Investigação sobre produtos de tomate
PDF

Como Citar

1.
Souto AB, Godoy O de. Investigação sobre produtos de tomate. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 9º de fevereiro de 1942 [citado 21º de junho de 2024];2(1):100-8. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/33085

Resumo

Utilizando a técnica de Howard para controle de cogumelos, bactérias, leveduras e esporos em produtos de tomate, procurou-se verificar o estado sanitário desses produtos. Foram minuciosamente examinadas 100 amostras de produtos derivados de tomate, oriundas de vários Estados do Brasil e pertencentes a 20 fabricantes diversos. Em relação ao controle de cogumelos, verificou-se que 83% das amostras examinadas apresentaram mais de 50% de campos microscópicos positivos. A maior proporção achada foi de amostras com 76% de campos microscópicos positivos. As taxas oscilaram entre um mínimo de 14% e um máximo de 98% de campos microscópicos positivos. Em relação ao controle de bactérias por cc., verificou-se que a maior porcentagem foi apresentada pelos produtos contendo entre 100 e 200 milhões de bactérias por cc. Em relação ao controle de leveduras e esporos por 1/60mm3, verificou-se que as amostras examinadas apresentaram na sua totalidade mais de 125 leveduras e esporos por 1/60mm3, A maior porcentagem, ou seja, 41,66%, dos produtos examinados apresentaram entre 1.000 1.200 leveduras e esporos por 1/60mm3. Em relação aos adulterantes: 44 dos produtos examinados demonstraram a presença de um ou de mais de um adulterante. Os adulterantes mais frequentes foram: a abóbora em 29% dos casos; o pimentão em 8%; a batata doce em 3% e a banana em 1%. Em 3% das amostras examinadas foi evidenciada a presença de mais de um adulterante. Três quartas partes das massas de tomate examinadas, ou seja, 75% estavam adulteradas com um ou mais de um adulterante.

https://doi.org/10.53393/rial.1942.2.33085
PDF

Referências

1. ALMEIDA, A. Ozório; :M. D. Goulart; JYI. Yelpo & A. V. Pinto - 1941, Rev. Bms. Biol., 1 :345.

2. ALMEIDA, F. P.; C. S. Lacaz & O. Barros- 1941, Rev. Inst. Adolfo Lutz, 1:396.

3. BERTARELLI, E. & M, Marchelli - 1920, An. di Hig., 30:309.

4. BESSEY, E. A. - 1935, A text book of Mycology - P. Blakiston's Son & Co., Edit. Philadalphia.

5. BUCHANAN, E. D. & R. F. Buchanan - 1930, Bacteriology - MacMillan Co. - Edit. Londres.

6. BULLER SOUTO, A. - 1941, Re'L lnst. Adolfo Lutz, 1 :181.

7. CRUES, W. W. - 1938, Commercial Fruit and Vegetables products - Sec. Ed. - Mac Grow Co. - Edit. - New York.

- 1936, Exportación de tomate - Bol. Fn~tas y H ortcilizas clel Ministerio de Agricultura, 1:1.

- 1934, Decreto n.0 51.266 de 7 de Novembro de 1934 - Leys, Decretos y Resoluciones - Miriisterio de Hacienda - D. G. O. Químicas Nacionales, 2:18.

- 1934, Decreto n. 0 70.150 de 2 Novembro de 1936, idem, pg. 79.

- 1940, Decreto n. 0 79.832 de 18 de Novembro de 1940. 161

- 1939, Federal Food, Drug, and Comestic Act. General regulations for its enforcement - U. S. Government Printing Office, Edit.

8. FONSECA, O. - 1937, Notas de um Curso de Mycologia do Instituto Oswaldo Cruz.

9. GODOY, E. F. - 1939, Bol. de frutas y hortalizas del 1vlinist. de Agricultura de la Nación, 4: 1.

10. HAGER, H. & C. Mez - 1922, El Microscopia y sus aplicaciones - Gustavo Gili Edit. Barcelona.

- 1937, Indústria do Suco de tomates - Notas Agricolas da Secretaria da Agricultura do Estado de S. Paulo, 3:28.

11. HOWARD, J. B., 1935, Determination of insects parts in tomato products. Food and Drug Administration. Department of Agriculture - Edit. Wasington.

12. HOWARD, J. B. - 19:39, Outlines for instruction in tomato microscopical methods. Food and Dmg Administration. Dopmtment of Agriculture - Edit. Washington.

13. LEPRINCE, M. & R. Lecoy - 1930, Guide pratique d'analyses alimentaires et d'expertises chimiques usuelles. Vigot Freres, Edit. Paris.

14. LORENA, B. - 1937, A cultura do tomateiro - Direto. Publicidade Agrícola da Secretaria da Agdcultura do Estado de S. Paulo - Edit. S. Paulo.

- 1940, Microanalyses of tomato pulp, pm·ee, sauce paste. Official and Tentative methods of Analysis of the Association of Official Agricultural Chemists. 5.a ed., Assoc. of Official Chemists Edit., Washington.

15. MORRIS, T. N. - 1933, Principies of fruit preservation. Chapman & Hall Edit., Londres.

16. RIBEIRO, R. F. & A. GOMES - 1941, Rev. do Instituto Adolfo Lutz, 2:476.

17. RIVAS, J. G. - 1937, Bol. ele frutas y hortcwzas del Minist. ele Agric. de la N ctción, 2:1.

18. SCHNEIDER, A. - 1920, The Microanalyses and Microbiology of Foods. P. Blakiston's Sons & Co. Edit., Philadelphia.

19. SMITH, F. R. - 1940, A method for determination of mold in tomato soup, eanned spaghetti, pork and beans and similar produets eontaining tomato sauee. Food and Drug Administration. Depart. of Agriculture Edit. Washington.

20. SORIANO, A. & L. Garassini - 1941, Analisis microscopico industrial de las conservas de tomates por la detenninaeión de filamentos de hongos y fragmentos de insectos. Trabalho apresentado à "la. Reunión Argentina de Agronomia" 2 a 6 de Abril de 1941, Buenos Aires.

21. TANNER, F. W. - 1919, Baeteriology and Mycology of Foods. John Wiley & Sons, Edit. N ew Y ork.

22. WINTON, A. L. & K. B. Winton - 1933, The structure and eomposition of Foods. John Wiley & Sons, Edit., New York.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1942 Ariosto Buller Souto, Olivia de Godoy

Downloads

Não há dados estatísticos.