Qualificação do transporte de amostras para o monitoramento da qualidade de água tratada para uso em diálise

Autores

  • Adriana Bugno Centro de Medicamentos, Cosméticos e Saneantes, Instituto Adolfo Lutz
  • Adriana Aparecida Buzzo Almodovar Núcleo de Ensaios Biológicos e de Segurança, Centro de Medicamentos, Cosméticos e Saneantes, Instituto Adolfo Lutz
  • Fernando Pontes de Lima e Silva Núcleo de Ensaios Biológicos e de Segurança, Centro de Medicamentos, Cosméticos e Saneantes, Instituto Adolfo Lutz
  • Ellen Gameiro Hilinski Núcleo de Ensaios Biológicos e de Segurança, Centro de Medicamentos, Cosméticos e Saneantes, Instituto Adolfo Lutz
  • Márcia Liane Buzzo Núcleo de Contaminantes Inorgânicos, Centro de Contaminantes, Instituto Adolfo Lutz, São Paulo, SP, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.53393/rial.2018.v77.34183

Palavras-chave:

água, programa de monitoramento, qualificação, transporte de amostras, diálise, temperatura

Resumo

As condições de coleta e o transporte das amostras de água tratada para uso em diálise são etapas críticas para garantir a qualidade dos resultados analíticos. A temperatura no transporte de amostras deve assegurar a manutenção das características físicas e biológicas desde a coleta até o recebimento pelo laboratório analítico. O objetivo deste estudo foi de qualificar o transporte de amostras de água tratada para diálise desde os Serviços de Diálise do estado de São Paulo até o Instituto Adolfo Lutz, realizado durante a execução do Programa Estadual de Monitoramento. Os resultados obtidos indicaram que o sistema adotado, utilizando-se caixas isotérmicas e gelo reutilizável, é capaz de garantir as condições adequadas de temperatura durante o transporte do ponto de coleta das amostras até o laboratório analítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Klinger R. Volunteer water monitoring program, Karnataka, India. Karnataka State Pollution Control Board. 2015. http://dx.doi.org/10.13140/RG.2.1.1546.2568

2. Deutsch WG, Ruiz-Córdova S. Trends, challenges, and responses of a 20-year, volunteer water monitoring program in Alabama. Ecol Soc. 2015;20(3):14. http://dx.doi.org/10.5751/ES-07578-200314

3. Buckland-Nicks A, Castleden H, Conrad C. Aligning community-based water monitoring program designs with goals for enhanced environmental management. J Sci Commun. 2016;15(03):A01. Disponível em: https://jcom.sissa.it/sites/default/files/documents/JCOM_1503_2016_A01.pdf

4. Storey RG, Wright-Stow A, Kin E, Davies-Colley RJ, Stott R. Volunteer stream monitoring: Do the data quality and monitoring experience support increased community involvement in freshwater decision making? Ecol Soc. 2016;21(4):32. https://doi.org/10.5751/ES-08934-210432

5. U. S. Environmental Protection Agency – EPA. Drinking Water Action Plan. Office of Water. 2016.

Disponível em: https://www.epa.gov/sites/production/files/2016-11/documents/508.final_.usepa_.drinking.water_.action.plan_11.30.16.v0.pdf

6. Buzzo ML, Bugno A, Almodovar AAB, Kira CS, Carvalho MFH, Souza A, et al. A importância de programas de monitoramento da qualidade da água para diálise na segurança dos pacientes. Rev Inst Adolfo Lutz. 2010;69(1):1-6. Disponível em: http://revistas.bvs-vet.org.br/rialutz/article/view/6373

7. Ramirez SS, Delgado AG, Romão CMA, Almeida AECC. Água para hemodiálise: estudo comparativo entre os resultados das análises fiscais e as análises de rotina realizadas em unidades de diálise no estado do Rio de Janeiro. Vigil Sanit Debate. 2015;3(3):104-9. http://doi.org/10.3395/2317-269X.00488

8. Dovidauskas S, Okada IA, Iha MH, Cavallini AG, Okada MM, Briganti RC. Avaliação da qualidade da fluoretação de águas de abastecimento público em 88 municípios da região Nordeste do estado de São Paulo (Brasil). Vigil Sanit Debate. 2017;5(3):14-23. http://doi.org/10.22239/2317-269x.00926

9. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 11, de 13 de março de 2014. Dispõe sobre os Requisitos de

Boas Práticas de Funcionamento para os Serviços de Diálise e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2867923/(1)RDC_11_2014_COMP.pdf/5e552d92-f573-4c54-8cab-b06efa87036e

10. Almodovar AAB, Buzzo ML, Bugno A, Ferreira MLD, Cardoso RL. Programa Estadual de Monitoramento da Água Tratada para Diálise: Capacitação de Equipe Técnica. Bol Inst Adolfo Lutz. 2017;27(U):art. 4. Disponível em: http://www.ial.sp.gov.br/resources/insituto-adolfo-lutz/publicacoes/bial/bial_27/27u_art-4.pdf

11. Instituto Adolfo Lutz (São Paulo-Brasil). Programa Estadual de Monitoramento da Água ratada para Diálise. Manual de Orientação de Colheita de Água. São Paulo (SP): Instituto Adolfo Lutz; 2017. Disponível em: http://www.ial.sp.gov.br/resources/editorinplace/ial/2017_5_30/manual-para-colheita-de-agua-para-dialise/final_manual_para_colheita_de_agua_para_dialise.pdf

12. American Public Health Association – APHA. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater, 23rd edition. Washington, DC 20001-370, 2017.

