Implementação do Comitê de Integridade na Pesquisa do Instituto Adolfo Lutz

Propostas para a Promoção da Cultura de Integridade Científica Institucional

Autores

  • Braulio Caetano Machado Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.
  • Adriana Aparecida Buzzo Almodovar Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.
  • Adriana Pardini Vicentini Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.
  • Regina Maria Catarino Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.
  • Adriana Bugno Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.
  • Laura Nogueira da Cruz Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.
  • Helio Hehl Caiaffa Filho Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.

DOI:

https://doi.org/10.57148/bepa.2022.v.19.37814

Palavras-chave:

Revisão de Integridade Científica, Má Conduta Científica, Plágio, Ética em Pesquisa, Responsabilidade

Resumo

A integridade e a conduta responsável na pesquisa são essenciais para manter a excelência científica bem como a confiança pública na ciência. As instituições de ensino e pesquisa têm o dever de promover e monitorar a conduta responsável na pesquisa. Nas últimas décadas muitas universidades e instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas e autoridades nacionais desenvolveram leis, regulamentos, guias e procedimentos específicos para direcionar ações no combate às más condutas. Além dos danos particulares causados aos autores principalmente a nível emocional e profissional, as más condutas científicas atingem diretamente a reputação, o prestígio e o nome das instituições envolvidas. O Instituto Adolfo Lutz considera esta temática de extrema relevância e todo o trabalho de pesquisa referente ao estudo sobre integridade na pesquisa científica assim como, as propostas de atuação institucional na promoção de uma cultura de integridade científica são relatados neste artigo. 

Biografia do Autor

Laura Nogueira da Cruz, Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.

Ex-diretora IAL.

Helio Hehl Caiaffa Filho, Instituto Adolfo Lutz, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria de Estado da Saúde.

Ex-diretor IAL

Referências

Victor, B.; Cullen, J. The organizational bases of ethical work climate. Administrative Science Quarterly, v. 33, i. 1, p. 101-125. 1988.

Rest, J. Morality. In: Mussen PH (series ed.) and Flavell J, Markman E (vol. eds.),

Handbook of Child Psychology, Vol. 3, Cognitive Development, 4th ed. New York, NY:

Wiley. Pp. 556–629. 1983

Victor, B. Integrity in the business environment. Presentation at the June 28, 2001, meeting of the Institute of Medicine Committee on Assessing Integrity in Research Environments, Washington, DC. 2001.

CAIRE - Committee on Assessing Integrity in Research Environments, Institute of Medicine, National Research Council, “Integrity in Scientific Research: Creating an Environment That Promotes Responsible Conduct” - The National Academy Press, Washington, 2002.

Adams, D., & Pimple, K. D. (2005). Research misconduct and crime lessons from criminal science on preventing misconduct and promoting integrity. Accountability in Research, 12(3), 225-240.

ORI (Office of Research Integrity). DAB confirms HHS authority to investigate scientific misconduct. ORI Newsletter 1(4):5. EUA, 1993. URL disponível em: https://ori.hhs.gov/images/ddblock/vol1_no4.pdf

RIA (Royal Irish Academy). 2010. “Ensuring Integrity in Irish Research: A Discussion Document”. Dublin: Royal Irish Academy. URL disponível em: http://www.iua.ie/wp-content/uploads/2014/06/National-Policy-Statement-on-Ensuring-Research-Integrity-in-Ireland-2014.pdf

OSTP - Office of Science and Technology Policy Federal research misconduct policy. Federal Register. 2000;65:76260–76264. URL disponível em: https://www.gpo.gov/fdsys/search/pagedetails.action?granuleId=99-26608&packageId=FR-1999-10-14&acCode=FR&collectionCode=FR

TENK guidelines, Good scientific practise and procedures for handling misconduct and fraud in science, Finnish Advisory Board on Research Ethics, Finland, 2002, URL disponivel em: http://www.tenk.fi

NHMRC, Australian Code for the Responsible Conduct of Research, National Health and Medical Research Council, Australian Government, 2007. URL disponivel em: https://www.nhmrc.gov.au/guidelines-publications/r39

SCJ, Science Council of Japan, Code of Conduct for Scientists, 2006, disponível em http://www.scj.go.jp/ja/info/kohyo/pdf/kohyo-20-s3e-1.pdf

National Guidelines for SI – project SATORI – “Stakeholders Acting Together on the Ethical Impact Assessment of Research and Innovation”– Göran Collste, Linköping University, Sweden, European Commission, 2015 – URL disponível em: http://satoriproject.eu/

CBPC-FAPESP, 2011 – “Código de Boas Práticas Científicas da FAPESP” São Paulo, SP URL disponível em: http://www.fapesp.br/boaspraticas/codigo_050911.pdf

