Nitrato em águas subterrâneas: Um alerta sobre os riscos à saúde

  • Larissa Maiara da Fonseca Santos Instituto Adolfo Lutz
  • Rosângela Aguilar da Silva Instituto Adolfo Lutz
Palavras-chave: Águas subterrâneas, Nitrato, Fontes de contaminação, Riscos à saúde

Resumo

A água doce é essencial para a manutenção da vida no planeta Terra. Estáintrinsecamente ligada à saúde e à dignidade humana. As demandas por água nomundo são cada vez maiores devido ao crescimento da população, às mudanças dosprocessos de produção, aos hábitos de higiene, conforto e às exigências de qualidadeambiental e de vida da espécie humana. As atividades industriais e agrícolas têmaumentado consideravelmente, resultando na geração de poluentes tóxicos. Destes,o nitrato (NO3-) é uma preocupação ambiental em escala global e, possivelmente, éo contaminante mais difundido na água subterrânea do mundo, resultando em sériaameaça para o abastecimento de água potável. O consumo de nitrato por meiodas águas de abastecimento está relacionado a riscos de agravos como a metahemoglobinemiaou “síndrome do bebê azul”, uma doença caracterizada pela falta deoxigênio na corrente sanguínea que provoca mudança na cor da pele do bebê, que setorna azul. Outro tipo de enfermidade que pode estar relacionada à ingestão de grandesquantidades de nitratos nas águas é o câncer gástrico, ocasionado pela formação denitrosaminas carcinogênicas. O objetivo deste trabalho foi realizar uma compilaçãode diversos estudos que investigaram a presença de nitrato em águas subterrâneas eapresentar o cenário atual da contaminação das águas subterrâneas pelo íon nitrato eo risco potencial à saúde pública. O estudo fornece um panorama da contaminação daságuas por nitrato em diferentes regiões do Brasil e do mundo e mostra a importânciada continuidade das pesquisas para ampliar o diagnóstico da contaminação por nitrato,identificar as fontes de contaminação e os impactos nas águas subterrâneas. O estudotambém ressalta a necessidade de enfrentar o problema por meio do desenvolvimentode ações preventivas e corretivas por órgãos da saúde e demais responsáveis pelosrecursos hídricos, além de medidas educativas envolvendo toda a sociedade.

Biografia do Autor

Rosângela Aguilar da Silva, Instituto Adolfo Lutz
A água doce é essencial para a manutenção da vida no planeta Terra. Estáintrinsecamente ligada à saúde e à dignidade humana. As demandas por água nomundo são cada vez maiores devido ao crescimento da população, às mudanças dosprocessos de produção, aos hábitos de higiene, conforto e às exigências de qualidadeambiental e de vida da espécie humana. As atividades industriais e agrícolas têmaumentado consideravelmente, resultando na geração de poluentes tóxicos. Destes,o nitrato (NO3-) é uma preocupação ambiental em escala global e, possivelmente, éo contaminante mais difundido na água subterrânea do mundo, resultando em sériaameaça para o abastecimento de água potável. O consumo de nitrato por meiodas águas de abastecimento está relacionado a riscos de agravos como a metahemoglobinemiaou “síndrome do bebê azul”, uma doença caracterizada pela falta deoxigênio na corrente sanguínea que provoca mudança na cor da pele do bebê, que setorna azul. Outro tipo de enfermidade que pode estar relacionada à ingestão de grandesquantidades de nitratos nas águas é o câncer gástrico, ocasionado pela formação de

Referências

1. Ribeiro LGG, Rolim DN. Planeta água de quem e para quem: uma análise da água doce
como direito fundamental e sua valoração mercadológica. Rev. Direito Amb. Soc 2017;
7(1):7-33.

2. Ribeiro WC. Geografia Política da Água. São Paulo: Annablume, 2008.

3. Tucci CEM, Hespanhol I, Cordeiro Netto OM. Cenários da gestão da água no Brasil: uma
contribuição para a visão mundial da água. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 2000;
5(3):31-43.

4. Silva MSR, Miranda SAF, Santana GP. Bacia Hidrográfica do Rio Amazonas: Condições de
suas águas versos Resolução N° 357/CONAMA/2005. Scientia Amazonia 2016; 6(2):83-90.

5. Rebouças AC. A política nacional de recursos hídricos e as águas subterrâneas. Rev. Águas
Subterrâneas 2002; 16.

6. Tundisi JG, Tundisi TM. Recursos hídricos no século XXI. 2a ed. Recursos hídricos e meio
ambiente, 2011.

7. Américo-Pinheiro JHP, Mirante MHP, Benini SM. Gestão e qualidade dos recursos hídricos:
conceitos e experiências em bacias hidrográficas. Anap-Associação Amigos da Natureza da
Alta Paulista, 2016.

8. Costa DD, Kempka AP, Skoronski E. A contaminação de mananciais de abastecimento pelo
nitrato: o panorama do problema no Brasil, suas consequências e as soluções potenciais.
Revista Eletrônica do PRODEMA 2016; 10(2):49-61. doi: 10.22411/rede2016.1002.04

9. PLANO ESTADUAL DE SAÚDE – PES 2016 – 2019. Disponível em: http://www.saude.sp.gov.
br/resources/ses/perfil/gestor/documentos-de-planejamento-em-saude/plano-estadualde-
saude-2016-2019-sessp/pessp_2017_11_01_17.pdf

10. Biguelini CP, Gumy MP. Saúde ambiental: índices de nitrato em águas subterrâneas de
poços profundos na região sudoeste do Paraná. Rev Faz Cienc 2012; 14(20).

11. Lima MLA. Águas subterrâneas potencialmente impactadas por nitrato (NO3
-) na área
urbana da cidade de Porto Velho; Um estudo da geografia da saúde [Dissertação]. Porto
Velho: Universidade Federal de Rondônia; 2008.