13. World Health Organization – WHO. Guidelines for drinking-water quality. Water sampling and analysis. p. 51-72. Disponível em: http://www.who.int/water_sanitation_health/dwq/2edvol3d.pdf

14. Laboratório Central de Saúde Pública – LACEN/SC. Manual de orientação para coleta de água e amostras ambientais (MCA 01). 2016. 11 p. Disponível em: http://lacen.saude.sc.gov.br/arquivos/MOCAAA.pdf

15. Guia nacional de coleta e preservação de amostras: água, sedimento, comunidades aquáticas e efluentes líquidos/Companhia Ambiental do Estado de São Paulo: Organizadores: Brandão CJ et al. São Paulo: CETESB; Brasília: ANA; 2011. 326 p. Disponível em:

http://arquivos.ana.gov.br/institucional/sge/CEDOC/Catalogo/2012/GuiaNacionalDeColeta.pdf

16. Laboratório Dr. Pio Análises Clínicas. Instruções de coleta para análise de água – INT. 302. 2 p. Disponível em: http://www.drpio.com.br/labalimentos/files/INT.302_instrucoes_coleta_analise_agua.pdf

17. Laboratório Central de Saúde Pública – LACEN, PR. Manual de coleta envio de amostras de vigilância ambiental. Manual 1.40.002; 2014. 19 p. Disponível em: http://www.lacen.saude.pr.gov.br/arquivos/File/MANUAL_COLETA_AGUA_DVLSA_ABR2014.pdf

18. Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Secretaria de Estado da Saúde Pública. Manual técnico de orientações básicas para atuação no programa de vigilância da qualidade da água para consumo humano - VIGIAGUA. Disponível em: http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/defesa_civil_estadual/DOC/DOC000000000037195.PDF

19. Ministério da Saúde. Orientações técnicas para coleta, acondicionamento e transporte de amostras de água para consumo humano; 2013. 18 p. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/julho/24/Proceds-e-progr-de-coleta-de---gua.pdf

20. Laboratório Central de Saúde Pública – LACEN, ES. Manual de coleta e transporte de amostras de água para consumo humano; 2017. 25 p. Disponível em: http://saude.es.gov.br/Media/sesa/LACEN/Manuais/MANUAL%20DE%20COLETA%20DE%20AMOSTRAS%20DE%20AGUA%20PARA%20CONSUMO%20HUMANO%20LACEN%20ES%20REV%2003.pdf

21. Laboratório Central de Saúde Pública – LACEN, MS. Manual de coleta de amostras de produtos sujeitos a vigilância sanitária e ambiental; 2011. 32 p. Disponível em: ftp://balcao.saude.ms.gov.br/horde/sisppi/MANUAL%20DE%20COLETA%20%20DE%20AMOSTRAS%20DA%20DBQ%20-%202011.pdf

22. Laboratório Central de Saúde Pública – LACEN, PA. Manual de orientações para coleta de água, amostras ambientais e produtos sujeitos à vigilância sanitária. 2. ed; 2017. 56 p. Disponível em: http://www.lacen.pa.gov.br/arquivos/manuais/Manual%20de%20Orienta%C3%A7%C3%B5es%20para%20Coleta%20de%20%C3%81gua%20atualizado%20CQB.pdf

23. Fundação Ezequiel Dias – FUNED. Manual de coleta de amostras; 2010. 61 p. Disponível em:

http://funed.mg.gov.br/wp-content/uploads/2011/05/Manual_Divisa_2011.pdf

24. Laboratório Central de Saúde Pública – LACEN, TO. Manual de coleta para análises de água de consumo humano; 2017. 16 p. Disponível em: https://central3.to.gov.br/arquivo/326941/

25. Association for the Advancement of Medical Instrumentation (AAMI). ANSI/AAMI 13959:2014. Water for hemodialysis and related therapies. Arlington: Association for the Advancement of Medical Instrumentation; 2014. p. 5-14.

26. UNITED States Pharmacopeia. 40th ed. Rockville: The United States Pharmacopeia Convention; 2017. p. 117-123, 1756-1770, 1851-1888, 6717-6719.

Downloads

Publicado

2018-03-29

Como Citar

1.
Bugno A, Almodovar AAB, Silva FP de L e, Hilinski EG, Buzzo ML. Qualificação do transporte de amostras para o monitoramento da qualidade de água tratada para uso em diálise. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 29º de março de 2018 [citado 21º de fevereiro de 2024];77:1-9. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/34183

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>