Avaliação do sistema de vigilância das meningites no município de São Paulo, com ênfase para doença meningocócica

Autores

  • Gerrita de Cassia N. Figueira Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Telma R.M.P. Carvalhanas Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Maria Inês Gonçalves Okai Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Lúcia Frugys Yu Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Bernadete de Lourdes Liphaus Centro de Vigilância Epidemiológica

Palavras-chave:

Avaliação de Sistema, Vigilância Epidemiológica, Meningites, Doença Meningocócica

Resumo

 As meningites têm distribuição mundial e sua epidemiologia depende de fatores como: agente etiológico, aglomerados populacionais e faixa etária acometida. Realizou-se a avaliação do Sistema de Vigilância das Meningites no município de São Paulo nos anos de 2006 e 2008, com ênfase para a doença meningocócica, preconizando a notificação e a investigação. A metodologia seguiu as recomendações do Updated Guidelines for Evaluating Public Health Surveillance Systems Recommendations from the Guidelines Working Group/CCD e do roteiro para avaliação da Qualidade da Base de Dados do SINAN. Para a descrição da vigilância das meningites foram entrevistados técnicos responsáveis pela Vigilância das Meningites: do Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof Alexandre Vranjac”, das supervisões de vigilância em saúde/SUVIS/SMS/SP e dos núcleos de epidemiologia hospitalar. Os dados secundários foram obtidos a partir do SINAN com seleção de pacientes residentes e atendidos no município de São Paulo em 2006 e 2008, segundo a data de início dos sintomas. O presente estudo mostrou que os núcleos de vigilância epidemiológica hospitalar são úteis para desencadear as medidas de prevenção e controle e que o SINAN é uma ferramenta importante na geração de informações. No entanto, faz-se necessário reconhecer suas limitações e aperfeiçoar esse instrumento. No município de São Paulo a vigilância das meningites mostrou-se complexa, aceita pelos técnicos, oportuna em relação à investigação, inoportuna quanto a quimioprofilaxia e útil diante os objetivos do sistema.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Ministério da Saúde. Meningites. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância Epidemiológica. Brasília (DF); 2005;541-69.

Ministério da Saúde. Portaria nº 5, de 21 de fevereiro de 2006. Inclui doenças na relação nacional de notificação compulsória, define doenças de notificação imediata, relação dos resultados laboratoriais que devem ser notificados pelos Laboratórios de Referência Nacional ou Regional e normas para notificação de casos. Diário Oficial da União. 22 fev 2006; Seção 1:34.

Situação Epidemiológica das Meningites Bacterianas no Estado de São Paulo. Boletim Epidemiológico Paulista. 2004;1(4):4-7.

Sáfadi MAP, Barros AP. Vacinas meningocócicas conjugadas: eficácia e novas combinações. Jornal de Pediatria. 2006 Supl 82(3):35-44.

Investigação de surto comunitário de doença meningocócica no município de São Paulo, julho de 2007. Rev. Saúde Pública 2007;41(5):873-8.

Carvalhanas TRMP, Brandileone MCC, Zanella RC. Meningites bacterianas. Boletim Epidemiológico Paulista. 2005;2(17):15-25.

Barroso DE, et al.Doença Meningocócica: epidemiologia e controle dos casos secundários. Rev. Saúde Pública. 1998;32(1):89-97.

Branco BG, Amoretti CF, Tasker RC. Doença Meningocócica e Meningite. Jornal de Pediatria. 2007 Supl 83(2):46-53.

Cad Saúde Pública. 2003 Supl 1;19:37-45.

Laguardia JD, et al. Sistema de informação de agravos de notificação em saúde (Sinan): desafios no desenvolvimento de um sistema de informação em saúde. Epidemiol. Serv. Saúde. 2004;13(3):135-46.

Coordenação Nacional da Vigilância Epidemiológica em Âmbito Hospitalar; disponível em: http://svs.aids.gov.br/ cievs/index, acessado em 10/2010.

Escosteguy CC, et al. Vigilância epidemiológica e avaliação da assistência as meningites. Rev. Saúde Pública. 2004;38(5):657-63.

Vigilância Epidemiológica em Âmbito Hospitalar. Rev. Saúde Pública. 2007; 41(3): 487-91.

Escosteguy CC, Medronho AR. A importância dos Núcleos de Vigilância Hospitalar. Cadernos de Saúde Coletiva. 2005;13(3):583-4.

Albuquerque MIN, Carvalho EMF de, Lima LP. Vigilância epidemiológica: conceitos e institucionalização. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant. 2002;2(1):7-14.

Gama SGN, et al. Caracterização epidemiológica da doença meningocócica na área metropolitana do Rio de Janeiro, Brasil, 1976 a 1994. Rev. Saúde Pública. 1997;31(3):254-62.

Busch IL. Aspectos epidemiológicos da meningite meningocócica no município de São Paulo, no período de 1968 a 1974. Rev. Saúde Pública. 1976;10:1-16.

Donalisio MR, et al. Letalidade na epidemiológica da doença meningocócica: estudo na região de Campinas, SP, 1993 a 1998. Rev. Saúde Pública. 2000;34(6):589-95.

Silva NS. Doença meningocócica: comparação entre formas clínicas. Rev Soc Bras Med Trop. 2007;40(3):304-10.

Secretaria da Saúde. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica. Divisão de Imunização. Divisão de Doenças de Transmissão Respiratória. Informe Técnico Vacina Conjugada contra o Meningococo C. São Paulo (SP); 2010.

Downloads

Publicado

2012-01-30

Como Citar

1.
N. Figueira G de C, R.M.P. Carvalhanas T, Gonçalves Okai MI, Frugys Yu L, de Lourdes Liphaus B. Avaliação do sistema de vigilância das meningites no município de São Paulo, com ênfase para doença meningocócica . Bepa [Internet]. 30º de janeiro de 2012 [citado 25º de abril de 2024];9(97):5-25. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/38381

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)