Doença de Chagas: situação vetorial no município de Limoeiro do Norte (CE) no período de 2006 a 2009
PDF

Palavras-chave

Doença de Chagas
triatomíneos
prevalência
índice de infecção

Como Citar

1.
Vasconcelos ASO de B, Freitas EC, Duarte MC, Lima MM, Pereira L dos S, Soares KCM, Coelho HLL, Oliveira M de F. Doença de Chagas: situação vetorial no município de Limoeiro do Norte (CE) no período de 2006 a 2009. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 25º de abril de 2013 [citado 21º de julho de 2024];72(4):295-301. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32931

Resumo

Entre as doenças transmitidas por vetores no Brasil, a doença de Chagas é uma das mais importantes como problemas de saúde pública. Neste estudo foi estimada a prevalência de triatomíneos infectados por Trypanosoma cruzi no município de Limoeiro do Norte-CE, por meio de consulta aos arquivos do Programa de Controle da Doença de Chagas deste Distrito Sanitário no período de 2006 a 2009. Na análise foram incluídos os triatomíneos adultos e ninfas, mortos ou vivos, capturados durante o período investigado. Durante os quatro anos de estudo foram capturados 2.863 exemplares de triatomíneos, ninfas e adultos distribuídos no intradomicílio e peridomicílio; e examinados 2.756 (96,3 %) exemplares. O índice de infecção dos triatomíneos foi de 7,9 % nos quatros anos de estudo. O número de ninfas capturadas foi cerca de três vezes maior que o número de adultos; no entanto, o número de ninfas infectadas pelo flagelado (5,30 %) foi inferior aos adultos (15,85 %). O distrito de Limoeiro do Norte apresenta alto risco de transmissão para doença de Chagas e, portanto, sugere-se que as ações de controle sejam intensificadas neste município para evitar a ocorrência de transmissão da doença e dispersão do vetor.
https://doi.org/10.18241/0073-98552013721577
PDF

Referências

1. Gómez-Hernández C, Rezende-Oliveira K, Zárate AC, Zárate EC, Trujillo-Contreras F, Ramirez LE. Prevalência de triatomíneos (Hemíptera: Reduviidae: Triatominae) infectados por Trypanosoma cruzi: sazonalidade e distribuição na região Ciénega do Estado de Jalisco, México. Rev Soc Bras Med Trop. 2008;41(3):257-62.

2. Schofield CJ, Jannin J, Salvatella R. The future of Chagas disease control. Trends Parasitol. 2006;22:583-8.

3. World Health Organization. Chagas disease information. The UNICEF-UNDP Programme on TDR: WHO; 2011.

4. Oliveira MF, Nagao-Dias AT, Pontes VMO, Souza Júnior AS, Coelho HLL, Coelho ICB. Tratamento etiológico da doença de Chagas no Brasil. Rev Patol Trop. 2008; 37(3)209-28.

5. Organización Panamericana de la Salud. Estimación cuantitativa de la enfermedad de Chagas en las Américas. OPS/HDM/CD. 2006;425-06.

6. Jurberg J, Galvão C, Noireau F, Carcavalho RU, Rocha DS, Lent H. Uma Iconografia dos Triatomíneos (Hemíptera: Reduviidae). Entomol Vect. 2004;11(3): 454-94.

7. Coura JR. Tripanosomose, Doença de Chagas. Cienc Cult. 2003;55(1):30-3.

8. Camandaroba ELP, Pinheiro-Lima CM, Andrade SG. Oral transmission of Chagas disease: importance of Trypanosoma cruzi biodeme in the intragastric experimental infection. Rev Inst Med Trop. São Paulo. 2002;44(2):97-103.

9. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Gerenciamento do Risco Sanitário na Transmissão de Doença de Chagas Aguda por Alimentos. Informe Técnico (35). Brasília (DF); 2008.

10. Coura JR. Doença de Chagas. In: Coura JR (ed). Síntese das doenças infecciosas e parasitárias. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan. 2008. p.12-8.

11. Ministério da Saúde. Guia de Vigilância Epidemiológica. Caderno 10: Doença de Chagas. 7ª Edição. Brasília (DF); 2010.

