Perfumes e colonias no comércio ilegal
PDF

Palavras-chave

autenticidade
falsificação
perfumes
colônias
fragrância

Como Citar

1.
Miyamaru LL, Santa Bárbara MC, Pereira TC, Almódovar AAB, Nakano VE, Ikeda TI, Lambert CG, Rodrigues VD, Bugno A. Perfumes e colonias no comércio ilegal. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 22º de janeiro de 2013 [citado 20º de julho de 2024];72(1):59-64. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32896

Resumo

Perfumes e colônias são elaborados a partir de uma criteriosa seleção de matérias-primas que, combinadas,
conferem características únicas e de alto valor agregado ao produto. Em virtude da enorme lucratividade que
o setor da indústria cosmética proporciona, a comercialização de produtos falsificados cresce continuamente. Este estudo analisou a autenticidade e a segurança de perfumes e colônias de marcas nacionais encontrados no comércio clandestino de São Paulo, avaliando-se os parâmetros microbiológico, citotóxico, perfil cromatográfico e de autenticidade. Houve divergências entre as características das amostras analisadas e dos padrões de referência, as quais indicam que estes produtos não eram procedentes das empresas detentoras das marcas. Este dado serve de alerta para intensificar a fiscalização e adoção de medidas contra a prática da falsificação, como as campanhas educativas, para esclarecer os riscos que estes produtos podem causar à saúde e à segurança dos consumidores.

https://doi.org/10.18241/0073-98552013721543
PDF

Referências

1. Haddad R, Catharino RR, Marques LA, Eberlin, MN. Perfume fingerprinting by easy ambient sonic-spray ionization mass spetrometry: nearly instantaneous typification and counterfeit detection. Rapid Commum. Mass Spectrom. 2008; 22:3662-6.

2. Associação dos Distribuidores e Importadores de Perfumes, Cosméticos e Similares - ADIPEC. Aprendendo para ensinar sobre pirataria. São Paulo; 2007. [acesso 2012 mai 02]. Disponível em: [http://www.adipec.com.br/selo/pirataria].

3. Ellendt K, Hempel G, Köbler H. Analysis of sensitizing fragrances by gas chromatography – mass spectrometry. SÖFW J. 2001; 127(12):29-34.

4. Augusto F, Poppi RJ, Pedroso MP, Godoy LAF, Hantao LW. GCxGC-FID for qualitative and quantitative analysis of perfumes. LC-GC. 2010: 430-8.

5. Lucca LG, Paese K, Guterres SS. Perfumes: Arte e Ciência. Rev Cosm Toiletr. 2011; 23(3):54-64.

6. Santos H. Composições inspiradas na natureza. Rev Neg Ind Beleza. 2007; 5:24-36.

7. Schueller R, Romanoswski P. A essência das fragrâncias. Rev Cosm Toiletr. 2005;1 7(5): 50-5.

8. Del Comune AP, Menin SEA, Pagliace SR, Petch V. O perfume e o alquimista. Lecta. 1998; 16(1):91-8.

9. Dias SM, Silva RR. Perfumes: uma química inesquecível. Quím Nova Esc. 1996; 4:3-6.

10. Draelos ZD. Cosméticos em Dermatologia. 2ªed. Rio de Janeiro (RJ): Revinter; 1999: 237-43.

11. Marques L A. Aplicação de técnicas avançadas de espectrometria de massas em ciências de alimentos e perfumaria [dissertação de mestrado]. Campinas (SP): Instituto de Química, Universidade Estadual de Campinas; 2006.

12. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução nº. 481, de 23 de setembro de 1999. Dispõe sobre o controle de qualidade microbiológica para os produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 06 out 1999. Seção 1. p.06.

13. Farmacopeia Brasileira, 5 ed. vol. 1. Brasília, 2010.

14. Pinto TJA, Ikeda TI, Miyamaru LL, Santa Bárbara MC, Santos RP, Cruz AS. Cosmetic Safety: proposal for the replacement of in vivo (Draize) by in vitro test. Open Toxicol. 2009; 31-7.

15. International Organization For Standardization [BSEN-ISO] 10993-05: Biological evaluation of medical devices tests for in vitro cytotoxicity. Geneva, 2009.

16. UNITED. States Pharmacopeia. 34 ed. Rockville: United States Pharmacopeial Convention, 2011.

17. Asten A. The importance of GC and GC-MS in perfume analysis. Trends Anal Chem. 2002; 21(9-10):698-708.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2013 Lígia Luriko Miyamaru, Maria Cristina Santa Bárbara, Tatiana Caldas Pereira, Adriana Aparecida Buzzo Almódovar, Viviane Emi Nakano, Tamiko Ichikawa Ikeda, Christiane Guedes Lambert, Vinicius Dalben Rodrigues, Adriana Bugno

Downloads

Não há dados estatísticos.