Perfil epidemiológico de doença meningocócica nas capitais da região Centro-Oeste do Brasil

Autores

  • Amanda Carvalho Guerini Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil
  • Jardel Almeida Monteiro Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil
  • João Gabriel de Moura Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil
  • Julia Mathias Mendonça Meirelles Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil
  • Júlio César Ferreira Sonieski Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil
  • Lara Costa Martins Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil
  • Edlaine Faria de Moura Villela Coordenadoria de Controle de Doenças. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, São Paulo
  • Fábio Morato de Oliveira Universidade Federal de Jataí, Jataí (GO), Brasil

Palavras-chave:

Doença Meningocócica, Perfil Epidemiológico, Meningite Meningocócica, DATASUS.

Resumo

Introdução: A doença meningocócica é um quadro infeccioso causado pela Neisseria meningitidis. Essa condição possui três apresentações clínicas: Meningite Meningocócica (MM), Meningococcemia (MCC) e uma terceira, MM+MCC. Nesse contexto, o prognóstico sem o devido diagnóstico e tratamento pode ser grave ou até fatal. Objetivos: Assim, é essencial discutir o perfil epidemiológico dessa doença nas cidades brasileiras do centro-oeste brasileiro. Material e Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico transversal, descritivo acerca dos casos notificados nas capitais da região centro-oeste brasileira entre 2016 e 2020 obtidos por meio do DATASUS. Prevalência, apresentação, sexo, faixa etária e desfecho clínico foram as variáveis estudadas. Resultados: Durante o período, 164 casos foram registrados nas cidades de Brasília, Campo Grande, Cuiabá e Goiânia, com uma média anual de 32,8 casos. A forma mais comum foi a meningite meningocócica. De forma geral, houve um aumento no número de casos entre os anos 2016 e 2017, seguido de uma leve queda até 2019. No ano de 2020, houve uma queda abrupta nos casos notificados, sendo, possivelmente, uma repercussão da pandemia de COVID-19. Conclusão: Em suma, percebe-se uma distribuição característica da doença em cada cidade e medidas sanitárias, educativas e cuidados médicos adequados são instrumentos para a diminuir a morbimortalidade da doença meningocócica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Branco RG, Amoretti CF, Tasker RC. Doença meningocócica e meningite. Jornal de Pediatria [internet]. 2007;83(2):46-53 [acesso em 1 maio 2021]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0021-75572007000300006

Verlangieri HAR, Farhat CK. Meningites bacterianas na infância. Pediatr mod [internet]. 2008;44(6):213-228 [acesso em 21 maio 2021]. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-505560

Mcphee SJ, Ganong WF. Fisiopatologia da doença: uma introdução à medicina clínica. 5. ed. McGrow Hill Education; 2007. 651p.

Pereira DN. Meningite bacteriana [dissertação]. Porto (Portugal): Universidade Fernando Pessoa; 2014 [acesso em 12 abr 2021]. Disponível em: https://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/4837/1/PPG_21948.pdf

Ministério da Saúde (BR). Meningites [internet]. Brasília; 2020 [acesso em 10 maio 2021]. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z-1/m/meningite#:~:text=Sintomas%20de%20meningite%20

bacteriana,cabe%C3%A7a%20e%20rigidez%20de%20nuca

Castiñeiras TMPP, Pedro LGF, Martins FSV. Doença meningocócica [internet]. Cives – Centro de Informação em Saúde para Viajantes. Rio de Janeiro: UFRJ/Centro de Vacinação de Adultos/Departamento de Medicina Preventiva; 2006

Oct 15 [acesso em 26 maio 2021]. Disponível em: http://www.cives.ufrj.br/informacao/dm/dm-iv.html

Ministério da Saúde (BR). Febre maculosa brasileira – Febre purpúrica – Meningites [internet]. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde; 2007 [acesso em 25 maio 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/

publicacoes/guia_vigilancia_epidemiologica_7ed.pdf

Donalisio MR, Rocha MRM, Ramalheira RMF, Kemp B. Critério diagnóstico da doença meningocócica na Região Metropolitana de Campinas, São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública [internet]. 2004;20(6):1531-7 [acesso em 25

maio 2021]. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/nVsg5Hv9fSyj75CPTCHRPFS/?lang=pt

Veronesi R, Focaccia R. Tratado de infectologia. 5. rev. ed. e atual. São Paulo: Atheneu; 2015.

de Araújo AVS, de Oliveira MCNI, de Almeida MS, Smith NL. Análise da cobertura da vacina meningocócica c conjugada de 2012 a 2018 [internet]. BJHR. 2020 Jul 13;3(4):7989-92 [acesso em 26 maio 2021]. Disponível em:

https://brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/13047

Moraes JC, Barata RB. A doença meningocócica em São Paulo, Brasil, no século XX: características epidemiológicas [internet]. Cad. Saúde Pública. 2005;21(5):1458-71 [acesso em 10 abr 2021]. Disponível em:

https://www.scielosp.org/pdf/csp/2005.v21n5/1458-1471/pt

Sultan B, Labadi K, Guégan JF, Janicot S. Climate drives the meningitis epidemics onset in West Africa[internet]. PLOS Medicine. 2005 Jan 25[acesso em 10 abr 2021]. Disponível em: https://journals.plos.org/plosmedicine/

article/metrics?id=10.1371/journal.pmed.0020006

Sáfadi MAP, Barros AP. Vacinas meningocócicas conjugadas: eficácia e novas combinações [internet]. J Pediatr. 2006;82(3 Suppl):S35-44 [acesso em 14 abr 2021]. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jped/a/

JhHZd4CtpyGGwsKgf8nXFvQ/?format=pdf&lang=pt

Pschichholz L. Meningite: comparação entre a incidência durante a pandemia de covid-19 e dos últimos 5 anos no Sistema Único de Saúde brasileiro [internet]. Braz j infect dis. 2022;26(S1):101996 [acesso em 2 maio 2022].

Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.bjid.2021.102197

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Informações de Saúde (Tabnet). Demográficas e Socioeconômicas. [internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [acesso em 20 maio

. Disponível em: http://tabnet.DataSUS.gov.br/cgi/deftohtm.exe?popsvs/cnv/popbr.def

Ministério da Saúde (BR). Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Informações de Saúde (Tabnet). Epidemiológicas e morbidade: base de dados. Brasília: Ministério da Saúde; 2021 [acesso em 20 maio

. Disponível em: http://tabnet.DataSUS.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sinannet/cnv/meninbr.def

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal cidades [internet]. Rio de Janeiro; 2020 jun 01 [acesso em 20 maio 2021]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Clima. Pesquisa [internet]. Rio de Janeiro; 2016 jul 1 [acesso em 20 maio 2021]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/saude.html

Downloads

Publicado

2022-09-21

Como Citar

1.
Carvalho Guerini A, Almeida Monteiro J, Gabriel de Moura J, Mathias Mendonça Meirelles J, César Ferreira Sonieski J, Costa Martins L, Faria de Moura Villela E, Morato de Oliveira F. Perfil epidemiológico de doença meningocócica nas capitais da região Centro-Oeste do Brasil. Bepa [Internet]. 21º de setembro de 2022 [citado 30º de setembro de 2022];19:1-27. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/37494

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>