12. Cunha MC. A avaliação da concentração de íons nitrato nos poços tubulares que
abastecem Nova Parnamirim. Rev. Cient. da Escola de Gest de Neg 2013; 1:11-18.

13. Costa CL et al. Avaliação da qualidade das águas subterrâneas em poços do estado
do Ceará, Brasil. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde 2012; 33(2):171-80. doi:
10.5433/1679-0367.2012v33n2p171

14. Silva Rita de Cássia Assis da, Araujo Tânia Maria de. Qualidade da água do manancial
subterrâneo em áreas urbanas de Feira de Santana (BA). Ciênc. saúde coletiva 2003;
8(4):1019-1028.

15. Bezerra ADA et al. Teor de nitrato em águas subterrâneas da região metropolitana de
Fortaleza, Ceará: um Alerta. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde 2017; 38(2):129-36.
doi: 10.5433/1679-0367.2017v38n2p129

16. Lauthartte lC et al. Avaliação da qualidade da água subterrânea para consumo humano:
estudo de caso no Distrito de Jaci-Paraná, Porto Velho - RO. Águas Subterrâneas 2016;
30(2):246-60. doi: 10.14295/ras.v30i2.28547

17. Silva RA, Santos RC, Ferreira LO. Avaliação da concentração de nitrato em águas
subterrâneas de poços das regiões de Assis e Marília, São Paulo. Vigilância Sanitária
em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia 2019; 7(2):102-6. doi: https://doi.
org/10.22239/2317-269x.01290

18. Varnier C. et al. Nitrato nas águas subterrâneas do Sistema Aquífero Bauru, área urbana do
Município de Marília (SP). Rev do Instituto Geológico 2010; 31(1-2).

19. Godoy MTF et al. Contaminação das águas subterrâneas por nitrato em Presidente
Prudente - SP. Brasil. Revista Instituto Adolfo Lutz 2004; 63(2):208-14.

20. Czekaj J et al. Identification of nitrate sources in groundwater and potential impact on
drinking water reservoir (Goczałkowice reservoir, Poland). Physics and Chemistry of the
Earth, Parts A/B/C 2016; 94:35-46. doi: 10.1016/j.pce.2015.11.005

21. Rosillon F et al. Attempts to Answer on the Origin of the High Nitrates Concentrations
in Groundwaters of the Sourou Valley in Burkina Faso. Journal of Water Resource and
Protection 2012; 4:663-673. doi: 10.4236/jwarp.2012.48077

22. Narsimha A, Peiyue L. Occurrence, health risks, and geochemical mechanisms of fluoride
and nitrate in groundwater of the rock-dominant semi-arid region, Telangana State, India. Human and Ecological Risk Assessment: An International Journal 2019; 25:81-103. doi:
10.1080/10807039.2018.1480353

23. Raczuk J, Dziuban E, Biardzka E. Nitrates in drinking water as a factor of health risk to the
Platerow commune inhabitants (MazowieckieVoivodeship). Ochr. Środ. Zasob. Natur 2013;
24.1(55):5-9, 2013. doi: 10.2478/oszn-2013-0005

24. Fabro RAY et al. Spatial distribution of nitrate health risk associated with groundwater use
as drinking water in Merida, Mexico. Applied Geography 2015; 65:49-57. doi:10.1016/j.
apgeog.2015.10.004

25. Khattabi JE et al. Impact of Fertilizer Application and Agricultural Crops on the Quality of
Groundwater in the Alluvial Aquifer, Northern France. Water, Air, and Soil Pollution 2018;
229:128.doi: 10.1007/s11270-018-3767-4

26. Mendes MP, Ribeiro L. Nitrate probability mapping in the northern aquifer alluvial
system of the river Tagus (Portugal) using Disjunctive Kriging Sci Total Environ 2010;
1;408(5):1021-34. doi: 10.1016/j.scitotenv.2009.10.069

27. Qasemi A et al. Health risk assessment of nitrate exposure in groundwater of rural areas of
Gonabad and Bajestan, Iran. Environ Earth Sci 2018; 77:15(551). doi: 10.1007/s12665-018-
7732-8

28. Chen J et al. Assessing Nitrate and Fluoride Contaminants in Drinking Water and Their
Health Risk of Rural Residents Living in a Semiarid Region of Northwest China. Exposure
and Health 2017; 9(3):183-195. doi: 10.1007/s12403-016-0231-9

29. Sadler R et al. Health risk assessment for exposure to nitrate in drinking water from village
wells in Semarang, Indonesia. Environmental Pollution 2016; 216:738-45. doi: 10.1016/j.
envpol.2016.06.041

30. Brasil. Portaria de Consolidação nº 5, de 03 de outubro de 2017. Diário Oficial da União:
República Federativa do Brasil, Brasília, DF, Seção 1, Suplemento, n. 190, p. 360, 2017.
31. Barbosa CF. Hidrogeoquímica e a contaminação por nitrato em água subterrânea no bairro
Piranema Seropédica - RJ [Dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2005.

32. Torres RM. Remoção biológica de nitrato em água de abastecimento humano utilizando o
endocarpo de coco como fonte de carbono [Dissertação]. Natal: Universidade Federal do
Rio Grande do Norte; 2011.
Publicado
2021-12-31
Como Citar
1.
Maiara da Fonseca Santos L, Aguilar da Silva R. Nitrato em águas subterrâneas: Um alerta sobre os riscos à saúde. Bepa [Internet]. 31º de dezembro de 2021 [citado 27º de janeiro de 2022];18(216):46-7. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/BEPA182/article/view/37269
Seção
Artigos Especiais

Most read articles by the same author(s)