Estudo da ocorrência dos metais pesados Pb, Cd, Hg, Cu e Zn na ostra de mangue Crassostrea brasiliana do estuário de CananéiaSP, Brasil
pdf

Palavras-chave

moluscos
ostra de mangue
Crassostrea brasiliana
metais pesados
Cananéia

Como Citar

1.
Machado IC, Maio FD de, Kira CS, Carvalho M de FH. Estudo da ocorrência dos metais pesados Pb, Cd, Hg, Cu e Zn na ostra de mangue Crassostrea brasiliana do estuário de CananéiaSP, Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 28º de junho de 2002 [citado 25º de abril de 2024];61(1):13-8. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/35010

Resumo

Foram avaliados os níveis de contaminação pelos metais pesados Cd, Hg,Pb, Cu e Zn da ostra Crassostrea brasiliana do estuário de Cananéia-SP. Foram feitas amostragens do molusco no período de dezembro de 1996 a setembro de 1997, a partir de lotes destinados à venda, perfazendo um total de 69 amostras. As medianas obtidas para o mercúrio, chumbo, cádmio, cobre e zinco, na base úmida, respectivamente: 0,02; 0,08; 0,11; 2,6 e 393 mg/kg, encontram-se abaixo dos limites máximos preconizados pela legislação brasileira, exceto para o zinco. Constatou-se que o consumo do produto em questão não apresenta riscos aparentes à saúde, no tocante a este parâmetro específico de qualidade.

https://doi.org/10.53393/rial.2002.61.35010
pdf

Referências

1. Al-Sayed H. A.; Mahasneh, A. M.; Al-Saad J. Variations of trace metal concentrations in seawater and pearl oyster Pinctada radiate from Bahrain (Arabian Gulf). Mar. Pollut. Bull., 28(6): 370-374, 1994.

2. Association of Official Analytical Chemists. Official Methods of Analysis, 16th ed.Gaithersburg, Maryland, USA, 1995, ch. 9, p.16-18.

3. Bou-Olayan, A-H. et al. Accumulation of lead, cadmium, copper and nickel by pearl oyster, Pinctada radiata, from Kuwait Marine environment. Mar. Pollut. Bull., 30(3): 211-214, 1995.

4. BRASIL, Decreto 55.871 de 26 de março de 1965. Dispõe sobre normas regulamentadoras do emprego de aditivos para alimentos. Diário Oficial, Brasília, DF, 9 abr. 1965, Sç. 1.

5. BRASIL, Portaria n0 685 de 27 de agosto.de 1998. Diário Oficial, Brasília, DF, 24 set. 1998, Sç. 1.

6. Campolim, M.B ; Machado I.C. Manejo de Bancos Naturais de Ostras, Depuração e Comercialização. Projeto aprovado e financiado pelo Programa de Execução Descentralizada/PNMA/Min. Meio Ambiente, Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, 1995.

7. Campolim, M. B.; Machado I.C. Proposta de ordenamento da exploração comercial da ostra do mangue Crassostrea brasiliana na região estuarino-lagunar de Cananéia-SP. Artigos Científicos do Seminário Ciência e Desenvolvimento Sustentado. Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, São Paulo, p 275-287, julho de 1997.

8. Eysink, G. G. J.; Pádua, H. B. de; Piva-Bertoletti, S. A. E. Considerações preliminares sobre os níveis de contaminação por metais pesados e pesticidas organoclorados no Complexo Estuarino-lagunar Iguape Cananéia e Vale do Ribeira. Simpósio sobre Ecossistemas da Costa Sul e Sudeste Brasileira. Cananéia, São Paulo, abr. 3:258-66, 1987.

9. Eysink, G. G. J. et al. Metais pesados no Vale do Ribeira e em IguapeCananéia. Revista CETESB de Tecnologia Ambiente, 2(1): 6-13, 1988.

10. Favretto, L et al. Differentiation of wild oysters from three sites by chemometric procedures. Anal. Chim. Acta, 248: 51-58, 1991.

11. FIPERJ/Instituto de Pesca. Apoio ao Desenvolvimento do Cultivo de Moluscos Bivalves no Brasil (Relatório para a FAO), 1989, 181p.

12. Galvão, M. S. N. et al. Aspectos reprodutivos da ostra Crassostrea brasiliana de manguezais do estuário de Cananéia (25o S; 48o W). Bol. Inst. Pesca, 26(2): 27-42, 2000.

