Matérias estranhas leves e partículas metálicas em misturas para bebida láctea e mingau, destinadas à Merenda Escolar
pdf

Palavras-chave

mistura para bebida láctea
mistura para mingau
Merenda Escolar
matérias estranhas leves
partículas metálicas
detecção microscópica

Como Citar

1.
Santos MC dos, Rodrigues RMMS, Zamboni C de Q. Matérias estranhas leves e partículas metálicas em misturas para bebida láctea e mingau, destinadas à Merenda Escolar. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 27º de dezembro de 1991 [citado 23º de julho de 2024];51(1-2):7-10. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/35186

Resumo

Para avaliar as condições higiênicas de alimentos destinados à Merenda Escolar, quanto à presença de matérias estranhas leves (insetos, seus fragmentos e larvas) e de partículas metálicas, foram analisadas 50 amostras de misturas para o preparo de bebida láctea e 50 amostras de misturas para o preparo do mingau. Para a pesquisa de matérias estranhas leves, utilizou-se o método padronizado pela A.O.A.C., com modificações. Encontrou-se fragmentos de insetos em 66 % das amostras de misturas para bebida láctea e em 62% das amostras de mingau. Não foram encontrados insetos e larvas nas amostras analisadas. Para pesquisa de partículas metálicas desenvolveu-se um método onde a amostra dissolvida em água é agitada com uma barra magnética que atrai as partículas e possibilita sua contagem. Verificou-se que 30% das amostras de misturas para bebida láctea e 44% das amostras de misturas para mingau continham partículas metálicas.

https://doi.org/10.53393/rial.1991.51.35186
pdf

Referências

1. ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS - Official methods of analysis of the Association of Official Analytical Chemists. 14th ed. Washington, D.C., A.O.A.C., 1984. p. 889 (Tecn. 44.003 1).

2. Id., ibid., p. 890 (Tecn. 44.004c)

3. Id., ibid., p. 890 (Tecn. 44.005b)

4. Id., ibid., p. 899 (Tecn. 44.049)

5. Id., ibid., p. 912 (Tecn. 44.062)

6. BRASIL. Leis, decretos, etc. - Decreto no 37. 106, de 31 de março de 1955. Diário Oficial, Rio de Janeiro, 2 abr.1955, Seção I, p. 6051. Institui a Campanha da Merenda Escolar.

7. CUNNINGHAM, H.M. & O. BRIEN, R. – Ferromagnetic particles in foods. J. Food Sci., Chicago, 37: 572-3, 1972.

8. SÃO PAULO. Leis, decretos, etc. - Decreto no 12.486, de 20 de outubro de 1978. Diário Oficial, São Paulo, 21 out. 1978. p. 37 (NTA 79). Aprova Normas Técnicas Especiais Relativas a Alimentos e Bebidas.

9. SÃO PAULO. Leis, decretos, etc. - Decreto no 22.379 de 19 de junho de 1984. Diário Oficial, São Paulo, 20 jun.1984. p. l. Dispõe sobre a municipalização da merenda escolar, regulamentando a Lei no 4.021 de 22 de maio de 1984.

10. SELBY, J.W. apud CUNNINGHAM, E.M. (7).

11. WALLIS, T.E. - Microscopia analítica: sus fines, y metods in relación a los alimentos, agua, especias y medicamentos; trad. por J.O. Berenguer, Zaragoza, Acribia, 1968. p. 223-5.

12 - ZAMBONI, C.Q.; ALVES, H.I.; RODRIOUES, R.M.M.S.; SPITERI, N.; ATUI, M.B. & BATISTIC, M.A. - Sujidades e fraudes em chocolates. Rev. Inst. Adolfo Lutz, 48(1/2): 37-41, 1988.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1991 Marlene Correia dos Santos, Regina M. M. S. Rodrigues, Claydes de Q. Zamboni

Downloads

Não há dados estatísticos.