Coqueluche: epidemiologia e controle

Autores

  • Bernadete L. Liphaus Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Maria Inês Cappeletti Gonçalves Centro de Vigilância Epidemiológica
  • Telma Regina Marques Pinto Carvalhanas Centro de Vigilância Epidemiológica

Palavras-chave:

coqueluche, vacina tríplice bacteriana, DTP

Resumo

A coqueluche ou tosse espasmódica é uma doença imunoprevenível, de grande importância na infância, em que pode ocorrer complicações graves, inclusive óbito. A coqueluche é considerada um importante problema de saúde pública nos países desenvolvidos, onde, a despeito das altas coberturas vacinais, a doença tem reaparecido em todas as idades. Essa situação suscitou a indicação de um reforço com a vacina tríplice acelular em adolescentes e adultos nestes países. No Brasil, não há dados que comprovem a emergência da coqueluche nestas faixas etárias; no entanto, esta coorte de suscetíveis pouco sintomáticos pode ser a fonte de infecção para crianças menores de 2 meses de idade ou para os incompletamente vacinados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Vigilância Epidemiológica “Professor Alexandre Vranjac”. Manual de Vigilância Epidemiológica de Coqueluche – Normas e Instruções. São Paulo, 2001. ftp://ftp.cve.saude.sp.gov.br/doc_tec/manu_coque.pdf

Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Guia de Vigilância Epidemiológica. 5ª ed. Brasília (DF); agosto, 2002. 842p. Coqueluche. p.183-99.

Raguckas SE, VandenBussche HL, Jacobs C, Klepser ME. Pertussis resurgence: diagnosis, treatment, prevention and beyond. Pharmacotherapy. 2007;27(1):41-52.

Luz PM, Codeço CT, Werneck GL. A reemergência da coqueluche em países desenvolvidos: um problema também para o Brasil? Cad Saúde Pública RJ. 2003;19(4):1209-13.

Coqueluche: distribuição de casos confirmados, óbitos, coeficiente de incidência e letalidade, segundo ano de início de sintomas e faixa etária, estado de São Paulo, 2000 a 2008 [base de dados na internet]. Disponível em: http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/resp/coque_tab.htm

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”. Divisão de Imunização. Vacinação de rotina, doses aplicadas e cobertura vacinal em menores de 1 ano. Estado de São Paulo. Série histórica –2000 a 2006 [base de dados na internet]. Disponível em: http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/imuni/imu_sh0006.htm

Forsyth KD, Campis-Marti M, Caro J, et al. New pertussis vaccination strategies beyond infancy: recommendations by the global pertissis initiative. Clin Infect Dis. 2004;39:1802-9.

Sociedade Brasileira de Pediatria. Calendário de vacinas para crianças/2008[base de dados na internet]. Disponível em:http://www.sbp.com.br/show_item2.cfm?id_categoria=21&id_detalhe=2619&tipo_detalhe=s&print=1

Downloads

Publicado

2008-05-30

Como Citar

1.
L. Liphaus B, Cappeletti Gonçalves MI, Marques Pinto Carvalhanas TR. Coqueluche: epidemiologia e controle . Bepa [Internet]. 30º de maio de 2008 [citado 18º de maio de 2024];5(53). Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/BEPA182/article/view/38701

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>