13. Hungspreugs, M.; Yaunghthong, C. The present levels of heavy metals in some mollusks of the upper Gulf of Thailand. Water, Air and Soil Poll., 22: 395-402, 1984.

14. Hunter, C.L. et al. Contaminants in oysters in Kaneohe Bay, Hawaii. Mar. Pollut. Bull., 30(10): 646-654, 1995.

15. José, V. F. em Bivalves e a Segurança do Consumidor. São Paulo, 1997 (Dissertação de Mestrado.Ciência Ambiental, USP.).

16. King, I. et al. Shellfish: Proximate composition minerals, fatty acids, and sterols. J. Am. Diet. Assoc., 90(5): 677-685, 1990.

17. López-Artíguez, M.; Soria, M.L.; Repetto, M. Heavy metals in bivalve molluscs in the Huelva Estuary. Bull. Environ. Contam. Toxicol., 42: 634-642, 1989.

18. Machado, I. C.; Campolin M. B. Implantação de uma estação depuradora comunitária no município de Cananéia-SP, visando a certificação sanitária da produção da ostra do mangue Crassostrea brasiliana. Higiene Alimentar, 13 (61): 60-61, 1999.

19. Mantovani, D. M. B. Contaminantes Metálicos em Pescado. - Seminário sobre Controle de Qualidade na Indústria de Pescado. Instituto de Tecnologia de Alimentos - Universidade Católica de Santos, Santos, jul.1988, 303 p.

20. McCulloch, W. et al. Zinc from oyster tissue as causative factor in mouse death in oficial bioassay for paralytic shellfish poison. J. Assoc. Off. Anal. Chem., 72(2):84-86, 1989.

21. Pereira, O. M. Evolução da Tecnologia de Cultivo de Ostra Crassostrea brasiliana em Cananéia, São Paulo, Brasil. In: Simpósio sobre Ecossistemas da Costa Sul e Sudeste Brasileira, Academia de Ciências do Estado de São Paulo, 1987.

22. Pereira, O.M. A imersão Prévia de Coletores de Larvas de ostras como fator de aumento da fixação de Crassostrea rhizophorae. In: 6º Congresso Latino Americano de Aquicultura, 5º Congresso Brasileiro de Aquicultura, Florianópolis-SC, 1988.

23. Pereira, O. M. et al. Avaliação do estoque da ostra Crassostrea brasiliana (LAMARCK, 1819) em bosques de manguezal da região estuario-lagunar de Cananéia (025ºS; 048ºW). Bol. Inst. Pesca, 26(1):17-31, 2000 a.

24. Pereira, O. M. et al. Programa de desenvolvimento da criação ordenada de moluscos bivalves no Estado de São Paulo. São Paulo, Intituto de Pesca, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Secretaria da Agricultura e Abastecimento. Série Relatórios Técnicos 02, 2000 b, 27p.

25. Pfeiffer, W.C. et al. Metais pesados no pescado da Baía de Sepetiba, Estado do Rio de Janeiro, RJ. Ciência e Cultura, São Paulo, 37(2): 297-302, 1985.

26. Phillips, D.J.H. Trace metals in bivalve molluscs from Thailand. Mar. Environ. Res., 15:215-234, 1985.

27. Presley, B. J.; Taylor, R. J.; Boothe, P. N. Trace metals in Gulf of Mexico oysters. Sci. Total Environ., 97/98: 551-593, 1990.

28. Sadig, M.; Alam, I. Metal Concentrations in pearl oyster, Pinctada radiata, collected from Saudi Arabian Coast of the Arabian Gulf. Bull. Environ. Contam. Toxicol., 42: 111-118, 1989.

29. Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo. Projeto Manejo Sustentável de Recursos Naturais do Complexo Estuarino Lagunar de Iguape e Cananéia. Fundação Florestal-SMA/SP, 1993.

30. Setti, A. A. A necessidade do uso sustentável dos recursos hídricos - MMA / IBAMA, Brasília-DF, 1994. 344 p.

31. Zenebon, O. Determinação de mercúrio: uso de H2O2 / H2SO4 na preparação de amostras de alimentos e estudo sistemático de oxidantes na preparação de amostras de urina. São Paulo, 1995 - Tese de doutorado, Instituto de Química da Universidade de São Paulo.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2002 Ingrid C. Machado, Franca D. de Maio, Carmen S. Kira, Maria de Fátima H. Carvalho

Downloads

Não há dados estatísticos.