiro de Geografia e

Estatística - IBGE. Diretoria de Pesquisas

Coordenação de População e Indicadores

Sociais. Estimativas da População Residente

no Brasil e Unidades da Federação com data

de referência em 2010 e 2015. [acesso em

jun 2016]. Disponível em: https://ww2.

ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/

estimativa2017/estimativa_dou.shtm

Buzzar MR. Perfil Epidemiológico do

Estado de São Paulo. 2015. [acesso em

jan 2018]. Disponível em: http://www.

saude.sp.gov.br/cve-centro-de-vigilanciaepidemiologica-prof.-alexandre-vranjac/

areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissaopor-vetores-e-zoonoses/agravos/

leptospirose/documentos-tecnicos

Souza AES, Queiroz DCT, Marinho KM,

Siqueira AS. Aspectos Epidemiológicos da

Leptospirose no Município de SantarémPA, no período de 2001 a 2010. Revista

Perspectiva Amazônia. 2011; III(5):78-85.

Segurado AC, Cassenote AJ, Luna

EA. Saúde nas metrópoles – Doenças

infecciosas. Estud. av. 2016; 30(86).

Soares TSM, Latorre MRDO, Laporta

GZ, Buzzar MR. Análise espacial e

sazonal da leptospirose no município

de São Paulo, SP, 1998 a 2006. Rev.

saúde pública. 2010; 44(2):283-9.

Belchior NK, Azevedo TS. Distribuição

da Leptospirose nos Municípios do Estado de São Paulo no Período de 2008

a 2010. Hygeia. 2012; 8(14):39-52.

Costa F, Hagan JE, Calcagno J, Kane

M, Torgerson P et al. Global Morbidity

and Mortality of Leptospirosis: a

systematic review. PLoS negl. trop.

dis. 2015; 9(9): e0003898.

Jesus MS, Silva LA, Lima KMS,

Fernandes OCC. Cases distribution of

leptospirosis in City of Manaus, State of

Amazonas, Brasil, 2000-2010. Rev. Soc.

Bras. Med. Trop. 2012; 45(6):713-6.

Secretaria da Saúde (SP), Coordenadoria

de Controle de Doenças, Centro de

Vigilância Epidemiológica. Leptospirose.

[acesso em 20 fev 2017]. Disponível em:

http://www.saude.sp.gov.br/resources/

cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/

areas-de-vigilancia/doencas-detransmissao-por-vetores-e-zoonoses/

dados/lepto/lepto9817_gve.pdf

Downloads

Publicado

2019-03-30

Como Citar

1.
Gobetti Vieira Coelho A, de Jesus Alves I, Larissa Vale Farias V. Perfil epidemiológico dos casos de leptospirose na Região Metropolitana da Baixada Santista (SP), Brasil. Bepa [Internet]. 30º de março de 2019 [citado 26º de maio de 2024];16(183):3-14. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/37685

Edição

Seção

Artigo Original