A implementação da linha de cuidado para travestis e transexuais e outras variabilidades de gênero no estado de São Paulo

Autores

  • Rosa de Alencar Souza Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria de Controle de Doenças, Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP | São Paulo, São Paulo, Brasil
  • Alexandre Gonçalves Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria de Controle de Doenças, Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP | São Paulo, São Paulo, Brasil
  • Maria Clara Gianna Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria de Controle de Doenças, Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP | São Paulo, São Paulo, Brasil
  • Ricardo Barbosa Martins Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria de Controle de Doenças, Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP | São Paulo, São Paulo, Brasil
  • Emi Shimma CRT DST Aids SP
  • Fabíola Lopes Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria de Controle de Doenças, Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP | São Paulo, São Paulo, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.57148/bepa.2023.v.20.38883

Palavras-chave:

English

Resumo

Este texto tem por finalidade apresentar a Linha de Cuidado planejada e articulada com a implementação de novos serviços integrada a um conjunto de práticas mais abrangente de assistência em saúde e aos demais setores responsáveis por políticas públicas que tenham como objetivo atender travestis e transexuais e outras variabilidades de gênero. 

Consideramos que a implementação de atenção integral à população travesti e transexual envolve um conjunto de ações e procedimentos em saúde ofertadas para melhor qualificação e proposta para demandas de experiências integrais de pessoas trans e com variabilidade de gênero no campo da saúde e do SUS, incluindo modificação das características corporais com o objetivo de adquirir e expressar características do gênero ao qual se sente e refere pertencer. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

(WPATH) Associação Mundial Profissional para a Saúde Transgênero -

Normas de atenção à saúde das pessoas trans e com variabilidade de gênero, 7ª versão, 2012

Adolescentes e Jovens para a educação entre pares – Saúde e Prevenção nas Escolas – Gêneros: MS 2010 – série Manuais nº 69

Adolescentes e Jovens para a educação entre pares – Saúde e Prevenção nas Escolas – Diversidades Sexuais: MS 2010 – série Manuais nº 69

HQ SPE (nº 1 ao 6): UNESCO – MEC – MS – 2010

HQ SPE Um guia para a utilização em sala de aula: UNESCO – MEC – MS – 2010

Curso EAD: “A conquista da cidadania LGBT” – A política da diversidade sexual no estado de São Paulo – versão: SES – Turma 3 – março/2015

TEIXEIRA P, JUSTO LP, BUSANELLO J, SHIMMA E. TRAVESTIS E Transexuais – vulnerabilidades, riscos e demandas em Saúde. In Vulnerabilidades, resiliência e redes. Uso, abuso e dependência de drogas. Eroy A Silva, Yone G Moura, Denise K Zugman (Org). Cap. 6 (85-111). São Palo, Red Publicações, 2015.

SAULO VITO CIASCA, ANDREA HERCOWITZ, ADEMIR LOPES JUNIOR. Saúde LGBTQIA+: Práticas de cuidado transdisciplinar/editores , 1a ed, Santana de Parnaíba (SP): Manole, 2021.

FERNANDA DE OLIVEIRA PAVELTCHUK JULIANE CALLEGARO. A Teoria Do Estresse De Minoria Em Lésbicas, Gays E Bissexuais. Borsa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil SPAGESP - Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo Revista da SPAGESP, 21(2), 41-54

PORTARIA N. 2.803, 19/11/2013. Redefine e amplia o Processo Transexualizador no Sistema Único de Saúde (SUS). Acessível no link: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2803_19_11_2013.html

Publicado

2023-06-26

Como Citar

1.
Souza R de A, Gonçalves A, Gianna MC, Martins RB, Shimma E, Lopes F. A implementação da linha de cuidado para travestis e transexuais e outras variabilidades de gênero no estado de São Paulo. Bepa [Internet]. 26º de junho de 2023 [citado 14º de julho de 2024];20(220):1-18. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/38883

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)