Qualidade da água utilizada em escolas atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), em Salvador-BA

Autores

  • Ryzia de Cássia Vieira Cardoso Universidade Federal da Bahia, Escola de Nutrição, Departamento de Ciências dos Alimentos, Salvador, BA https://orcid.org/0000-0001-5292-713X
  • Rogéria Comastri de Castro Almeida Universidade Federal da Bahia, Escola de Nutrição, Salvador, BA https://orcid.org/0000-0002-8657-929X
  • Alaíse G. Guimarães Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Farmácia, Salvador, BA
  • José Ângelo W. Góes Universidade Federal da Bahia, Escola de Nutrição, Salvador, BA
  • Sueli A. Silva Universidade Federal da Bahia, Programa de iniciação Científica, Salvador, BA
  • Aisi A. C. Santana Universidade Federal da Bahia, Programa de iniciação Científica, Salvador, BA
  • Larissa B. Huttner Universidade Federal da Bahia, Programa de iniciação Científica, Salvador, BA
  • Permínio O. Vidal Jr. Universidade Federal da Bahia, Programa de iniciação Científica, Salvador, BA
  • Karla V. N. A. Figueiredo Universidade Federal da Bahia, Curso de Especialização em Segurança Inspeção de Alimentos, Salvador, BA

DOI:

https://doi.org/10.53393/rial.2007.66.32808

Palavras-chave:

água potável, qualidade da água, alimentação escolar, higiene de alimentos

Resumo

A água constitui um dos mais importantes recursos para a manutenção da vida, entretanto, doenças associadas à sua contaminação representam uma das maiores ameaças à saúde humana. Este trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade da água utilizada em escolas atendidas pelo PNAE, em Salvador-BA. Realizou-se estudo transversal, em amostra estratificada de 83 escolas, 49 municipais e 34 estaduais, nas quais foram coletadas amostras da água usada nas cantinas, em que foram pesquisados coliformes totais e termotolerantes. Adicionalmente, foram levantadas informações quanto à origem e cuidados com a água. Apesar de todas as escolas receberem água do sistema de abastecimento público, em 32% e 22% das amostras colhidas, respectivamente, nas escolas estaduais e municipais, observou-se não conformidade com a legislação vigente; para o conjunto das escolas, a condição de não conformidade foi de 41%. Quanto aos reservatórios, 21% não apresentavam revestimento adequado e em 51% não se identificou a higienização periódica; apenas 17% das escolas dispunham de registros de potabilidade da água. Os resultados obtidos indicam a existência de riscos de contaminação, por meio da água utilizada e ainda, apontam fragilidades no âmbito da implementação do PNAE, o que sugere a necessidade de maior controle, em função da vulnerabilidade das crianças beneficiadas pelo Programa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. World Healh Organization. WHO. Guidelines fordrinking-water quality [acesso 2007 Jul.10]. Disponível em: http://www.who.int/water_sanitation_health/dwq/gdwq3rev/en/index.html

2. Kirby RM, Bartram J, Carr R. Water in food production and processing: quantity and quality concerns. Food Control2003; 14: 283-99.

3. Germano PML, Germano MIS. A água: um problema de segurança nacional. Hig Aliment 2001;15(90/91): 15-8.

4. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária [Internet] [acesso 2004 Set 18]Resolução de Diretoria Colegiada nº 216, 15 de setembro de 2004. Disponível em: http://elegis.bvs.br/leisref/public/showAct.php?id=12546.

5. Cardoso RCV, Souza EVA, Santos PQ. Unidades de alimentação e nutrição nos campi da Universidade Federal da Bahia: Um estudo sob a perspectiva de alimento seguro. Rev Nutr 2005; 18(5): 669-80.

6. Giombelli A, Rech H, Torres VS. Qualidade microbiológica da água proveniente de poços e fontes de dois municípios da Região do Alto Uruguai Catarinense. Hig Aliment. 1998; 12(56): 49-51.

7. Brasil. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação [Internet] [acesso 2007 Jul 11]. Alimentação Escolar. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/home/index.jsp?arquivo=/alimentacao_escolar/alimentacao_esc.html#dadosesta

8. Marchioni DML, Zacarelli EM. Avaliação da temperatura em refeições transportadas de um Programa de Alimentação Escolar. Hig Aliment1999;13(65):13 -8.

9. Silva C. Merenda escolar: levantamento das condiçõe higiênico-sanitárias dos locais de preparação e dos manipuladores em escolas da rede estadual de ensino de São Paulo, SP, Brasil[dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2002.

10. Mira FD. Avaliação do Programa de Alimentação Escolar da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro [monografia]. Rio de Janeiro: Universidade Estadual do Rio de Janeiro. 2003.

11. Façanha SHF, Ferreira NDL, Monte ALS, Pontes AR. Avaliação da garantia da qualidade higiênico-sanitária do Programa de Alimentação Escolar da cidade de Sobral-CE. Hig Aliment 2002; 16 (100): 54-8.

12. American Public Health of Water and Wastwater. Standard methods for the examination of water and wastewater. 20th Edition. Washington (DC): American Public Health Association, 1998.

13. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacionalde Vigilância Sanitária [Internet] [acesso 2004 Set 20]. Portaria nº 518, de 25 de março de 2004. Disponível em: http://elegis.bvs.br/leisref/public/showAct.php?mode=PRINT_VERSION&id=22322.

14. Goiás. Secretaria de Estado da Saúde. Superintendência de Vigilância Sanitária/Universidade Federalde Goiás (UFG)/Faculdade de Nutrição. Avaliação e monitoramento da qualidade dos alimentos oferecidos na Merenda Escolar – Goiás. RelatórioParcial. 2006.

15. Piragine KO. Aspectos higiênicos sanitários do prepare da merenda escolar na rede estadual de ensino de Curitiba [dissertação]. Curitiba: UniversidadeFederal do Paraná; 2005.

16. Salvador. Secretaria Municipal de Saúde. Vigilânciaem Saúde Ambiental. Ações de promoção à saúde na rede de ensino do município de Salvador – Relatório técnico de visitas. 2007.

Downloads

Publicado

2007-08-01

Como Citar

1.
Cardoso R de CV, Almeida RC de C, Guimarães AG, Góes J Ângelo W, Silva SA, Santana AAC, Huttner LB, Vidal Jr. PO, Figueiredo KVNA. Qualidade da água utilizada em escolas atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), em Salvador-BA. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de agosto de 2007 [citado 5º de março de 2024];66(3):287-91. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32808

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)