12. Vinhaes M, Dias JCP. Doença de Chagas no Brasil. Cad SaúdePública. 2000,16(2):7-12.

13. Dias FBS, Bezerra CM, Machado EMM, Casanova C, Diotaiuti L. Ecological aspects of Rhodnius nasutus Stål, 1859 (Hemiptera: Reduviidae: Triatominae) in palms of the Chapada do Araripe in Ceará, Brazil. Mem Inst Oswaldo Cruz. 2008; 103(8):824-30.

14. Freitas ALCC, Freitas SP, Gonçalves TCM, Neto ASL. Vigilância Entomológica dos Vetores da Doença de Chagas no Município de Farias Brito, estado do Ceará – Brasil. Cad Saúde Coletiva. 2007;15(2):231-40.

15. Garcia MHHM, Souza L, Souza RCM, Paula AS, Borges EC, Barbosa SE, et al. Occurrence and variability of Panstrongylus lutzi in the State of Ceará, Brazil. Rev Soc Bras Med Trop. 2005;38(5):410-5.

16. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (acesso 2013 Ago). Disponível em: [http://www.ibge.gov.br/cidadesat/xtras/perfil.php?codmun=230760&search=ceara|limoeiro-do-norte].

17. Wikipédia – Limoeiro do Norte. (acesso 2013 Ago). Disponível em: [http://pt.wikipedia.org/wiki/Limoeiro_do_Norte].

18. Tartarotti E, Azevedo-Oliveira MTV, Ceron CR. Problemática vetorial da Doença de Chagas. Vectorial problematic of the Chagas disease. Arq Ciênc Saúde. 2004;11(1):44-7.

19. Lima MM, Coutinho CFS, Gomes TF, Oliveira TG, Duarte R, Borges-Pereira J, et al. Risk Presented by Copernicia pruniferaPalm Trees in the Rhodnius nasutus. Am J Trop Med Hyg. 2008;79(5):750–4.

20. Freitas SPC, Lorosa ES, Rodrigues DCS, Freitas ALC, Gonçalves TCM. Fontes alimentares de Triatoma pseudomaculata no estado do Ceará, Brasil. Rev Saúde Pública. 2005;39:27-32.

21. Villela MM, Souza JB, Mello VP, Azeredo BVM, Dias JCP. Vigilância entomológica da doença de Chagas na região centro-oeste de Minas Gerais, Brasil, entre os anos de 2000 e 2003. Cad Saúde Pública. 2005;21(3):878-86.

22. Caranha L, Lorosa ES, Rocha D S, Jurberg JE, Galvão C. Estudo das fontes alimentares de Panstrongylus lutzi (Neiva & Pinto, 1923) (Hemiptera: Reduviidae: Triatominae) no Estado do Ceará. Rev Soc Bras Med Trop. 2006;39(4):347-51.

23. Silveira AC, Vinhaes MC. Doença de Chagas: Aspectos epidemiológicos e de controle. Rev Soc Bras Med Trop.1998;31:15-60.

24. Sarquis O, Borges-Pereira J, Mac Cord JR, Gomes TF, Cabello PH, Lima MM. Epidemiology of Chagas disease in Jaguaruana, Ceará, Brazil. I. Presence of triatomines and index of Trypanosoma cruzi infection in four localities of a rural area. Mem Inst Oswaldo Cruz. 2004;99:263-70.

25. Siqueira-Batista R, Rubião ECN, Cotta RMM, Pissinatti A, Soranz LFSP. 2007b. Epidemiologia e ecologia. In: Siqueira-Batista R, Gomes AP, Corrêa AD, Geller M. Moléstia de Chagas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Rubio. 248p.

26. Forattini OP. Biogeografia, origem e distribuição da domiciliação de triatomíneos no Brasil. Rev Saúde Pública. 1980;14:265-99.

27. Alencar JE. História natural da doença de Chagas no Estado do Ceará. Fortaleza: Imprensa Universitária da Universidade Federal do Ceará; 1987; 341p.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2013 Arduina Sofia Ortet de Barros Vasconcelos, Erlane Chaves Freitas, Mônica Coelho Duarte, Marli Maria Lima, Laíse dos Santos Pereira, Kátia Cristina Morais Soares, Helena Lutéscia Luna Coelho, Maria de Fátima Oliveira

Downloads

Não há dados estatísticos.