Qualidade de saneantes e antissépticos utilizados em hospitais da rede pública
PDF

Palavras-chave

qualidade
saneantes
antissépticos
procedimento

Como Citar

1.
Santa Bárbara MC, Miyamaru LL, Yano HM, Almódovar AAB, Lima R de F, Auricchio MT, Bugno A. Qualidade de saneantes e antissépticos utilizados em hospitais da rede pública. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de dezembro de 2012 [citado 21º de julho de 2024];71(4):650-5. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32479

Resumo

Neste estudo, foi avaliada a qualidade de produtos saneantes e antissépticos utilizados em hospitais da rede pública, por terem papel relevante como medida de controle e prevenção das infecções e doenças. O presente estudo, proveniente do Programa de Monitoramento do Município de São Paulo, avaliou 54 produtos, dos quais 47 contidos em embalagens originais lacradas e sete previamente diluídos nos hospitais. Vinte e seis amostras de detergentes e desinfetantes foram avaliadas quanto aos parâmetros microbiológicos, pH e teor de substância ativa; 25 antissépticos e três produtos esterilizantes foram analisados somente quanto ao teor de componente ativo. Cinco das amostras de desinfetantes em embalagem original estavam em desacordo com a legislação vigente, no que diz respeito ao componente ativo, à ausência de atividade antimicrobiana e/ou rotulagem. Sobre as amostras de desinfetantes diluídos nos hospitais, 60% não apresentaram atividade antimicrobiana. Das 13 amostras de detergentes, 30,8% demonstraram contaminação microbiana, e em três amostras foi detectada a ocorrência de Pseudomonas, o que indica a necessidade de melhoria nos processos de fabricação. Os produtos antissépticos e detergentes foram considerados satisfatórios em relação aos demais ensaios realizados. Ressalta-se, ainda, a escassez de publicações de dados de programas de monitoramento de produtos dessas categorias no nosso país.
https://doi.org/10.53393/rial.2012.71.32479
PDF

Referências

1. Padoveze MC, Assis DB, Freire MP, Madalosso G, Ferreira SA. Surveillance programme for healthcare associated infections in the State of São Paulo, Brazil. Implementation and the first three years’ results. J Hosp Infect. 2010;76(4):311-5.

2. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar: Caderno C − Métodos de Proteção anti-infecciosa [acesso 2011 ago 01]. Disponível em: [http://www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/CIHCadernoC.pdf ].

3. Andrade D, Angerami ELS. Reflexões acerca das infecções hospitalares às portas do terceiro milênio. Medicina. 1999;32:492-7.

4. Kalil EM, Costa AJF. Desinfecção e esterilização. Acta Ortop Bras. 1994;2(4):1-4.

5. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 59, de 17 de dezembro de 2010. Dispõe sobre os procedimentos e requisitos técnicos para a notificação e o registro de produtos saneantes. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 22 dez 2010; Seção 1:80-2.

6. Merianos JJ. Quaternary Ammonium Antimicrobial Compounds. In: Block SS. Disinfection, Sterilization, and Preservation. Pensylvania: Lea & Febiger; 1991. p.225-55.

7. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 55, de 10 de novembro de 2009. Dispõe sobre regulamento técnico para produtos saneantes categorizados como água sanitária e alvejante à base de hipoclorito de sódio ou hipoclorito de cálcio. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 13 nov 2009; Seção 1:42.

8. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 14, de 28 de fevereiro de 2007. Aprova o regulamento técnico para produtos saneantes com ação antimicrobiana harmonizado no âmbito do Mercosul através da Resolução GMC nº 50/06. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 05 mar 2007; Seção 1(Supl):2-4.

9. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 35, de 16 de agosto de 2010. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para produtos com ação antimicrobiana utilizado sem artigos críticos e semicríticos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 18 ago 2010; Seção 1:44-6.

10. Center for Disease Control and Prevention – CDC. Guideline for hand hygiene in health-care settings. MMWR. 2002; 51(RR-16):1-45.

11. Brasil. Ministério da Saúde. Instrução Normativa nº 03, de 28 de abril de 2009. Dispõe sobre a atualização do Anexo I da Resolução – RDC n° 199 de 26 de outubro de 2006, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 29 abr 2009; Seção 1:53-60.

12. United States Pharmacopeia – USP. USP 32. 32. ed. Rockville: United States Pharmacopeias Convention; 2009.

13. Longman GF. The Analysis of detergents and detergents products. London: John Wiley & Sons; 1977.

14. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Farmacopeia Brasileira. 5. ed. Brasília (DF): Anvisa; 2010. Disponível em: [http://www.anvisa.gov.br/hotsite/cd_farmacopeia/index.htm].

15. Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde – INCQS. 65.3210.007 – Método da diluição de uso. [acesso 2011 Nov 01]. Disponível em: [http://eee.ebah.com.br/contente/ABAAABDJYAD/incqs-65-3210-007-metodo-diluicao-uso].

16. Brasil. Ministério da Saúde. Decreto nº 79.094, 05 de janeiro de 1977. Regulamenta Lei nº 6360 de 23 de setembro de 1976, que submetem a Sistema de Vigilância Sanitária os produtos de medicamentos, insumos farmacêuticos, drogas, correlatos, cosméticos, produtos dehigiene, saneantes e outros. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 7 jan 1977; Seção 1(Supl):11.

17. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 40, de 5 de junho de 2008. Aprova o regulamento técnico para produtos de limpeza e afins harmonizados no âmbito do Mercosul através da Resolução GMC nº 47/07. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 06 jun 2008; Seção 1:57-8.

18. Bugno A, Buzzo AA, Pereira TC, Santa Bárbara MC. Contaminantes microbiológicos em detergentes e seus congêneres. Rev Inst Adolfo Lutz. 2003;62(1):27-30.

19. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Pesquisa da Notificação de Produtos Saneantes. [acesso 2011 Nov 1]. Disponível em: [http://www.7.anvisa.gov.br/datavisa/Notificado/Saneantes/NotificadoSaneante.asp].

20. Brasil. Lei nº 6.437, 20 de agosto de 1977. Configura infrações à legislação sanitária federal, estabelece as sanções respectivas, e dá outras previdências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 24 ago 1977; Seção 1.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2012 Maria Cristina Santa Bárbara, Lígia Luriko Miyamaru, Helena Miyoco Yano, Adriana Aparecida Buzzo Almódovar, Renata de França Lima, Mariângela Tirico Auricchio, Adriana Bugno

Downloads

Não há dados estatísticos.