RCRI, Report of the comisson of research integrity, US Department of Human Services, PHS. 1995, URL disponível em: https://ori.hhs.gov/images/ddblock/report_commission_0.pdf

SSRI, Singapore Statement on Research Integrity, 22 de setembro de 2010, URL: disponível em: http://www.singaporestatement.org/

II BRISPE (Brazilian Meeting on Research Integrity, Science and Publications Ethics), 2012, URL: disponível em: http:// www.iibrispe.coppe.ufrj.br/

OAB, Ordem dos Advogados do Brasil. Comissão Nacional de Relações Institucionais do Conselho Federal da OAB. Proposição 2010.19.02136-03: Plágios nas instituições de ensino [online]. (Relatório) Brasília (DF):OAB; 2010 [acesso 2011 Mar 2]. Disponível em: http://www.oab.org.br/combateplagio/CombatePlagio.pdf

Documento CAPES, 4-01-2011, “Orientações CAPES - Combate ao Plágio” URL disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/OrientacoesCapes_CombateAoPlagio.pdf

DOCS/CNPq, 2012 – URL disponível em: http://cnpq.br/documentos-do-cic/ e http://cnpq.br/diretrizes/

Revista Pesquisa FAPESP, ed 188, Out., 2011 – “Boas Práticas Científicas – FAPESP lança código para preservar a integridade científica” – Fabrício Marques, URL disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2011/10/01/boas-praticas-cientificas-2/

Portaria FAPESP - PR nº 09/2013 – “Dispõe sobre a inclusão de cláusula de compromisso de boas práticas em Acordos e Convênios celebrados pela FAPESP com pessoas jurídicas privadas”. URL disponível em: http://www.fapesp.br/8330

Santos, L.H.L., 2011, “Sobre a integridade ética da pesquisa” FAPESP, 2011, Luiz Henrique Lopes dos Santos – Coordenação adjunta da diretoria científica, URL disponível em: http://www.fapesp.br/6566

IACS,UFF, 2010 - Cartilha “Entenda o que é Plágio” Instituto de Arte e Comunicação Social - IACS - Universidade Federal Fluminense URL disponível em: http://www.noticias.uff.br/arquivos/cartilha-sobre-plagio-academico.pdf

Martinson, B.C., Anderson, M.S., deVries, R. Scientists behaving badly. Nature 2005; 435:737-738. URL disponível em: https://www.nature.com/nature/journal/v435/n7043/full/435737a.html

Fanelli, D., (2009) How Many Scientists Fabricate and Falsify Research? A Systematic Review and Meta-Analysis of Survey Data. PLoS ONE 4(5): e5738. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0005738

RCR – “A Danish textbook for courses in Responsible Conduct of Research” – 2017 Karsten Klint Jensen, Louise Whiteley and Peter Sandøe (eds.), URL disponível em: http://ifro.ku.dk/rcr.pdf

P. A. Bolton, - “Práticas Questionáveis na Pesquisa” - Scientific Ethics, Chapter 16, 2002. URL disponível em: http://www.au.af.mil/au/awc/awcgate/doe/benchmark/ch16.pdf

Portaria FAPESP - 05/2013 –“Dispõe sobre a divulgação das práticas de más condutas científicas apuradas pela FAPESP”. URL disponível em: http://www.fapesp.br/8037

ORI (Office of Research Integrity). Report of the Department of Health and Human Services - Review Group on Research Misconduct and Research Integrity, EUA, 1994, URL disponível em: https://ori.hhs.gov/images/ddblock/report_review_group_0.pdf

IAL, Portaria DG IAL 25, 26 de agosto de 2016 – Dispõe sobre a constituição do Grupo de Estudo de Integridade na Pesquisa do Instituto Adolfo Lutz, Nº 162 – DOE – 27/08/16 - seção 1 - p.39

Science Europe - Science Europe Working Group on Research Integrity, “Seven Reasons to Care about Integrity in Research” D/2015/13.324/2. URL disponível em: http://www.scienceeurope.org/policy/working-groups/research-integrity/

Publicado

2022-12-01

Como Citar

1.
Machado BC, Almodovar AAB, Vicentini AP, Catarino RM, Bugno A, Nogueira da Cruz L, Caiaffa Filho HH. Implementação do Comitê de Integridade na Pesquisa do Instituto Adolfo Lutz: Propostas para a Promoção da Cultura de Integridade Científica Institucional. Bepa [Internet]. 1º de dezembro de 2022 [citado 6º de fevereiro de 2023];19:1-24. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/37814

Edição

Seção

Artigo Especial

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)