Nova versão do ensaio da PCR em tempo real para o diagnóstico laboratorial e vigilância epidemiológica das meningites bacterianas

Autores

  • Maristela Marques Salgado Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz
  • Fábio Takenori Higa Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz
  • Maria Gisele Gonçalves Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz.
  • Lucila Okuyama Fukasawa Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz
  • Bernadete Lourdes Liphaus Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Priscilla Lima de Oliveira Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz.
  • Carla Naufal da Silva Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz.
  • Cláudio Tavares Sacchi Centro de Imunologia. Instituto Adolfo Lutz

Palavras-chave:

Meningite bacteriana, PCR em tempo real, Haemophilus influenzae

Resumo

 A incorporação do ensaio “triplex” de PCR em tempo-real (PCR-TR) à vigilância das meningites bacterianas a partir de 2007 aumentou a detecção de S. pneumoniae em 52%, de N. meningitidis em 85% e de H. influenzae em 20%. Entretanto, a detecção do H. influenzae(Hi) se limitou às cepas capsuladas de 4 sorotipos (“a”, “b”, “c”, “d”). Em 2011, um novo ensaio para detectar todos os sorotipos de H. influenzae, inclusive os H. influenzae não tipáveis, foi proposto, com a substituição do gene bexA pelo gene hpd no ensaio triplex (“triplex modificado”) responsável pela proteína D de H. influenzae. Foram analisadas 1619 amostras clínicas de líquido cefalorraquidiano e/ou sangue de pacientes com suspeita de meningite bacteriana do município de São Paulo no período de junho a dezembro de 2011, nos dois formatos de PCR-TR “triplex”. O novo ensaio “triplex modificado” (com o gene hpd) detectou 13 casos adicionais de H. influenzae, não registrados pelo outro formato (com o gene bexA). Destes 13 casos adicionais, 12 foram Hi-nt e um do sorotipo “f”. Não houve modificação na sensibilidade em detectar amostras positivas para N. meningitidis ou S. pneumoniae. O emprego deste novo formato “triplex modificado” irá aprimorar o diagnóstico e a vigilância epidemiológica das meningites bacterianas, contribuindo com a redução dos casos de meningite

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Meningite. In: Guia de vigilância epidemiológica. 6ª ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2005, p.541-69.

Carvalhanas TRMP, Brandileone MCC, Zanella RC. Meningites bacterianas. Bol Epidemiol Paulista (BEPA) 2005; 2(17): 1-13.

Adams WG, Deaver KA, Cochi SL, Plikaytis BD, Zell ER, Broome CV, et al. Decline of childhood Haemophilus influenzae type b (Hib) disease in the Hib vaccine era. JAMA. 1993; 269(2): 221-6.

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Comissão Permanente de Assessoramento em Imunizações. Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”. Suplemento da norma técnica do Programa de Imunização: introdução de novas vacinas no calendário estadual de imunização. São Paulo: SES/SP, 2011.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Sistema de informação de agravos e notificação – SINANnet: tabulação de dados (TABNET). Acesso em: xxxxx. Disponível em: http:// dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/ index.php.

Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”. Divisão de Doenças deTransmissão Respiratória. Dados estatísticos. Acesso em: xxxx Disponível em:http://www.cve.saude.sp.gov/htm/res p/meni_dados.html.

Zanella RC, Bokermann S, Andrade ALSS, Flannery B, Brandileone MCC. Changes in serotype distribution of Haemophilus influenzae meningitis isolates identified through laboratorybased surveillance following routine childhood vaccination against H. influenzae type b in Brazil. Vaccine. 2011;29(48):8937-42.

Sacchi CT, Fukasawa LO, Gonçalves MG, Salgado MM, Shutt KA, Carvalhanas TR, et al. Incorporation of real-time PCR into routine public health surveillance of culture negative bacterial meningitis in São Paulo, Brazil. PLoS One. 2011;6(6):e 20675.

Mothershed EA, Sacchi CT, Whitney AM, Barnett GA, Ajello GW, Schmink S, et al. Use of real-time PCR to resolve slide agglutination discrepancies in serogroup identification of Neisseria meningitidis. J Clin Microbiol. 2004;42(1): 320-8.

Carvalho MD, Tondella ML, McCaustland K, Weidlich L, McGee L, Mayer LW, et al. Evaluation and improvement of real-time PCR detection assays to lytA, ply, and psaA genes for detection of pneumococcal DNA. J Clin Microbiol. 2007;45(8):2460-6.

Corless CE, Guiver M, Borrow R, Edwards-Jones V, Fox AJ, Fox AJ, et al. Simultaneous detection of Neisseria meningitidis, Haemophilus influenzae, and Streptococcus pneumoniae in suspected cases of meningitis and septicemia using real-time PCR. J Clin Microbiol. 2001;39(4): 1553-8.

Wang X, Maira R, Hatchera C, Theodorea MJ, Edmondb K, Wua HM, et al. Detection of bacterial pathogens in Mongolia meningitis surveillance with a new real-time PCR assay to detect Haemophilus influenzae. Int J Med Microbiol. 2011;301(4):303-9.

Wang X, Theodore MJ, Mair R, Trujillo- Lopez E, du Plessis M, Wolter N, et al. Clinical validation of multiplex real-time PCR assays for detection of bacterial meningitis pathogens. J Clin Microbiol. 2012;50(3):702-8.

Downloads

Publicado

2013-07-31

Como Citar

1.
Marques Salgado M, Takenori Higa F, Gisele Gonçalves M, Okuyama Fukasawa L, Liphaus BL, Lima de Oliveira P, Naufal da Silva C, Tavares Sacchi C. Nova versão do ensaio da PCR em tempo real para o diagnóstico laboratorial e vigilância epidemiológica das meningites bacterianas . Bepa [Internet]. 31º de julho de 2013 [citado 16º de julho de 2024];9(103):16-20. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/38356

Edição

Seção

Comunicação Rápida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)