Variáveis relacionadas ao desenvolvimento de Triatoma infestans Klug, 1834 em condições de laboratório. 2. Efeitos da manipulação na sobrevivência e na fertilidade
pdf

Palavras-chave

Triatoma infestans , sobrevivência, fertilidade, criação em laboratório

Como Citar

1.
Tolezano JE, Araújo M de FL de, Chieffi PP, Valentim AM, Ribeiro SS. Variáveis relacionadas ao desenvolvimento de Triatoma infestans Klug, 1834 em condições de laboratório. 2. Efeitos da manipulação na sobrevivência e na fertilidade. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 29º de junho de 1984 [citado 17º de julho de 2024];44(1):81-6. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/36831

Resumo

Avaliaram-se neste estudo os efeitos da manipulação excessiva em laboratório sobre a sobrevivência em cada estádio e sobre a fertilidade de Triatoma inf eetans, Foram utilizados neste experimento ovos selecionados ao acaso no dia da desova, coleta dos em número tal que permitiu, após eclodirem, a constituição de dois grupos com 180 ninfas cada, sendo que um grupo foi mantido sem manipulações, servindo como controle e o outro constituiu o grupo testado para as manipulações de pesagem diária. Os insetos receberam alimentação em intervalos fixos de 21 dias, quando se lhes permitia sugar até a saciedade. ° tempo de permanência em cada estádio foi sempre maior no grupo testado; no grupo controle o tempo total de evolução foi, em média 47 dias inferior ao do outro grupo. Nos estádios iniciais, o grupo testado mostrou altas taxas de mortalidade. Viu-se ainda que a grande maioria dos exemplares do grupo testado apresentou-se ao mudar para a fase adulta com anormalidades morfológicas. Ao chegarem à fase alada os insetos foram acasalados, observando-se que todas as fêmeas do grupo controle desovaram ovos férteis, enquanto as do grupo testado, com exceção de uma única fêmea, desovaram ovos inférteis. Ao se efetuar o acasalamento de indivíduos de um grupo com os do outro, verificou-se que várias outras fêmeas do grupo testado passaram a desovar ovos férteis. Discute-se a importância da manipulação sobre o desenvolvimento, sobrevivência e fertilidade de Triatoma infestans criados em laboratório.

https://doi.org/10.53393/rial.1984.44.36831
pdf

Referências

1. CORRÊA, F. M. A. - Estudo comparativo do ciclo evolutivo do Triatoma infestans alimentados em diferentes animais (Hemiptera, Reduviidae). Papo Avulsos Dep. Zool (S. Paulo), 15:177-200, 1976.

2. DIAS, E. - Criação de triatomíneos em laboratório. Mem. Inet; Oswalâo C1'UZ, 33:
407-12, 1938.

3. FELICIANGELI, M. D.; RABINIVICH, J. & FERNANDEZ, E. - Resistência al ayuno en triatominos (Hemiptera, Reduviidae) Venezolanos. 1. Rhodnius prolixuB Stal. Rev. Inst . Med. trop. S. Paulo, 22:53-61, 1980.

4. GOODCHILD, A. J. P. - Some observations on growth and egg production of blood-sucking reduviids. Proe, R. entomol. Soc. Lond., Ser. A. gen. entomol., 30:137-44, 1955.

5. HACK, W. H. - Estudios sobre biologia del Triatoma infestans (Klug, 1834) (Hem., Reduviidae). Ann. Inst. Med, regíon., Corrientes, 4: 125-47, 1955.

6. JUAREZ, E. - Observações sobre o ciclo evolutivo do Triatoma arthurneivai em
condições de laboratório (Hemiptera, Reduviidae). Rev, Saúde públ. S. Paulo, 4:
13-18, 1970.

7. JUAREZ, E. -- Comportamento do Triatoma infestans sob várias condições de laboratório. Rev. Saúde públ, S. Paulo, 4:147-66, 1970.

8. MARGALEF, R. Ecologia. 2.a ed. Barcelona, Omega, 1977. p. 575-83.

9. PERLOW AGORA-SZUMLEWICZ, A. - Ciclo evolutivo do TI'iatoma infeetans em condições de laboratório. Rev. bras. Malariol. Doenças trop., 5: 35-4.1, 1953.

10. PESSôA, S. B. & BARROS, N. V. - Criação do Triatoma infestans na temperatura de estufa. Folha méd., 20:285-7, 1939.

11 SIQUEIRA, F. - Diagnóstico parasitológico da moléstia de Chagas. In : CANÇADO, J. R., ed. - Doença de Chagas. Belo Horizante, Fac. Med. Univ. Minas Gerais, 1968. p. 261-78.

12. TOLEZANO, J. E.; CHIEFFI, P. P.; ARAÚJO, M. F. L.; VALENTIM, A. M. & RIBEIRO, S. S. - Variáveis relacionadas ao desenvolvimento de Triatoma infestans Klug, 1834 em condições de laboratório. 1. Relação entre repasto sangüíneo e desenvolvimento. Rev. Inst. Adolfo Lutz, (1): 73-79, 1984.
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1984 José Eduardo Tolezano, Maria de Fátima Lereno de Araújo, Pedro Paulo Chieffi, Anna Maria Valentim, Suzel Scalon Ribeiro

Downloads

Não há dados estatísticos.