Teores de sódio em leites industrializados consumidos no Brasil
PDF

Palavras-chave

sódio
leite
espectrometria de emissão atômica com plasma de argônio acoplado indutivamente (ICP OES)
Saúde Pública

Como Citar

1.
Buzzo ML, Carvalho M de FH, Arakaki EEK, Matsuzaki R, Oliveira CC de, Kira CS. Teores de sódio em leites industrializados consumidos no Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 5º de outubro de 2015 [citado 16º de julho de 2024];74(1):12-20. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/33381

Resumo

O leite é considerado um alimento essencial à dieta humana, principalmente para crianças, tornando-se imprescindível a garantia da qualidade deste produto, como o controle do teor de sódio. O alto consumo de sódio pode comprometer a saúde da população e estar associado com Doenças Crônicas Não Transmissíveis. Este estudo visou à determinação de sódio em leites consumidos no Brasil: pasteurizado integral, pasteurizado com 3 % de gordura, UHT e em pó, utilizando-se a técnica de espectrometria de emissão atômica com plasma de argônio acoplado indutivamente. Foram detectados teores médios de sódio superiores para o leite UHT; e foi observada variabilidade entre os teores mínimos e máximos para todos os tipos de leite. Ainda, 37 % das amostras apresentaram teores de sódio superiores àqueles declarados na rotulagem, exceto o leite pasteurizado integral. Os teores de sódio foram condizentes com as tabelas de composição de alimentos, exceto quanto ao valor máximo de sódio no leite pasteurizado com 3 % de gordura. Este estudo mostrou a importância da implementação de programas de monitoramento de sódio nestes produtos, assim como para recomendar às autoridades competentes o estabelecimento em dispositivo legal referente aos valores limites de sódio, com vistas à promoção da Saúde Pública.

https://doi.org/10.53393/rial.2015.v74.33381
PDF

Referências

1. Política Nacional de Alimentação e Nutrição – PNAN. Ministério da Saúde. [acesso 2013 Jun 21]. Disponível em: [http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/2d_081111.pdf ].

2. Veiga GV, Costa RS, Araujo MC, Souza AM, Bezerra IN, Barbosa FS. Inadequação do consumo de nutrientes entre adolescentes brasileiros. Rev Saúde Pública. 2013; 47(1 Supl): 212S-21S. doi: 10.1590/S0034-89102013000700007.

3. Araujo MC, Bezerra IN, Barbosa FS, Junger WL, Yokoo EM, Pereira RA, et al. Consumo de macronutrientes e ingestão inadequada de micronutrientes em adultos. Rev Saúde Pública. 2013; 47(1 Supl): 177S-89S. doi: 10.1590/S0034-89102013000700004.

4. Verly Jr. E, Carvalho AM, Fisberg RM, Marchioni DML. Adesão ao guia alimentar para população brasileira. Rev Saúde Pública. 2013; 47(6): 1021-7. doi: 10.1590/S0034-8910.2013047004637.

5. Brasil. Ministério da Saúde. Doenças crônicas não transmissíveis. [acesso 2013 Jun 21]. Disponível em: [http://www.portal.saude.gov.br/portal/saúde/profissional/visualizar_texto.cmf?idtxt=31877&janela=1].

6. Lima FEL, RM, Uchimura KY, Picheth T. Programa Bolsa-Família: qualidade da dieta de população adulta do município de Curitiba, PR. Rev Bras Epidemiol. 2013; 16(1): 58-67. doi: 10.1590/S1415-790X2013000100006.

7. Pereira LM, Vieira ALS, Horta PM, Santos LC. Fracionamento da dieta e o perfil nutricional e de saúde de mulheres. Rev Nutr. 2014; 27(1): 15-23. doi: 10.1590/1415-52732014000100002.

8. Bortolini GA, Vitolo MR, Gubert MB, Santos LMP. Early cow’s milk consumption among Brazilian children: results of a national survey. J Pediatr. 2013; 89(6): 608-13. doi: 10.1016/j.jped.2013.04.003

9. Vieira MEB, Linhares MBM. Developmental outcomes and quality of life in children born preterm at preschool- and school-age. J Pediatr. 2011; 87(4): 281-91. doi: 10.2223/JPED.2096

10. World Health Organization – WHO. Country implementation of the International Code of Marketing of Breast-milk Substitutes: Status report 2011. Geneva, 2013 (revisado). 60 p. [acesso 2014 Mai 06]. Disponível em: [http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/85621/1/9789241505987_eng.pdf?ua=1].

