Eficácia de meios ágar M-PA-C e ágar Cetrimide no isolamento de Pseudomonas aeruginosa em amostras de água mineral

Autores

  • Beatriz Pisani Instituto Adolfo Lutz, Laboratório Regional de Campinas, SP
  • Maria Angela Garnica Prandi Instituto Adolfo Lutz, Centro de Laboratório Regional de Campinas, Núcleo de Ciências Químicas e Bromatológicas, Laboratório de Microbiologia de Alimentos, Campinas, SP
  • Maria Helena Martini Instituto Adolfo Lutz, Seção de Bromatologia e Química, Laboratório Regional de Campinas, Campinas, SP
  • Paulo Flávio Teixeira Chiarini Instituto Adolfo Lutz, Centro de Laboratório Regional de Campinas, Campinas, SP
  • Edson Zangiacomi Martinez Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, SP

DOI:

https://doi.org/10.53393/rial.2007.66.32846

Palavras-chave:

Pseudomonas aeruginosa, água mineral, ágar M-PA-C e ágar Cetrimide

Resumo

Estudou-se a eficácia dos meios ágar M-PA-C e ágar Cetrimide no isolamento de Pseudomonas aeruginosa, em diferentes temperaturas de incubação. Foram comparadas as taxas de recuperação de P. aeruginosa e a seletividade dos dois meios. Utilizou-se o modelo Bayesiano de efeitos aleatórios para dados binários na análise estatística e o modelo Bayesiano de Poisson na comparação da seletividade dos meios e quanto à recuperação de P. aeruginosa. Os resultados obtidos revelaram diferença significativa na seletividade dos meios, em que o meio ágar M-PA-C apresentou maiores valores médios de contagem. Para a recuperação de células de P.aeruginosa, os resultados foram equivalentes. As médias nas três contagens realizadas em ágar M-PA-C a 42ºC foi de 208 UFC e em Cetrimide a 35°C de 231 UFC na diluição de 10-6. Com relação às amostras de água mineral, não houve evidência de diferentes taxas de freqüência de P. aeruginosa entre os cultivos nos dois meios seletivos em diferentes temperaturas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Lennette EH, Balows A, Hausler Jr WJ, Shadomy HJ. Manual of Clinical Microbiology. 4th. Washington DC., 1985.

2. Ramalho R, Cunha J, Teixeira P, Gibbs PA. Modified Pseudomonas agar: new differential medium for thedetection/enumeration of Pseudomonas aeruginosa inmineral water. J Microbiol Methods 2002; 49: 69-74.

3. Simões M, Chiarini PFT, Pires MFC. Pseudomonas aeruginosa, bactérias heterotróficas e leveduras em água utilizada para hemodiálise. Rev Inst Adolfo Lutz 2003;62 (supl 1): 3.

4. Legnani P, Leoni E, Rapuano S, Turin D, Valenti C. Survival and growth of Pseudomonas aeruginosa in natural mineral water: a 5- year study. Intern J Food Microbiol 1999; 53 (2-3):153-8.

5. Pisani B, Simões M, Prandi MA, Rocha MMM, Gonçalves CR, Vaz TMI, Irino K. Surto de bacteriemia por Pseudomonas aeruginosa na Unidade de Hemodiálise de um hospital de Campinas, São Paulo, Brasil, Rev InstAdolfo Lutz 2000; 59(1/2): 51-6.

6. Jayasekara NY, Heard GM, Cox JM, Fleet GH. Populationsof pseudomonads and related bacteria associated withbottled non-carbonated mineral water. Food Microbiol1998; 15:167-76.

7. Gelli DS, Ristori CA, Buzzo AA. Controle de qualidade em laboratório de microbiologia de alimentos e avaliação de desempenho de meios de cultura no isolamento de Salmonella spp. Rev Inst Adolfo Lutz2003; 62 (3):159-64.

8. Resolução RDC – N° 154 de 15 de junho de 2004 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Ministério da Saúde, que estabelece os parâmetros da água utilizada para diálise. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 19jun.2000.

9. Eaton AD, Clesceri LS, Greenberg AE. Standard Methods for the examination of water and wastewater. Part 9000Microbiological Examination 19th ed. Washington DC,(APHA) 1995.

10. Difco Laboratories, Maryland, Section II, Culture Mediaand Ingredients, Dehydraded, Difco Manual 11th ed.Maryland, 1998.

11. Sant‘Ana AS, Silva SCFL, Farani IO Jr, Amaral CHR, Macedo VF. Qualidade microbiológica de águas minerais. Cienc Tecnol Aliment 2003; 23 (supl): 190-4.

12. Prandi MAG, Martini MH, Pisani B, Simões M, Chiarini PFT. Águas minerais: avaliação da qualidade microbiológica em amostras envasadas. Rev Inst Adolfo Lutz 2005; 64 (supl.2): 35

13. Spiegelhalter DJ, Abrams KR, Myles JP. Bayesianapproaches to clinical trials and health-care evaluation. Chichester: John Wiley & Sons; 2004.

14. Gilks WR, Richardson S, Spiegelhalter DJ. Markov Chain Monte Carlo in Practice. London: Chapman & Hall; 1996

15. Spiegelhalter DJ, Thomas A, Best N, Gilks W. BUGS (Bayesian Inference Using Gibbs Sampling) Version 0.50. Cambridge: MRC Biostatistics Unit; 1995.

16. Hasegawa H, Naganuma K, Nakagawa Y, Matsuyama T.Membrane Filter (pore size, 0,22 – 0,45 ì m; thickness, 150ì m) passing-through activity of Pseudomonas aeruginosaand other bacterial species with indigenous infiltrationability. FEMS Microbiology Letters 2003; 223: 41-6.

Downloads

Publicado

2007-01-01

Como Citar

1.
Pisani B, Prandi MAG, Martini MH, Chiarini PFT, Martinez EZ. Eficácia de meios ágar M-PA-C e ágar Cetrimide no isolamento de Pseudomonas aeruginosa em amostras de água mineral. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de janeiro de 2007 [citado 1º de março de 2024];66(1):35-9. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32846

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)