Perfil de ácidos graxos da pele e músculo de Balistes capriscus e Menticirrhus litoralis, pescados na região sul do Brasil
PDF

Palavras-chave

Balistes capriscus
Menticirrhus littoralis
ácidos graxos poliinsaturados
músculo
pele
óleo de pescado

Como Citar

1.
Bastos AL, Baish ALM, Clementin RM, Souza-Soares LA de, Badiale-Furlong E. Perfil de ácidos graxos da pele e músculo de Balistes capriscus e Menticirrhus litoralis, pescados na região sul do Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de abril de 2006 [citado 17º de julho de 2024];65(2):94-9. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32879

Resumo

Neste trabalho foi determinado o perfil de ácidos graxos da pele e do músculo de duas espécies marinhas de pescados, Balistes capriscus e Menticirrhus littoralis, usadas pela população da região de Rio Grande no Rio Grande do Sul. Estes pescados foram selecionados pelos efeitos benéficos dos chás de suas peles para tratamento da asma brônquica. Os pescados foram coletados no mercado público e empresas de pescado da cidade e a pele e o músculo destes foram separados para o estudo. As frações lipídicas foram extraídas pelo método de Bligh e Dyer, esterificadas, identificadas e quantificadas por cromatografia gasosa. Os resultados revelaram que os ácidos graxos predominantes nas duas porções (músculo e pele) das espécies foram o ácido dihomo-γ-linolênico (20:3n-6;DHA) e o ácido eicosapentaenóico (20:5n-3; EPA), estes representam juntos 21,3% e 39% nas duas porções do Balistes capriscus e 12,8% e 24,2% no Menticirrhus littoralis. Os ácidos graxos poliinsaturados representam de 54,6 a 67,6% dos lipídios totais em quase todas as porções, exceto na pele do Menticirrhus littoralis em que predominaram os ácidos graxos monoinsaturados. A relação dos ácidos graxos EPA e DHA apresentou valores sempre superiores a 2 no músculo e na pele dos pescados estudados.
https://doi.org/10.53393/rial.2006.65.32879
PDF

Referências

1. Cavalli L S et al. Fish Balistes capricus skin extract induced relaxation inmesenteric arterial bed of rat. J Ethnopharmacology 2003;88:215-20.

2. CEPERG/RS (Centro de Pesquisa e Gestão dos Recursos Pesqueiros Lagunares e Estuarinos) – IBAMA. Desembarque de Pescados no Rio Grande do Sul. Rio Grande: CEPERG/RS, 1999, 2000, 2001.

3. Ramírez M, Amate L, Gil A. Absorption and distribution of dietary fatty acidsfrom different sources. Early Human Development 2001;65:95-101.

4. Ackman RG. Nutritional composition of fats in seafoods. Progress Food Nutrition, 1989;13: 161-241.

5. Andrade AD et al. Omega-3 fatty acids in baked marine fish from south of Brazil. Ach. Biol Tec 1996;39:187-92.

6. Champe PC, Harvey RA. Bioquímica ilustrada, 2° edição, Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

7. Gonçalves AA, Souza-Soares LA. Lipídios em peixes. Revista Vetor1998; 8:35-53.

8. Kelley DS. Modulation of human immune and inflammatory responses bydietary fatty acids. Nutrition 2001;17:669-73.

9. Vázquez, RP et al Effects of different dietary oils on inflammatory mediator generation and fatty acid composition in rat neutrophils. Metabolism 2004; 53:59-65.

10. Weaver BJ, Holob BJ. Health effects and metabolism of dietaryeicosapentaenoic acid. Progress in Food and Nutr Sc 1998; 12:111-50.

11. Badolato ESG et al. Determinação dos ácidos eicosapentaenóico (EPA) edocohexasapentenóico (DHA) em óleo de sardinha brasileira (Sardinellabrasiliensis) e em suplementos alimentares à base de óleo de sardinha. Rev Inst Adolfo Lutz 1991;3: 21-3.

12. Contreras-Guzmán ES. Bioquímica de pescados e derivados. Jaboticabal: FUNEP, 1994.

13. Mendez E et al. Lipid content and fatty composition of fillets of six fishesfrom the Rio de la Plata. J Food Comp and Analysis 1996;9:163-70.

14. Visentainer JV et al. Concentração de ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexaenóico (DHA) em peixes marinhos da costa brasileira. Ciênc TecnolAlim 2000;20:90-3.

15. Bligh EG, Dyer WJA. Rapid method of total lipid extraction and purification.Can J Bioch Phys 1959;37:911-7.

16. Metcalfe LDAA, Schmitz JR. Rapid preparation of fatty acid esters from lipidsfor gas liquid chromatography. Anal Chem 1966; 38:514.

17. Maia EL. Caracterização dos constituintes lipídicos e composição emamino ácidos de peixes de água doce [Tese de Doutorado]. Campinas, Universidade Estadual de Campinas, 1992, 242 p.

18. Maia EL. et al. Fatty acids of the total, neutral, and phospholipds of the brazilian freshwater fish Prochilodus scrofa. J Food Comp and Analysis 1994;7:240-51.

19. Enser M et al. Fatty acid content and composition of UK beef and lambmuscle in relation to production system and implications for human nutrition. Meat Science 1998; 49:329-41.

20. Luzia LA et al. The Influence of season on the lipid profiles of fivecommercially important species of brazilian fish. Food Chem 2003;15:1-5.

21. Moreira AB et al. Composição de ácidos graxos e teor de lipídios em cabeças de peixes: matrinxã (B. cephalus), piraputanga (B. microlepis) e piracanjuba (B. orbignyanus), criados em diferentes ambientes. Ciênc Tecnol Alim 2003;23:79-183.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2006 Ademir L. Bastos, Ana Luiza Mucillo Baish, Rosilene M. Clementin, Leonor A. de Souza-Soares, Eliana Badiale-Furlong

Downloads

Não há dados estatísticos.