Avaliação do residual de bifenilos policlorados em musculo congelado e lombo cozido congelado de atum (Katsuwonus pelamis)
PDF

Palavras-chave

atunídeos
contaminantes organoclorados
pescado processado

Como Citar

1.
Lima A da S, Santo MLPE, Gonçalves CI, Fillmann G. Avaliação do residual de bifenilos policlorados em musculo congelado e lombo cozido congelado de atum (Katsuwonus pelamis). Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 22º de janeiro de 2013 [citado 22º de julho de 2024];72(1):21-7. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32891

Resumo

A fim de identificar uma possível contaminação por bifenilos policlorados (PCBs) e avaliar a influência do processamento do pescado nos níveis residuais desses compostos, foram investigados 41 congêneres de PCBs em amostras de músculo congelado e de lombo cozido congelado de atum (Katsuwonus pelamis) provenientes da indústria de pescado de Rio Grande/RS. As amostras foram extraídas por Soxhlet, purificadas, fracionadas e analisadas por cromatografia de fase gasosa com detecção por captura de elétrons (CG-DCE). O somatório das concentrações dos PCBs analisados nas amostras variou de 0,58 a 95 ng.g-1 (peso lipídico). Apesar de os resultados indicarem a presença de congêneres de PCBs em todas as amostras de atum, os valores estavam abaixo do limite estabelecido pela legislação da União Europeia para produtos de origem animal (200 ng.g-1 peso lipídico). No Brasil, o limite é de 3.000 ng.g-1 (peso lipídico). A comparação entre os valores detectados revelou que as amostras processadas possuíam maiores concentrações de PCBs e que o manuseio do pescado pode ser um fator que influência na concentração final do contaminante.

https://doi.org/10.18241/0073-98552013721538
PDF

Referências

1. Europa. Eliminar e limitar a produção, a utilização e a libertação de poluentes orgânicos persistentes (POP).Disponível em: [http://europa.eu/scadplus/leg/pt/lvb/l21279.htm].

2. UNEP/FAO. Convenção de Estocolmo sobre POPs. Disponível em: [http://www.pops.int].

3. Robards K. The determination of polychlorinated biphenyl residues: a review with special reference to foods. Food Addit Contam.1990;7:143-74.

4. Penteado JCP, Vaz JM. O legado das bifenilas policloradas (PCBs). Quím Nova.2001;24:390-8.

5. Brasil. Ministérios do Estado do Interiores, da Indústria, do Comércio e das Minas e Energia. Portaria Interministerial nº 19, de 29 de janeiro de 1981. Proíbe em todo território nacional, a implantação de processos que tinhamos como finalidade principal a produção de bifenil policlorados - PCB ́s. Proibe o seu uso e comercialização. Diário Oficial [da] República Federativa [do] Brasil. Brasília, DF, 29 jan. 1981.

6. Santos JS. Ingestão diária estimada de bifenilos policlorados a partir de queijo por universitários de Santa Maria – RS [dissertação de mestrado]. RS: Universidade Federal de Santa Maria. 2005.

7. Sawhney BL, Hankin L. Polychlorinated biphenyls in foods: a review. J Food Protec.1985;48:442-8.

8. Esposito M, Imparato E, Castellano V, Serpe L. Distribution of polychlorinated biphenyls in contaminated swine tissue. Vet Hum Toxicol.2001;43:97-8.

9. FAO - Food and Agriculture Organization. Garantia da qualidade dos produtos da pesca - Aspectos da qualidade associados ao pescado. Disponível em: [http://www.fao.org/docrep/003/t1768p/T1768P04.htm].

10. Ueno D, Kajiwara N, Tanaka H, Subramanian A, Fillmann G, Lam PK et al. Global Pollution Monitoring of Polybrominated Diphenyl Ethers Using Skipjack Tuna as a Bioindicator. Environm Sci Technol.2004;38:2312-6.

11. Costabeber I. Residuos organoclorados persistentes en grasa mamaria y su relación con los hábitos alimentarios: repercusiones sanitarias [tese de doutorado]. Espanha: Universidade de Córdoba; Espanha. 1999.

12. Kannan K, Tanabe S, Tatsukawa R. Geographical distribution and accumulation features of organochlorine residues in fish in tropical Asia and Oceania. Environm Sci Technol.1995;29:2673-83.

13. Nakata H, Tanabe S, Tatsukawa R, Amano M, Miyazaki N, Petrov EA. Persistent organochlorine residues and their accumulation kinetics in Baikal seal (Phoca sibirica) from Lake Baikal, Russia. Environm Sci Technol.1995;29:2877-85.

