Avaliação das características físico-químicas e microbiológicas dos componentes fibrosos obtidos da moagem úmida de grãos de milho
PDF

Palavras-chave

coproduto
fibra alimentar
milho
moagem úmida

Como Citar

1.
Rocha-Olivieri CM, Conti-Silva AC, Lopes-Filho JF. Avaliação das características físico-químicas e microbiológicas dos componentes fibrosos obtidos da moagem úmida de grãos de milho. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de dezembro de 2012 [citado 21º de julho de 2024];71(4):728-32. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32490

Resumo

As fibras são materiais não digeríveis pelo organismo humano e insolúveis em condições específicas. A fibra do milho tem sido utilizada como componente alternativo para enriquecer produtos alimentícios destinados ao consumo humano, com o intuito de agregar valor a esse coproduto. No presente estudo foram determinadas as características químicas e as frações componentes de fibras de milho, extraídas por moagem úmida, em laboratório (FLab), e moagem semiúmida, em processo industrial (FInd); neste último produto foi realizada análise microbiológica. A composição das fibras diferiu estatisticamente entre ambas as amostras (p < 0,05) quanto aos teores de umidade, cinzas, lipídeos, proteínas, fibra alimentar insolúvel, fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), celulose e lignina. A amostra FInd demonstrou parâmetros microbiológicos em conformidade com as especificações adequadas para o consumo. As fibras de milho estudadas podem contribuir efetivamente para o aumento do aporte de fibras na dieta alimentar. Em vista da fibra obtida pelo FInd ter demonstrado parâmetros microbiológicos em conformidade com as especificações para alimentos, esse componente poderá ser incorporado na formulação de produtos alimentícios.
https://doi.org/10.53393/rial.2012.71.32490
PDF

Referências

1. Watson SA. Structure and Composition. In: White P, Johnson LA, orgs. Corn: Chemistry and Technology. St. Paul: American Association of Cereal Chemists; 1991. p. 53-82.

2. Singh N, Eckhoff SR. Wet milling of corn – a review of laboratory – scale and pilot plant – scale procedures. Cereal Chem. 1996;73(6):659-67.

3. Rose DJ, Inglett GE, Liu SX. Utilization of corn (Zea mays) bran and corn fiber in the production of food components. J Sci Food Agric. 2010;90(6):915-24.

4. AACC. American Association of Cereal Chemists. AACC Report. Dietary fiber technical committee. The definition of dietary fiber. Cereal Foods World. 2001;46(3):112-26.

5. Trowell H, Burkitt D, Heaton K. Dietary fibre, fibre-depleted foods and disease. London: Academic Press; 1985.

6. Stewart ML, Nikhanj SD, Tim DA, Thomas W. Evaluation of the effect of four fibers on laxation, gastrointestinal tolerance and serum markers in healthy humans. Ann Nutr Metab. 2010;56(2):91-8.

7. AOAC. Association of Official Analytical Chemists. Official methods of analysis of the association of analytical chemistry. 12. ed. Washington (DC); 1992.

8. Prosky L, Asp NG, Schweizer TF, De Vries JW, Furda I. Determination of insoluble, soluble and total dietary fiber in foods and food-products – Interlaboratory study. J AOAC. 1988;71(5):1017-23.

9. Van Soest PJ, Wine RH. Use of detergents in the analysis of fibrous feeds. 4. Determination of plant cell wall constituents. J AOAC. 1967;50:50-5.

10. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC nº 12, de 2 de janeiro de 2001. Aprova Regulamento Técnico sobre Padrões Microbiológicos para Alimentos e seus anexos I e II. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 10 jan 2001; Seção 1(7-E):45.

11. Silva N, Junqueira VCA, Silveira NFA. Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Alimentos. São Paulo: Varela; 2001.

12. Noureddini H, Byun J. Dilute-acid pretreatment of distillers’ grains and corn fiber. Biores Technol. 2010;101:1060-7.

13. Paes MCD. Aspectos Físicos, Químicos e Tecnológicos do Grão de Milho. Circular Técnica, 75. Sete Lagoas (MG): Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Embrapa; 2006.

14. Cherbut C, Aube AC, Mekki N, Dubois C, Lairon D, Barry JL. Digestive and metabolic effects of potato and maize fibres in human subjects. Br J Nutr. 1997;77:33-46.

15. Blanco-Metzler A, Montero CMA, Fernández PM. Chemical composition of food products derived from wheat and corn produced in Costa Rica. Arch Latinoam Nutr. 2000;50:91-6.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2012 Camila Mattos Rocha-Olivieri, Ana Carolina Conti-Silva, José Francisco Lopes-Filho

Downloads

Não há dados estatísticos.