11. Ministério da Saúde – MS. Saúde da criança: Nutrição infantil. Aleitamento materno e alimentação complementar. Caderno de Atenção Básica, nº 23. 2009. Brasília, DF. [acesso 2013 Jun 21]. Disponível em: [http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_nutricao_aleitamento_alimentacao.pdf].

12. Thomaz DMC, Serafim PO, Palhares DB, Melnikov P, Venhofen L, Vargas MOF. Comparison between homologous human milk supplements and a commercial supplement for very low birth weight infants. J Pediatr. 2012; 88(2): 119-24. doi: 10.2223/JPED.2166

13. Morgado CMC, Werneck GL, Hasselmann MH. Rede e apoio social e práticas alimentares de crianças no quarto mês de vida. Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(2):367-76. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000200008

14. Saldiva SRDM, Venancio SI, Gouveia AGC, Castro ALS, Escuder MML, Giugliani ERJ. Influência regional no consumo precoce de alimentos diferentes do leite materno em menores de seis meses residentes nas capitais brasileiras e Distrito Federal. Cad Saúde Pública. 2011; 27(11): 2253-62. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011001100018

15. Souza FIS, Caetano MC, Ortiz TT, Silva SGL, Sarni ROS. Complementary feeding of infants in their first year of life: focus on the main pureed baby foods. Rev Assoc Med Bras. 2014; 60(3): 231-5. http://dx.doi.org/10.1590/1806-9282.60.03.011

16. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA. Projeções do agronegócio – Brasil 2012/13 a 2022/23 – Projeções de longo prazo. [acesso 2014 Mai 06]. Disponível em: [http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/projecoes %20- %20versao %20atualizada.pdf ].

17. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Indicadores IBGE - Estatística da Produção Pecuária/Março de 2014. [acesso 2014 Mai 06]. Disponível em: [http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/abate-leite-couro-ovos_201304_publ_completa.pdf ].

18. Buzzo ML, Costa AR, Polatto R, Matsuzaki R. Avaliação de sódio em diferentes tipos de leite comercializados no município de São Paulo, Brasil. Bol Inst Adolfo Lutz. 2008; 18(1/2): 23-4.

19. Botelho BG, Reis N, Oliveira LS, Sena MM. Development and analytical validation of a screening method for simultaneous detection of five adulterants in raw milk using mid-infrared spectroscopy and PLS-DA. Food Chem. 2015; 181: 31-7. doi: 10.1016/j.foodchem.2015.02.077

20. Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia. I posicionamento brasileiro sobre hipertensão arterial resistente. Arq Bras Cardiol. 2012; 99(1): 576-85. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2012001000002

21. Costa FP, Machado SH. O consumo de alimentos ricos em sódio pode influenciar na pressão arterial das crianças? Ciênc Saúde Coletiva. 2010; 15(Supl. 1): 1383-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000700048

22. Nishimura RY, Damião R, Gimeno SGA, Ferreira SRG, Sartorelli DS. Grupos de alimentos para investigação de risco para diabetes tipo 2 e doenças associadas. Rev Bras Epidemiol. 2011; 14(3): 531-6. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2011000300017

23. World Health Organization – WHO. Guidelines: Sodium intake for adults and children. 2012. [acesso 2013 Jun 21]. Disponível em: [http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/77985/1/9789241504836_eng.pdf ].

24. Ministério da Saúde – MS. Ministério lança política nacional de promoção da saúde. 2014. [acesso 2014 Nov 11]. Disponível em: [http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/profissional-e-gestor/principal/noticias/15241-ministerio-lanca-politica-nacional-de-promocao-da-saude].

25. Sarno F, Claro RM, Levy RB, Bandoni DH, Monteiro CA. Estimativa de consumo de sódio pela população brasileira, 2008-2009. Rev Saúde Pública. 2013; 47(3): 571-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102009005000002.

26. Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 62, de 29 de dezembro de 2011. Aprova o regulamento técnico de produção, identidade e qualidade do leite tipo A, regulamento técnico de identidade e qualidade de leite cru refrigerado, o regulamento técnico de identidade e qualidade de leite pasteurizado e o regulamento técnico da coleta de leite cru refrigerado e seu transporte a granel, em conformidade com os Anexos desta Instrução Normativa. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. 30 dez. 2011. Seção 1. [acesso 2014 Nov 30]. Disponível em: [http://sistemasweb.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=consultarLegislacaoFederal].

27. Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria nº 146, de 07 de março de 1996. Aprova os regulamentos técnicos de identidade e qualidade dos produtos lácteos (leite em pó). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. 11/03/1996. Seção 1, pág. 3977. [acesso 2014 Nov 30]. Disponível em: [http://extranet.agricultura.gov.br/sislegis-consulta/consultarLegislacao.do?operacao=visualizar&id=1218].

28. Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria nº 370, de 04 de setembro de 1997. Aprova a inclusão do citrato de sódio no regulamento técnico para fixação de identidade e qualidade do leite U.H.T. (U.A.T.). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. 08/09/1997. [acesso 2014 Nov 30]. Disponível em: [http://sistemasweb.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=consultarLegislacaoFederal].

29. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO. Universidade de Campinas (UNICAMP). 4ª edição. 2011. [acesso 2014 Out 21]. Disponível em: [http://www.unicamp.br/nepa/taco/tabela.php?ativo=tabela].

30. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares. [acesso 2014 Out 21]. Disponível em: [http://www.ibge.gov.br/home/xml/pof_2008_2009.shtm].

31. Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Tabela química de composição de alimentos. 2013. [acesso 2014 Out 21]. Disponível em: [http://www2.unifesp.br/dis/servicos/nutri/public/].

32. Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge – INSA. Tabela de composição de alimentos. 2006. [acesso 2014 Out 21]. Disponível em: [http://www.insa.pt/sites/INSA/Portugues/AreasCientificas/AlimentNutricao/AplicacoesOnline/TabelaAlimentos/Paginas/TabelaAlimentos.aspx].

33. Souci SW, Fachmann W, Kraut H. Food composition and nutrition tables. Seventh edition. 2008. Medpharm Scientific Publishers. Ed. Taylor & Francis. Germany. 1364p.

34. Philippi ST. Tabela de Composição de Alimentos-Suporte para decisão nutricional. 4ª edição. 2013. São Paulo: Manole Ltda. 164p.

35. Pacheco M. Tabela de equivalents, medidas caseiras e composição química dos alimentos. 2ª edição. 2011. Editora Rubio Ltda. Rio de Janeiro. 669p.

36. Pennington JAT, Spungen J. Bowes & Church’s food values of portions commonly used. Nineteenth edition. 2010. Ed.: Lippincott Williams & Wilkins. Baltimore, USA. 425p.

37. Mhurchu CN, Capelin C, Dunford EK, Webster JL, Neal BC, Jebb SA. Sodium content of processed foods in the United Kingdom: analysis of 44,000 foods purchased by 21,000 households. Am J Clin Nutr. 2011; 93(3) :594-600. doi: 10.3945/ajcn.110.004481

38. Manzi P, Di Costanzo MG, Mattera M. Updating nutritional data and evaluation of technological parameters of italian milk. Foods. 2013; 2(2) :254-73. doi:10.3390/foods2020254

39. Health Canadá. Dietary Reference Intakes - Reference Values for Elements. [acesso 2015 Mar 18]. Disponível em: [http://www.hc-sc.gc.ca/fn-an/nutrition/reference/table/ref_elements_tbl-eng.php].

40. Australian Government/National Health and Medical Research Council. Ministry of Healthy. Nutrient Reference Values for Australia and New Zealand - Sodium. [acesso 2015 Mar 18]. Disponível em: [https://www.nrv.gov.au/nutrients/sodium]

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2015 Márcia Liane Buzzo, Maria de Fátima Henriques Carvalho, Edna Emy Kumagai Arakaki, Richard Matsuzaki, Camila Cardoso de Oliveira, Carmen Silvia Kira

Downloads

Não há dados estatísticos.