14. Ueno D, Takahashi S, Tanaka H, Subramanian AN, Fillmann G, Nakata H, et al. Global Pollution Monitoring of PCBs and Organochlorine Pesticides Using Skipjack Tuna as a Bioindicator. Arch Environm Contam Toxicol.2003;45:378–89.

15. Ueno D, Watanabea M, Subramanian A, Tanaka H, Fillmann G, Lam PK, et al. Global pollution monitoring of polychlorinated dibenzo-p-dioxins (PCDDs), furans (PCDFs) and coplanar polychlorinated biphenyls (coplanar PCBs) using skipjack tuna as bioindicator. Environm Pollut.2005;136;303-13.

16. Baars AJ, Bakker MI, Baumann RA, Boon PE, Freijer JI, Hoogenboom LA,et al. Dioxins, dioxin-like PCBs and non-dioxin-like PCBs in foodstuffs: occurrence and dietary intake in The Netherlands. Toxicol Lett.2004;151:51-61.

17. Hermanns L. Análise da distribuição e da contaminação de compostos organoclorados no lobo-marinho sul-americano (Arctocephalus australis). [monografia]. Rio Grande (RS): Fundação Universidade Federal do Rio Grande. 2002.

18. Golian J, Pavelka M. Residues of PCB in certain meat products. Magyar Allatorvosok Lapja.2002;24:616-19.

19. Bester K, De Vos P, Le Guern L, Harbeck S, Hendrickx F, Kramer GN, et al. Preparation and certification of a reference material on PCBs in pig fat and its application in quality control in monitoring laboratories during de Belgian “PCB-crisis”. Chemosphere.2001;44:529-37.

20. Brasil. Ministério da Agricultura e Abastecimento. Instrução Normativa nº 42, Plano Nacional de Controle de Resíduos em produtos de Origem Animal. 20 de dezembro de 1999. Altera o Plano Nacional de Controle de Resíduos em Produtos de Origem Animal – PNCR e os Programas de Controle de Resíduos em Carne – PCRC, Mel – PCRM, Leite – PCRL e Pescado – PCRP.

21. Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 24, Plano Nacional de Controle de Resíduos Biológicos em Produtos de Origem Animal – PNCRB. 9 de agosto de 2011.

22. Lago CF. Organoclorados na população do cetáceo Tursiops truncattus (Montagu, 1821) do extremo sul do Brasil [monografia]. Rio Grande (RS): Fundação Universidade Federal do Rio Grande; 2006.

23. Colombo JC, Bilos C, Lenicov M, Colautti D, Landoni P, Brochu C. Detritivorus fish contamination in the Rio de la Plata estuary: a critical accumulation pathway in the cycle of anthropogenic compounds. Can J Fish Aquatic Sci.2000;57:1139-50.

24. Bhavsar SP, Reiner EJ, Hayton A, Fletcher R, Macpherson K. Converting Toxic Equivalents (TEQ) of dioxins and dioxin-like compounds in fish from one Toxic Equivalency Factor (TEF) scheme to another. Environm Int.2008;34:915-21.

25. WHO – World Health Organization. The 2005 World Health Organization Reevaluation of Human and Mammalian Toxic Equivalency Factors for Dioxins and Dioxin-like Compounds. Toxicological Sciences. 2006. Disponível em [http://www.who.int/ipcs/assessment/tef_update/en/

26. Neuberger M, Grossgut R, Gyimothy J, Leibetseder J. Dioxin contamination of feed and food. Lancet.2000;355:1883.

27. Van Leeuwen FX. Dioxins: WHO’s tolerable daily intake (TDI) revised. Chemosphere.2000;40:1095-101.

28. Bogusz Junior S. Determinação de bifenilos policlorados em carne e produtos cárneos no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil [dissertação de mestrado]. Santa Maria (RS): Universidade Federal de Santa Maria;2004.

29. Bayarri S. Degradación de residuos de contaminantes clorados en productos cárnicos por el procesado y la acción de microorganismos responsables de maduración [tese de doutorado]. Espanha:Universidade de Zaragoza; 1997.

30. Mackay D, Shiu WY, Ma KC. Illustrated Handbook of Physical-Chemical Properties and Environmental Fate for Organic Chemicals. Volume I+II. Lewis Publishers Inc., Boca Raton, FL, USA.1992.

31. Leães FL. Degradação de bifenilos policlorados (PCBs) por microrganismo de interesse tecnológico na indústria cárnea [dissertação de mestrado]. Santa Maria (RS): Universidade Federal de Santa Maria.2005.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2013 Amara da Silva Lima, Milton Luiz Pinho Espirito Santo, Caroline Irizaga Gonçalves, Gilberto Fillmann

Downloads

Não há dados estatísticos.